Sonos e Sonhos – Vitais para uma vida saudável


Por Cristiane A. Medeiros

A Importância do Sono

Trabalhamos diariamente, temos diversas atividades e à noite, cansados, precisamos dormir. E mesmo dormindo as oito horas recomendáveis (para adultos em idade ativa, crianças e idosos precisam dormir mais), algumas vezes acordamos cansados, exaustos !  Por que isto ocorre ?

Ao contrário do que ainda hoje crê e afirma a medicina e psicologia, quando estamos cansados não é somente o corpo e o cérebro que estão exaustos, o espírito e a alma estão com baixas cargas de energia, provocando desintonias vibratórias com o corpo/cérebro. Isto ocorre porque nesta moderna e louca vida muitas vezes somos forçados a priorizar compromissos, a trabalhar mais do que o recomendável, a se alimentar menos do que o necessário e de forma irregular – corrompendo e forçando nosso organismo a fazer malabarismo para continuamente se readaptar à diferentes horas de alimentação !  Se não bastassem estas ações desequilibradores de energias físicas e mentais vitais ao organismo humano, nosso espírito e alma que não estão limitados ao mundo material, necessitam libertar-se do corpo para reabastecer-se de energias espirituais e regressarem ao corpo que habitam ao fim da noite ou inicio da manhã, quando acordamos.

Ao acordamos nossas três fontes vitais de vida (espírito/almamente/corpo) ainda não estão em sintonia. Primeiro desperta o ego (a consciência do corpo) que imediatamente quer comer, receber, ter – processos naturais necessários ao nosso bem estar físico e mental. Minutos depois (tempo individual e variável, dependendo de fatores internos e externos) a alma (intermediária entre o corpo e o espírito) inicia a manifestar-se em forma de pensamentos e ações que estão além das nossas necessidade físicas imediatas. Somente depois o espírito (centelha de Deus que habita em nós, nossa fonte vital superior) começa a manifestar-se, normalmente com pensamentos e idéias de ou para ações humanitárias, de amor, caridade, compaixão, preocupações e bons desejos para com o próximo, etc.

Estas três fontes vitais de vida normalmente são conflitantes, pois possuem consciências e prioridades destintas – isto é natural e faz parte da criação. Harmonizá-las e reduzir esses conflitos ao máximo que pudermos é o desafio maior de cada um de nós, a chave para uma vida material saudável e feliz e, acima de tudo, o caminho seguro para o desenvolvimento espiritual.

A resposta de como fazer estas harmonias e reduzir estes conflitos internos está no interior de cada um. Porém, observando a história da humanidade, vemos que àqueles que obtiveram mais sucesso em harmonizar-se com as fontes vitais de vida (leis da criação) foram exatamente aqueles que priorizaram a consciência do espírito, sem neutralizar as consciências e necessidades da alma e do corpo.

No mundo que vivemos hoje

Como vivemos num mundo atribulado por correrias, motivadas na maioria das vezes por desejos materiais que nunca serão totalmente atingidos – quanto mais temos, mais desejamos ter -, encontramos muitas dificuldades para nos harmonizar com nossas fontes de vida.

Como resultado, a maioria usa hoje mais o ego, a consciência do corpo – o desejo de ter e receber sempre mais e mais para si mesmo. Este desejo a princípio é bom e instintivo em todo ser humano, mas pode originar sérios problemas pessoais, familiares e sociais quando persiste sem controles e torna a pessoa insensível às necessidades do próximo. Neste nível, mesmo sem saber, tornamo-nos egoístas: não redistribuímos e nem compartilhamos com terceiros (carinho, amor, preocupação, paciência, amizade, compreensão, caridade, bens materiais, etc.) energias positivas que diariamente de graça recebemos. Isto gera energias negativas que nos envolvem como um manto de desgraças ou desventuras futuras !

Este processo é lento, quase imperceptível quando o corpo ainda é jovem. Porém, com o passar dos anos o espírito e a alma vão ficando cansados, aprisionados num corpo cheio de energias negativas, desmotivadas para libertar-se do corpo e recarregar-se de energias positivas em dimensões superiores. Quando chegamos a esse ponto, podemos dormir quanto quizermos, sempre estaremos cansados (física e mentalmente), stressados, desanimados, desmotivados, com sentimentos de percas, tristezas e melancolias que não sabemos a origem.

Para evitar que nosso próprio ego nos domine, nos torne prisioneiros de desilusões, solidões, tristezas e dor, devemos conhecer e aprender a respeitar os processos da vida; compreender que nossos espíritos e almas necessitam se libertarem do corpo que provisoriamente habita para alimentarem-se de energias da fonte da criação – Deus.

Por isto, sempre que a cada dia acordar, diga para si mesmo: “Se for abençoado com prosperidades no dia de hoje, que meus olhos se abram e me seja mostrado necessidades de outras pessoas”.

Que são sonhos ?

Ao contrário do que ainda define a maioria dos dicionários, sonhos não são meros “fenômenos psíquicos (imagens, representações, atos, idéias, etc.) que involuntariamente ocorrem durante o sono” e nem muito menos “seqüência de pensamentos, de idéias vagas, mais ou menos agradáveis, mais ou menos incoerentes, às quais o espírito se entrega em estado de vigília, geralmente para fugir à realidade; devaneio, fantasia…”. Estas definições são limitadas e em parte baseadas em Freud, que afirmou: “...quando dormimos, nosso subconsciente desperta; e quando acordamos, nossa mente consciente acorda e o subconsciente adormece”; e que, “… durante o sonho todos nossos desejos frustrados, emoções e pensamentos que foram reprimidos durante o dia, são libertados pela nossa mente inconsciente…”.

A moderna parapsicologia nos afirma que Freud estava parcialmente correto em tipos de sonhos da classe “C”, e nos dar uma definição mais exata afirmando que: “Sonhos são mecanismos interativos da criação humana utilizados como um dos canais de comunicações entre o Criador (e energias positivas da criação; e em certos tipos de sonhos da classe “C”, também energias negativas oriundas de espíritos desconectados com a Luz) e as criaturas, com objetivos de instruções, orientações e evoluções”.

Classes de sonhos – Introdução

Nossos sonhos estão diretamente relacionados com nossos pensamentos, desejos, ações diárias e missões de vida. Independente se de forma consciente ou inconsciente.

Nossa capacidade individual (podemos e devemos aperfeiçoá-la diariamente) de redistribuir e compartilhar com outras pessoas as energias que recebemos do astral determinam nossos tipos e níveis de sonhos, conforme classes abaixo descritas:

Classe C

Não tendo redistribuído ou compartilhado Luz o espírito e a alma normalmente ficam presos ao corpo durante o sono. Isto provoca sonhos obscuros, pouco claros, confusos e, o que é pior, mensagens falsas e mentirosas de espírito pouco evoluídos. Nestes casos quando uma pessoa acorda não sabe se sonhou, sente-se confusa; às vezes têm leve impressão que sonhou, outras vezes  lembra-se superficialmente do sonho, mas lhe é impossível separar as mensagens verdadeiras oriundas do astral superior e as mentiras e brincadeiras vinda do limbo (região de transição para espíritos que necessitam de mais luz).

Classe B

Quem consegue controlar seu próprio ego, redistribuído e compartilhado com terceiros a Luz que recebe diariamente, quando dorme o espírito e a alma libertam-se do corpo e navegam por regiões astrais superiores, se abastecendo de energias, e muitas vezes de mensagens; reciclando-se. Nesta classe estão classificados os sonhos repetitivos, sonhos que normalmente contém mensagens, avisos, alertas e/ou informações especiais, às vezes até das nossas vidas passadas. Ao acordarmos lembramos desses sonhos de maneira muito clara, como se tivéssemos vivido mesmo esse sonho.

Classe A

Esta é a classe mais elevada dos sonhos – os premonitórios, proféticos. A princípio todos seres humanos estão aptos para tê-los, mas somente quem prioriza as ações do espírito sobre as da mente/corpo conseguem sonhar, navegar diariamente  por dimensões de luz, sabedoria e conhecimento. Já lemos ou ouvimos falar de Profetas que entraram em estado de transe e receberam profecias através de sonhos.

Conclusão

Como vimos, sonos e sonhos não são fenômenos isolados, mas duas faces de uma mesma moeda. Portanto, quem deseja dormir bem e ter bons sonhos deve harmonizar suas fontes vitais de vida (espírito/alma e mente/corpo) e implantar em suas vidas pessoais o hábito de ajudar o próximo (não só em termos materiais, mas especialmente com carinho, amor, preocupação, paciência, amizade, compreensão, caridade, etc.), sem desejos de recompensas. Esta ajuda ao próximo é na verdade a redistribuição e compartilhamento de luz que diariamente de graça recebemos do mundo astral superior.

Devemos estarmos sempre atentos às nossas verdadeiras necessidades e priorizar nossas ações conforme nossas missões e objetivos de vida, vendo todos os próximos como irmãos e irmãns – todos filhos(as) de um único Pai/Mãe.

This entry was posted in Health and tagged , , , . Bookmark the permalink.

One Response to Sonos e Sonhos – Vitais para uma vida saudável

  1. elizane says:

    importancia do sono

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s