Lula é mau conselheiro


O governo brasileiro está prestes a iniciar uma campanha publicitária incentivando os brasileiros a comprar mais para evitar a recessão. É oportuno lembrar que os líderes dos EUA, Grã Bretanha e Canadá deram aos seus cidadãos esses mesmos conselhos após os atentados terroristas de 11 de setembro, contribuindo para aumentar a bolha econômixca que resultou na pior crise financeira desde a Grande Depressão.

Os brasileiros acreditam que serão menos afetados por essa crise global do que outros povos. De acordo com a agência McCann Erickson, mais da metade da população pensa que o país será menos afetado do que seus vizinhos latino-americanos pelas consternações econômicas mundial.

Menos de 30 por cento dos mexicanos e chilenos acreditam que seus países serão menos afetados do que outros.

Se essa campanha irresponsável do governo brasileiro para incentivar o consumo der certo – somado ao otimismo irreal e dos altissimos juros que os brasileiros já pagam – as consequências poderão ser desastrosas (…)

Quando o Brasil começar a sentir o que já foi antecipado pelos mercados financeiros mundiais, o desemprego irá aumentar e renda pessoal diminuir.

Milhões de famílias que feliz seguirem o conselho de Lula, gastando muito nas compras de natal deste ano, poderão estarem quebradas no natal do próximo ano.

A posição do governo Lula de manter as compras é uma mensagem que revela desejos de alcançar o rítimo mais elevado de crescimento econômico para que seu partido conserve o poder até  2010. Também mostra sua incapacidade de compreender a profundidade e extensão do atual colapso financeiro mundial.

“Sem qualquer receio de ser enganado, o Brasil é hoje o país mais preparado para enfrentar esta crise”, disse Lula no mês passado.

Sua autoconfiança mascara suas ineptas ações para combater essa crise – até agora.

Inicialmente o presidente não levou essa crise financeira mundial a sério. “Qual crise? Vá perguntar ao Bush”, disse Lula em setembro.

No início de outubro ele disse que embora a crise tenha sido um “tsunami” para os EUA, causaria apenas uma pequena “ondulação” no Brasil.

Na semana seguinte, a bolsa a Bovespa teve uma queda livre 20%, a moeda caiu 13% (frente dólar americano), o banco central injetou 100 bilhões de reais na economia, e Lula não disse absolutamente nada.

Lula acredita que pode isolar o Brasil do resto do mundo. Ele não pode. Não é possível pois as nações estão conectados em uma economia global.

Para demonstrar que o Brasil está menos dependente os EUA, Lula disse que do total das exportações brasileiras em 2008 (até novembro), somente 14% foi para os Estados Unidos – contra 25% em 2002. Só esqueçeu – ou não sabe – que grande parte das matérias-primas brasileiras exportadas para outros países se transformem em produtos que são vendidos por outros países aos americanos.

O presidente acredita que seu governo pode impedir um redução das atividades econômicas do pais, continuando a gastar pesadamente em infra-estrutura do Brasil. O plano simplesmente não funcionará, pois mais de 90% do orçamento federal é consumido pelas despesas não obrigatórias. E torna-se ainda mais impossível de dar certo depois do governo ter contratado milhares de novos funcionários públicos e de ter concedido aumentos salárias para toda máquina pública federal, deixando apenas 6,1% do total da receita líquida federal disponível para projetos de obras públicas no ano que vem.

Lula disse que os bancos federais do país poderão substituir os bancos privados como os principais fornecedores de liquidez em um mundo de crédito de incertezas e em fase inicial de tribulação. Eles não podem.

Os bancos federais do país possuem menos de 35% de toda a dívida de crédito do Brasil. E no momento não possuem capital real – a não ser se fabricarem cédulas sem lastro, o que provocaria consequências mais danosas ao país à médio e longo prazo – suficiente para satisfazer a crescente demanda de mutuários que baterão às suas portas.

Ao longo dos últimos anos, os consumidores do mundo desenvolvido têm seguido seus líderes políticos a respeito de questões financeiras. Aqueles que seguiram as sugestões de seus governos acabaram, na maioria das vezes, ficando sem casas, empregos e dinheiro.

Agora, consumidores de economias emergentes como o Brasil,  encontrar-se em situações semelhantes. Esperemos que que os brasileiros sejam mais espertos e estejam prevenidos quanto a publicidade, especialmente aquelas oriundas dos seus governantes.


Fonte

1. Business Reporter – 07/12/2008


Nota

1. Tradução livre – Frank Herles Matos

This entry was posted in South America and tagged , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Lula é mau conselheiro

  1. Ana Clara says:

    Lula é um idiota. E mais idiota ainda são os esquerdistas que lhe dão sustentação. Poderemos pagar um preço alto por esse desvio a esquerda do nosso país.
    Acorda Brasil

    • Eduardo Antonio says:

      Concordo com vc, mas eu já fiquei revoltado por esta situação de incompetencia do pt e seus aliados, mas acho que teríamos que passar isto em algum momento. Eles mesmo irão se denunciar e afundar, junto com o BrASIL. Essa quadrilha um dia será desmascarada.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s