Uma Mulher Árabe Apóia Israel


Por Nonie Darwish *

”Fazer A Paz Requer Aceitação”

Seria um erro pensar que meu apoio a Israel anula meu amor pelos muçulmanos ou pelo Islã, minha origem nacional. Mas, eu tenho muitas razões para apoiar a existência de Israel.

Primeiro, Israel não é uma ameaça às nações árabes. Ninguém em seu juízo perfeito pensaria que Israel iria querer ocupar ou tomar o controle de Damasco, Cairo ou Bagdá! As ditaduras corruptas do Oriente Médio acham muito conveniente apontar Israel e o Ocidente como as causas dos problemas árabes. Deste modo, eles podem continuar governando de forma opressiva, sem muitas ameaças de rebelião interna e sem fazer muito esforço para melhorar as condições de vida da população.

Segundo, Israel é econômica, cultural e historicamente um patrimônio da região. A cultura de Oriente Médio é mais rica com Israel na área. A herança judaica nos liga à origem histórica da região. Os egípcios brincam que o Sinai era um solo improdutivo até que Israel o ocupou entre 1967 e 1973. Naquele curto período, Israel pode construir uma infra-estrutura com alguns hotéis requintados.

Terceiro, eu acredito que os judeus são especiais. Quando eu era criança, freqüentava uma escola palestina e a palavra “judeu” me dava calafrios na espinha. Um judeu era retratado como menos do que um ser humano, um ‘alienígena’ mau vindo do espaço cósmico” que está a ponto de destruir o mundo. Depois que eu me mudei para os EUA, e comecei a interagir com judeus, a questão foi finalmente resolvida: “Judeus são OK”. Eu descobri também que a maioria deles não me discriminou por causa de minha origem. Consegui meu primeiro trabalho com um pequeno comerciante judeu, e quando eu me mudei para meu primeiro apartamento, seus pais adoráveis foram muito generosos ao me dar todos os pratos extras e outras coisas sobrando na casa deles. Eu ainda me lembro de sua bondade até hoje.

Vários anos atrás meu irmão foi levado às pressas para o Hospital de Hadassah, em Jerusalém, e sua chance de sobrevivência era de apenas 3%. Ele ficou inconsciente no hospital durante quase 3 meses. Graças aos esforços heróicos dos médicos e enfermeiras judeus, sua vida foi salva. Eu sei que o Hospital de Hadassah trata de muitos árabes. Minha mãe, que acompanhou meu irmão em Jerusalém, durante os 3 meses, ficou muito impressionada com a bondade e generosidade de todo o mundo ao redor dela, especialmente uma família judia, que morava originalmente em um país árabe, antes das 1948. Eles visitavam meu irmão regularmente no hospital e confortavam muito minha mãe. Por isso eu penso que o povo judeu é especial.

Quarto, eu tenho medo da atual cultura de ‘supremacia’ dos muçulmanos e dos estados policiais totalitários que a maioria dos países árabes têm. O fato de morar nos EUA e desfrutar nossas liberdades simplesmente abriu meus olhos para ver como a situação no mundo árabe está ruim. O ódio muçulmano e árabe aos judeus me assusta e eu sinto que é muito destrutivo para minha alma e humanidade. Você não tem que ser judeu para querer resistir a este ódio. Você só tem que ser um ser humano.

Cada aspecto da cultura e da mídia muçulmanas é engrenado para o ódio e eliminação de Israel. Mas até mesmo se um dia não houver mais nenhum Israel, então o que acontecerá? Eles viverão felizes para sempre? De repente os ditadores árabes começarão a respeitar outros países muçulmanos ao seu redor? Eu não penso assim. Israel é a desculpa por aterrorizar o Ocidente.

A Arábia Saudita e outros estados muçulmanos estão financiando e construindo centenas de mesquitas na Inglaterra, nos EUA e por todo o mundo. Algumas destas mesquitas estão criando e recrutando terroristas e espalhando formas extremistas do Islã, como a mesquita que inspirou John Walker e seus pais a enviá-lo ao Iêmen aos 16 anos para aprender árabe e Islã! Todos nós sabemos o resto da história. Eu gostaria de saber o que aconteceria se nós tentássemos construir uma igreja ou uma sinagoga em um país muçulmano.

Finalmente, eu apóio Israel por causa de sua condução única do Judaísmo, a origem das três grandes religiões. O Oriente Médio será uma cultura muito mais rica se as três religiões puderem florescer e co-existir em paz. Eu desejo que o Islã mostre alguma benevolência e aceite o povo judeu e o Estado de Israel. Eu sonho com um dia em que os muçulmanos dêem boas-vindas e celebrem a existência judaica no Oriente Médio e percebam que a religião judaica não é uma ameaça para eles. Os árabes precisam depor suas armas e agradecer por sua riqueza e terras, do Oceano Atlântico até o Índico.

Vamos rezar para que a sanidade e a razão assumam gradualmente os corações e mentes dos muçulmanos e que Deus lhes dê sabedoria e coragem para coexistir com Israel e outras culturas. Que oportunidade de ouro para os muçulmanos mostrarem ao mundo que a Terra Santa pode ser tornada verdadeiramente santa, dando ao povo judeu o respeito que eles merecem na região! No espírito da paz que o Ex-Presidente Anwar El Sadat do Egito fez com Israel, eu gostaria de estender uma mão para a paz a vocês meus amigos judeus de uma única pessoa de origem árabe e muçulmana.

* Nonie Darwish, editora e tradutora egípcia, vive nos Estados Unidos a mais de 25 anos, já naturalizada norte-americana

Nota

Matéria original em inglês, publicado pela organização Árabes por Israel

This entry was posted in World and tagged , , , . Bookmark the permalink.

One Response to Uma Mulher Árabe Apóia Israel

  1. Bruna Alves says:

    por que voce nao resumiu?
    Ta muito grande!
    Mais o texto e fantastico!
    Ta de parabens!
    Bruna
    12 anos
    Minas Gerais

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s