O Enigma dos Mamutes da Sibéria


Por Roberto Pereira*

Os mamutes congelados da Sibéria é um dos mistérios que continuam desafiando a ciência moderna que, baseada em meras teorias faz algumas especulações razoáveis e admite que solução desse enigma pode contribuir para desvender diversos outros fatos inexplicáveis e ainda mais nebuloso da história do planeta terra.

Em 1900, nas margens do rio Beresovska, na Sibéria Setentrional, se encontrou o primeiro exemplar conservado de mamute em meio à lama congelada. O fato em si não era inteiramente novo, já que antes tinham sido encontrados restos congelados de outros animais antigos. Mas nunca um exemplar tão grande, e em tão bom estado de conservação. Além disso, aquele mamute morrera de pé e tinha ainda restos de capim entre os dentes! Se morrera comendo, como ficara de pé? E por que não cuspira o alimento nos extetores de sua agonia?

Naquela época a ciência já sabia que os mautes tinham desaparecido da face da Terra há, pelo menos, 10 mil anos e, logo, diversas expediçòes acorreram ao local para examinar o estranho achado. Descobriram que , apesar da idade, a carne do mamute estava ainda tào bem conservada que cães e lobos disputavam seus pedaços.

A primeira explicação apresentada pelos cientistas foi de que o animal afundara no gelo, morrendo assim quase instantaneamente. Mas não havia nem jamais houvera geleiras naquela região da Sibéria: apenas neve durante o inverno. Neve que se derrete na estação quente. A outra teoria afirmando “que o animal morrera afogado” também não foi aceita. Se tivesse se afogado, ele, certamente, cuspiria os ramos encontrados na sua boca e nunca teria ficado de pé.

Finalmente, outros cientistas levantaram a teoria de que aquele mamute ficara preso no barro pegajoso e afundara lentamente de pé, até ser coberto pela neve e pela lama gelada. Mas um exame mais detalhado do solo provou que naquela região jamais houvera camadas de lama elástica, capazes de prender, até a morte, um gigantesco mamute de quase dez toneladas.

Havia ainda outro problema: o alimento encontrado na boca do animal incluia delicados carriços, capim e ranúculos, que só vicejam, hoje em dia, muito mais ao sul. Tudo aquilo junto formava um respeitável quebra-cabeça cientifico, para o qual durante muitos anos, dezenas de sábios não conseguiram nenhuma explicação satisfatória. Afinal, seria ilógico admitir que o pesado animal interrompera sua refeição e correra depois centenas de quilometros para o Norte, com o capim na boca, para morrer de repente, de pé.

A Ciencia Oficial se apóia em fatos provados, mas quando eles não existem, ela costuma montar teorias completas sobre frágeis indicios indiretos, e sobre a lógica também. Seria mais lógico admitir, por exemplo, que aquele tipo de capim crescera outrora naquela mesma região, e que o mamute morrera e fora congelado de repente – quase que instantaneamente -, enquanto pastava.

Os anos foram passando e outros animais congelados foram sendo encontrados na Sibéria, com sinais claros de morte instantanea e sem sinais visiveis de violencia. Todos eles haviam sido congelados. O problema era saber como.

Em qualquer processo de congelamento de carne é necessário que a queda de temperatura seja acentuada e muito rápida, caso contrário se formam grandes cristais de água nas células – o que provocaria desidratação que estragaria a carne em pouco tempo. Para se congelar uma galinha ou um peru, por exemplo, a -40 ºC,  são necessários 20 minutos; e pelo menos meia hora para se congelar meio boi.  Um animal do porte  de um mamute, quase duas vezes o tamanho de um elefante atual, teria que ser congelado a -100 ºC , em poucos minutos, para que sua carne ainda pudesse ser comida pelos cães, 10 mil anos depois.

Só havia um problema: O exame do exemplar congelado do rio Beresovka mostrou que o animal comera pequenos ramos de floridos, pouco antes de morrer. Grande quantidade de vegetal foi encontrada intacto, ainda não digerida, em seu estomago. E sabe-se que tais plantas não crescem onde a temperatura é inferior a -5 º Celsius. A unica explicação satisfatória seria a morte instantanea dos animais, devido a um subito abaixamento da temperatura da Sibéria. E tanto o exame da carne do mamute como a analise dos vegetais que comera provou, sem sombra de duvidas, que tal catastrofe ocorrera há 10.000 anos.

Nos ultimos trinta anos, numerosos cientístas russos viajaram até a região do rio Beresovska, em busca de novos indicios. E hoje se aceita, como a mais provável, a tese levantada por Imanuel Velikovski de que somente uma súbita mudança na inclinação do eixo de rotação da Terra poderia causar fenomenos meteorológicos capazes de explicar a repentina morte dos mamutes siberianos.

Segundo alguns astronomos, baseado em simulações em computador, somente a força eletromagnético de algum astro errante, um grande planeta ou uma pequena estrela passando suficientemente próximo da Terra poderia mudar o eixo de rotação terrestre.

Isso certamente, provocaria marés no magma interno da Terra, abalando a fina crostra sólida do nosso mundo – de 30 a 90 km de espessura. Os vulcões, situados quase todos na zona equatorial, entraram em erupção, arremessando lava, pedras e, principalmente grandes quantidades de poeira superaquecida, se elevaria até a estratofera. Depois, seguindo o movimento normal dos ventos, essa poeira dirigia-se, espiralando rumo aos polos. O frio das grandes altitudes as congelaria e, quando ela atingisse a Sibéria, mergulhando rumo ao solo, poderia perfeitamente estar a – 100º Celsius.

O quadro fica, então mais fácil de imaginar. Chegando às regiões setentrionais do planeta a poeira subitamente escurece o sol. Os animais, que naquela época pastavam nas planices verdejantes do Alasca, do Norte do Canadá e da Sibéria, olham espantados para a noite que chega de repente. E pouco depois são atingidos pelos ventos supergelados provocados pelas poeiras vulcanicas que cai do céu. Os animais sentem o ar frio queimar seus olhos e pulmões, e em segundos estão mortos enrijecidos nas posições em que estavam. Horas depois o vento diminui, mas durante semanas cai do céu poeira e neve que, lentamente, recobre os corpos congelados dos animais que, como estátuas geladas, acabam sendo totalmente cobertas.

A mudança do eixo da Terra alteraria também o clima da Sibéria – e isso ajudaria a conservar, praticamente intactos, os animais durante os milênios seguintes. Velikovski aponta outros indicios dessa mesma catastrofe como a subita mudança no clima do Alasca, o secamento do grande lago que existe onde hoje é o deserto do Saara e a abertura do estrito de Gilbratar, que provocou o alagamento da região mediterranea pelas águas do Atlantico.

Tudo isso, acreditam muitos cientistas, ocorreu mais ou menos há 10.000 anos. Velikovski acredita que todos esses fatos se explicam pelo mesmo fenomeno cataclismico. Esses são os fatos. Essas são as hipóteses. No entanto, mesmo com os recursos da ciencia moderna, não existem ainda meios para unir todos esses indicios numa única teoria à prova de qualquer duvida. Mas alguns cientistas acreditam que estão na pista certa. E outros ainda mais ousados, chegam a levantar a hipotese de que se algum dia existiu o continente da Atlantida, ele teria afundado naquela mesma época e pela mesma razão. Assim, enquanto na Sibéria morriam os derradeiros gigantes da pré-história terrestre, o Atlantico afundava o continente onde, segundo Homero, existiu a mais brilhante das antigas civilizações da Terra.


* Roberto Pereira, escritor e pesquisador independente português.


Nota

1. Matéria publicada originalmente em português no Blog de RS Maike


Fontes

1. Velikovski, Manuel – Mundos em Colisào,  – Edições Melhoramentos

2. Pereira, Roberto e Lisboa, Carlos Luiz – Grandes Enigmas da Humanidade – Editora Vozes de Petropolis

3. Heuvelmann, Bernard – Sur la piste des Betes Ignorées – Edição de librarie Plon, Paris

This entry was posted in Beyond Science and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

29 Responses to O Enigma dos Mamutes da Sibéria

  1. Espetacular as hipoteses de cientista russo,nao é mesmo? Parabens por ter um pensamento assim!!!

  2. Providos para 2012! Jesus é brilhante, pois por mais vigilantes que possamos nos encontrar ainda assim, virá como um ladrão….
    Cristãos, vos convoco novamente para na sexta feita da Paixão às 15hs horário de Jerusalém, requerer em alta voz: Vem, Senhor Jesus. Jesus é o único capaz de Renovar todas às coisas e abreviar as tribulações, Ele é capaz de quebrantar e purificar corações…

  3. Malquisideck says:

    esse fenome é facilmente explicavel pela Teoria da Terra Oca.

  4. Silvio says:

    Paras mim, a teoria do astro errante passando próximo a Terra é totalmente aceita e vai de encontro aos escritos sumérios.

  5. leandro says:

    Mas o que teria acontecido com os humanos para que podessem ter sido salvos?
    digo dos humanos daquela região (europa)

  6. marcos adriano castro da silva says:

    atlantida sempre foi minha paixao!! como eram, sua cultura, medicina, seus raciocinios de onde vieram como funcionavam sua forma de energia, e comunicaçao. e realmente entrigante e fantastico, adoro historias de povos antigos,

  7. amanda says:

    meu professor mandou eu fazer isso

  8. rubem says:

    Que teoria descabida , os fósseis só aconteceram porque uma mudança brusca de temperatura ocorreu , muito brusca.De outra forma eles apodreceriam.

  9. antonio says:

    esti so prova o diluvio

    • Agarthian says:

      Leste, leste… e não percebeste nada, remetendo para a bíblia…
      deus, deus e mais deus… LOL… não cresçam e evoluam que não vale a pena…
      Estão aqui a falar de teorias e factos científicos… e vêm com “factos” bíblicos (a vida feita de milagres), quando a igreja sempre esteve contra a ciência… enfim… isso é ao que eu chamo de bater com a cabeça na parede e continuar porque está boa aquela “dorzinha”… ahahahah

      • Infelizmente, vc está preso em um aquario de mentiras…o criacionismo científico explica tudo isso…houve somente 1 evento cataclismico que responda todas essas perguntas…O DILÚVIO…que a teoria das hidroplacas responde plenamente…congelamento instantâneo…animais comendo plantas tropicais…tem que ter muita fé no evolucionismo para acreditar numa fantasia dessas de um “cometa” ter passado muito perto da terra e ter causado tudo isso…

        na verdade é cegueira proposital…o óbvio está na cara…mas o povo não aceita porque não quer aceitar…isso não é ciência…isso é anti-religião…ciência procura respostas…mesmo que essas respostas possam vir com a ajuda da bíblia!!!

        • O grande dilema do ateísmo não é se Deus existe ou é subproduto da mente humana, mas se Ele vale a pena. Igualmente, o grande dilema não é se a Bíblia é a palavra de Deus ou se é uma mera coleção de lendas, mas se ela vale a pena. E quando surgem artigos como este; eivado de especulação e disparates, rompendo com a coerência, a ciência e os fatos, lutando contra o óbvio, que de tão óbvio pode ser chamado de “óbvio ululante”, em ocasiões tais é que vemos o grau de alienação a que leva o ateísmo.

  10. Tiago Calhau says:

    Muito bom texto! Parabéns!!! Super interessante realmente!

  11. luis says:

    de fato é um dos melhores texto que já li

  12. Jurandy says:

    Tudo isso ocorreu após o dilúvio. Outros animais foram encontrados em regiões diferentes, indicando que foram arrastados pelas águas. Muitos acreditam nas explicações dos cientistas, mas nunca na Bíblia.

  13. EDINÉA says:

    Eles vieram de dentro da terra oca, onde tem outro mundo igula o nosso.

  14. Saulo de Jesus da Rocha Egito says:

    Obrigado por esta maravilhosa e bem estudada informação.

  15. Francisco das Chagas Cardoso says:

    Vai bem de encontro com a história bíblica. Os cientistas fecham os olhos prá não ver!

  16. Pingback: Mudanca, a Inversao dos Polos Magneticos aconteceu antes… | Thoth3126

  17. Pingback: Inversao dos Polos Magneticos já aconteceu antes… | Life is Beautiful – A Vida é Bela

  18. karmo2010 says:

    Um animal congelado subitamente tem tempo de cuspir o que comeu? Então após ter sido congelado, foi levado pelas águas de uma inundação universal.

  19. Felype says:

    Otimo post amigo
    Parabéns pelo conteúdo de qualidade.. mesmo 4 anos depois da postagem kkkkkkkk

  20. A teoria é falha e spbremaneira especulativa. Não há qualquer indício de tão apocalíptica atividade vulcânica na época do cataclisma. Ademais, mesmo a -100 Celsius haveria alguns minutos para reagir ao frio intenso, o que descarta a posição serena e ereta do animal,bem como a presença de grama na boca.

  21. Amante noob de física says:

    Postulados e mais postulados… Teorias sobre teorias… Tudo baseado em todo o tipo de padrão acadêmico. Ufa. Quanto esforço pra explicar o que há milênios a Bíblia descreve. Dilúvio. Sinteticamente: AS FONTES DO GRANDE ABISMO (água depositada embaixo da crosta terrestre – ou o que alguns chamam de oceano subterrâneo) se romperam sob A PORÇÃO SECA (Pangeia). Com a fricção das placas que se romperam, a temperatura da água subterrânea subiu muito, criou-se uma pressão e, pelos novos canais, a água aquecida subiu a aproximadamente 20 quilômetros. O choque das temperaturas da atmosfera e da água (e também a deriva continental) acarretaram na mudança brusca do clima em algumas regiões do planeta e, portanto, no congelamento instantâneo desses animais. Também causou um período de chuva excessiva. Tanto a água que veio das áreas subterrâneas quanto a precipitação inundou a Terra. O que não falta são evidências do dilúvio. E, pra desespero de ateus, o fenômeno pode ser amplamente baseado na ciência. Mamute congelado, em pé, com capim na boca (no meio de lama), água encontrada há 9 e 12 quilômetros chão a dentro, sedimentos de florestas sob a densa camada na Antártica… Deus seja louvado.

  22. Ismael Ferreira says:

    Resposta a luz da biblia,quando Deus fez a terra ele fez tambem uma grossa camada de vapor que envolvia toda a terra-genesis 1:7,nesta época não havia nem o polo sul nem o polo norte congelado,era como se Jeova tivesse colocado a terra dentro de uma estufa de vapor,então em toda a terra havia um clima moderado e tropical ,portanto na sibéria havia vegetação das quais os mamutes se alimentavam.Quando Jeova ordenou que ocorresse o diluvio abriram se as comportas do céu-7:11,a camada aquosa suspensa derreteu e a terra perdeu seu isolante térmico,a temperatura caiu violentamente para aproximadamente 100graus abaixo de zero pegando desprevenidos os mamutes que pastavam tranquilamente,foram congelados vivos.Lembrem se,a ciencia precisa da biblia mas a biblia não precisa da ciencia,seu autor é Supremo em sabedoria.Um abraço a todos.

  23. Pingback: O ENIGMA PROFÉTICO DA MUDANÇA DO EIXO DA TERRA

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s