Histórias de Vida – Oportunidade


Por Zev Roth *

Em 1950, o sul do Bronx em Nova York era o centro de uma comunidade efervescente, e predominantemente judaica, com sinagogas, Mikves, padarias e açougues kasher – todo o conforto que se poderia esperar numa comunidade judaica observante.

A explosão de nascimento de bebês nos anos do pós-guerra resultou com muita alegria no surgimento de muitos casais que se tornaram pais pela primeira vez. E no sul do Bronx existia uma loja  própria com equipamentos para bebês – Sicker’s. Seu slogan era “Tudo para o bebê”. Mr Sickser, auxiliado pelo seu genro Lou Kirshner, dirigia essa empresa muito lucrativa por causa do crescimento do mercado.  O idioma falado na loja era principalmente o Yidishe, mas a Sickser’s era um lugar onde compravam famílias de judeus e não judeus igualmente.

Num dia de primavera os negócios estavam indo muito bem e Mr. Sickser e o seu genro resolveram contratar alguém com urgência. Mr. Sickser saiu na rua e parou o primeiro jovem que ele viu na rua.

“Caro jovem”, ele falou, “você gostaria de ganhar um dinheirinho extra?  Eu preciso de uma ajuda na loja. Quer trabalhar um pouco?” O menino alto, afro-americano sorriu e disse. “Sim senhor, eu gostaria de trabalhar.” “Bom, então vamos logo ao trabalho”, disse Mr Sickser, e entraram na loja.

Com o tempo, Mr. Sickser e Lou ficaram ambos impressionados com a aplicação do rapaz, seus bons modos, sua pontualidade, e prontidão para aprender.  Logo ele foi contratado.

Desde os seus treze anos, até seus primeiros anos na faculdade, o jovem trabalhou na loja, ganhando 50 a 75 cents por hora. Mr. Sickser e Lou aprenderam sobre as origens jamaicanas do seu ajudante e, em troca, ele aprendeu um bocado de Yidishe.

Com o tempo, o jovem Colin se tornou capaz de falar em Yidishe com os outros funcionários e, ainda mais importante, falava com um bom número de clientes judeus que não eram fluentes em inglês.

Colin estudou engenharia e mais tarde geologia, e ele lembraria mais tarde que Sickser’s ofereceu o único ponto estável na sua vida naqueles dias.

Em 1993, dois anos depois de comandar a vitória americana sobre o Iraque na Guerra do GolfoColin Powell visitou a Terra Santa. No encontro com o então primeiro ministro de Israel, Yitzhak Shamir em Jerusalém, ele saudou o premier israelense com as palavras “Men kent reden Yiddish” (Nós podemos falar Yidishe). Enquanto Shamir, espantado, tentava se recompor do susto, o atual Secretário de Estado dos Estados Unidos continuou a falar no seu segundo idioma favorito. Ele nunca esqueceu os seus dias no Bronx.

* Zev Roth, escritor e pesquisador de histórias de vida da comunidade judaica em todo o mundo; vive atualmente em Israel. Seu mais recente Livro é 10:10 and other timely tales beyond the imagination” – Targum Press, 2008.

Nota

1. Publicado com permissão e extraído do seu livro “The Monsey-Kiryat Sefer Express: True Tales from Two Cities”  – Targum Press, 2002

This entry was posted in Stories of Life and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s