Uma aliança perigosa: os falsos liberais e os islamistas


 

Por Omar Dakhane*

A extrema-esquerda no ocidente e em Israel parece terem-se tornado representantes e porta-vozes oficiais dos extremistas islâmicos, apesar deles continuarem acreditando que são os primeiros defensores dos direitos humanos! Ironicamente, esses são os mesmos direitos humanos que os islamistas estão tentando roubar de toda a humanidade, incluindo dos seus colegas muçulmanos e os seus apoiantes da extrema-esquerda. Esta posição da extrema-esquerda em defender os islamistas demonstra uma dissonância cognitiva de uma magnitude desenfreada.

Como um árabe muçulmano secular, nascido e vivido toda minha vida no Oriente Médio e Norte da África, acho que o nível de convergência da extrema-esquerda ocidental e os muçulmanos islamistas (que representam uma ideologia de extrema-direita) surpreendente e alarmante. Ela levanta muitas questões. Como pode dois grupos tão diferentes, que parecem possuírem objetivos e ideologias completamente contraditórias chegaram a um entendimento comum, especialmente quando se considera que os islamistas acreditam que os não-muçulmanos são inimigos que devem serem destruídos [ou convertidos]?

O que é notável sobre a extrema-esquerda israelense e ocidental é que eles usam a mesma retórica usada pelos islamistas. Vemos ativistas da extrema-esquerda rotularem atos de terror como “resistência” e, em alguns casos, clamarem para a destruição de seus próprios países – onde vivem em relativa segurança, privilégios e conveniências! Vemos também esquerdistas colaboraram com [declarados] inimigos de interesses nacionais de suas nações, alinhando-se com grupos islâmicos radicais, repetindo doutrinações ensaiadas e propagandas por grupos terroristas palestinos, muitas vezes defendendo atos terroristas afirmando serem “reações às opressivas políticas de Israel.”

O que eu acho mais perigoso nessa aliança bizarra é que a extrema-esquerda – por ser mais vocal em seus pontos de vista extremos -está tentando controlar e ser o porta-voz dos liberais tradicionais! Eu me considero um liberal, mas onde estão os verdadeiros princípios liberais de caráter universais defendidos pelos esquerdistas do passado como liberdades individuais, direitos humanos, separação entre religião e Estado, direitos iguais para todos independente de religião, sexo, cor, nacionalidade ou orientação sexual. O espectro político que observamos nessa aliança entre a extrema-esquerda e os islamistas da extrema-direita é circular, e não linear.

As ações da extrema-esquerda estão indo em direção contrária às suas argumentações teatralizadas, evocando sentimentalismos humanos em “defesa dos direitos humanos” e em “apoio à liberdade de expressão.” Como se pode defender direitos de um ser humano que está tentando privar outros seres humanos de seus direitos básicos à vida? Como se pode apoiar a liberdade de expressão de que as usam para privar outros do direito às suas liberdades de expressões, pregar o ódio, incitar o terrorismo e defender a substituição de leis seculares por leis da Idade Média? Será se a extrema-esquerda considera essa questão? Será se a extrema-esquerda tem alguma idéia de quais são os verdadeiros objetivos dos islamistas?

Como alguém que defende pontos de vista liberais pode se posicionar à favor dos islamistas e sua ideologia extremista? Fiquei muito surpreso ao saber que atualmente os maiores defensores dos islamistas não são do mundo árabe ou muçulmano, mas ocidentais e israelenses da extrema-esquerda que afirmam serem liberais [e progressistas]! Por diversas vezes, de longe e de forma verbal fui violentamente atacado por esquerdistas dos Estados Unidos, Europa e até mesmo Israel em virtude de artigos que escrevi e publiquei em meu blog pessoal. Não gostaram de ouvirem verdades que testemunho diariamente, recusam-se a enxergar o elefante chamado islamista sentado em suas próprias salas, preferem continuar ignorando as possíveis e terríveis consequências dessa estranha aliança para suas próprias liberdades, igualdades e direitos humanos que dizem defenderem.

Minha posição como um árabe que vive no mundo árabe e lida diariamente com as questões que escrevo não foram suficientes para convencer esses atacantes de que eu estava em uma posição melhor para verdadeiramente saber o que está acontecendo no mundo árabe, e nem mesmo consideraram o fato de viverem [a maioria deles] à milhares de quilômetros de distância do Oriente Médio e não entenderem árabe [e desconhecerem minucias da nossa cultura]. Parece que a maioria deles acredita que atos de terror dos islamistas contra o ocidente e Israel só ocorrem por causa do imperialismo ocidental ou do apoio que Israel recebe do ocidente [notadamente dos Estados Unidos]; quando na verdade, os islamistas têm cometido atos terroristas contra o mundo árabe por séculos [bem antes da fundação do novo Estado de Israel e mesmo antes da primeira cruzada]. Tudo começou conosco mesmo; não tem nada a ver com [os judeus, sionistas, Israel ou] o imperialismo ocidental; mas, na verdade, tem a ver com o imperialismo islâmico.

Outro elemento dessa aliança bizarra é como a extrema-esquerda e os islamistas tanto utilizam as liberdades dos países ocidentais para empurrar adiante uma agenda que é contraditória e incompatível com as liberdades e estilos de vida dos ocidentais. A extrema-esquerda não percebe que os islamistas querem destruir suas liberdades e substituí-las por um estilo de vida [teocrático] da idade média que é opressor e intolerante?

Quanto a extrema-esquerda em Israel, acredito que foram longe demais e já não possuem mais capacidade nem mesmo para distinguir a diferença entre defender os direitos humanos, criticar a política externa do seu país em relação aos palestinos, e de conspirar contra a segurança nacional israelense através de cooperações com organizações cujos objetivos são a destruição de Israel e o extermínio dos judeus. Será se não percebem que eles também estão incluídos nesse “objetivo de extermínio” ?

Como um árabe que deseja e trabalha para livrar as sociedades árabes do flagelo do extremismo e do terrorismo, [acompanhando desdobramentos sóciopolíticos da sociedade árabe] acabei percebendo que os islamistas não são mais o único obstáculo [para uma verdadeira primavera árabe], a extrema-esquerda ocidental e israelense é não só outro como talvez o maior de todos os obstáculos, notadamente por ter se tornado suporte permanente e quase incondicional dos islamistas do Hamas, Hezbollah, Irmandade Muçulmana e outros. Em consequência os islamistas estão se fortalecendo dia a dia no mundo árabe. Sentimos os resultados das ajudas e apoios que os islamistas recebem da extrema-esquerda [e uma das consequências é o crescimento de opressões contra os árabes mais pobres, as mulheres em particular].

Acompanho as retóricas da extrema-esquerda e os danos que têm causado a organismos outrora liberais como a Anistia Internacional e Human Rights Watch que no passado verdadeiramente lutavam em defesa dos direitos humanos e liberdades individuais das diversas sociedades humanas; mas hoje [tornaram-se ninhos de esquerdistas que], ao mesmo tempo que critica Israel continuamente silenciam-se sobre ações do Hamas, Hezbollah e outros grupos islamistas que buscam a destruição e o genocídio de outros.

No entanto, ainda há esperanças. A hora é agora e os verdadeiros liberais do mundo, aqueles que acreditam nos direitos humanos e secularismo, devem remover a legitimidade da extrema-esquerda e impedi-los de agirem como representantes autointitulados dos liberais [e progressistas]. Os verdadeiros liberais do mundo também devem perceber que a proteção dos direitos humanos, por vezes, exige a adoção de medidas duras contra aqueles que procuram anular direitos e liberdades individuais de outros, e que os terroristas abriram mão de seus direitos e liberdades no dia em que decidiram atingir pessoas inocentes.

Não há resistência legítima quando é dirigida propositadamente contra mulheres, crianças ou civis; e todas ideologias políticas devem se posicionarem enfaticamente contra essas ações. Os islamistas [não] usam o terror [para defender seus pontos de vista, mas] para atingir seus objetivos; não se preocupam com as sutis diferenças entre ideologias políticas do ocidente ou com opiniões políticas [de terceiros], eles simplesmente consideram como inimigo qualquer um que não siga o Islã conforme eles mesmo interpretam.

Essa aliança dos islamistas com a extrema-esquerda é apenas uma maneira de atingir seus objetivos. Eu lhes afirmo e asseguro que seus apoiantes da extrema-esquerda serão suas primeiras vítimas se os islamistas algum dia vierem a controlar o mundo. Que Deus nos livre.

 

* Omar Dakhane é um blogger árabe pró-america. Escreve da Argélia, seu país de origem, abordando com competência e conhecimento de causa a ascensão do extremismo islâmico no mundo, a doutrinação anti-ocidental no sistema educacional árabe, relatos das batalhas entre secularistas e islamistas na Argélia, entre outro temas. Seus artigos estão sendo traduzidos e publicados em diversos jornais e sites de vários países e idiomas. Apesar das críticas que sofre é um ferrenho defensor dos direitos humanos e liberdades individuais nas sociedade humana em geral e árabes em particular.

 

Fonte

1. Dakhane…

 

Notas

1. Tradução livre do inglês para português, com autorização – Frank Herles Matos

2. Nota do tradutor: Não confundir “islamista” com “islamita”. “Isla-mis-ta” é o termo relativamente novo usado por diversos meio de comunicações ocidentais para definir os radicais que usam o Islã como arma política e de terrorismo, diferenciando do adjetivo e substantivo ”isla-mi-ta” que significa seguidor da religião islâmica; muçulmano.

3. Textos entre [Colchetes] são notas do tradutor.

 

Artigos Relacionados

Aliança Ameaçadora – Islamistas + esquerdistas

Estatuto do Hamas

Palestinos de Gaza – Instrumentos do Hamas

Os Refugiados Palestinos Esquecidos

Gaza Proporcionalidade – Um argumento matemático

A solução de Gaza está nas mãos dos palestinos

Movimento por reforma no islã

Calvinistas islâmicos

 

About these ads
This entry was posted in Middle East and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

4 Responses to Uma aliança perigosa: os falsos liberais e os islamistas

  1. Pingback: A dangerous alliance: Faux liberals and Islamists « Omar Dakhane Blog

  2. Rod says:

    Otimo ver que ha alguem traduzindo o Omar para a nossa lingua. Nao eh todo o dia que vemos um arabe pro-Israel e liberal. Os artigos dele sobre o antissemitismo e antiamericanismo arabe mostram a verdade nua e crua, sem a romantizacao dos nossos jornalistas esquerdistas. Nao li o texto novamente, pois ja tinha lido no orignal em ingles, mas passei o olho e na primeira linha ha um pequeno erro: “em Israel parecem TEREM se tornado ”
    O correto seria parece ter.

    Belo trabalho com o site.

  3. E. Nelson says:

    Até que enfim tomamos conhecimento do que pensa alguns liberais muçulmanos que nasçeu e ainda hoje vive em algum país árabe, onde pensamentos e ações contrárias aos interesses dos ditadores e religiosos são na maioria das vezes punido com a morte.
    Sorte ao autor do texto e parabens a este blog pela publicação desse aartigo em português.

  4. Jessica Halloran says:

    I enjoy reading write-up. Hope i can discover a lot more articles like this one. Thanks for posting.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s