Idéias e sugestões de quem já aprendeu outro idioma


Por Frank Herles Matos

Se você aprendeu outro idioma, independente se numa escola ou nas ruas, e possui dicas que possa facilitar e/ou acelerar o aprendizado de outras pessoas, por favor, envie-nos suas idéias e sugestões.

Essas idéias e sugestões, necessariamente não possuem base educacional nem são regras de ensino, mas opiniões de quem já passou pela experiência de aprender outro idioma. Sua diversidade é mais uma prova da individualidade no processo do aprendizado humano.

Esperamos que de alguma forma sejam uteis à você.


01. Tempo e paciência: Independente de sua formação educacional aprender uma segunda língua a partir do nada é algo que ocorre de forma natural, lenta e progressiva.

Marcos Antônio Rocha – brasileiro que mora em Ottawa, Canadá


02. Desejo e persistência: Quanto maior for a vontade e mais persistente forem as ações para aprender outro idioma, mais rápido aprenderá. Faça desse desejo uma meta pessoal a ser atingida e dedique pelo menos 1 hora diária para estudo de gramática e conversação.

Anna Bitencourt Andrade – brasileira que mora em Londres, Inglaterra


03. Grupo: Se possui pouco tempo e/ou dinheiro para estudar inglês em uma escola, reúna-se pelo menos 1 vez por semana com amigos(as) que encontram-se em situação parecida com a sua; comprem materiais (livros, cds, vídeos, etc) e estudem em grupo.

Viviane Nunes de Castro – brasileira que mora em Sidney, Austrália


04. Caderno de bolso: Ande sempre com um e anote palavras (e pronúncias) novas. Começe copiando (se possível com a correta grafia, caso contrário, como você entendeu; nesse caso, cheque a grafia e a pronúncia com alguém que fala bem o inglês) palavras que ouve com mais freqüência, seja no trabalho ou ouvindo os nativos conversarem entre si.

Joanna A. Hernandes – chilena que mora em San Francisco, USA


05. Prática constante e persistência: Aproveite todas as oportunidades de falar no idioma que está aprendendo. Inicialmente, mesmo que de forma errada, gagejando, soando, peidando; enfim, parecendo o mais completo idiota ! Seja como for, persista no objetivo de aprender.

Eduardo Pires Albuquerque – brasileiro que mora em New York, USA


06. Aprenda o alfabeto: Decore a correta pronúncia de todas as letras, de frente para trás e de traz para frente. Não importa quanto tempo demore, decorre. E se esquecer a correta pronúncia de uma única letra, faça dela o seu alvo imediato, repetindo mentalmente e em voz alta quantas vezes forem necessárias.

Carmem Maria Assumpson – brasileira que mora na Flórida, USA


07. Aprenda a escrever corretamente: Adquira a hábito de copiar palavras em inglês que já conhece, tantas vezes que forem necessárias para sedimentar em sua mente sua correta grafia.

Tereza Marques de Oliveira – brasileira que mora em Massachusetts, USA


08. Prática solitária das idiotas: Fique em frente de um espelho e repita em voz alta palavras – se possível, frases – que já conhece em inglês. Observe suas expressões faciais quando está pronunciando palavras ou frase num segundo idioma, veja que trabalha com outros músculos do rosto, que quando pronuncia essas palavras ou frases sua língua encosta no topo da boca e muitas vezes enrola-se como um cone! Tudo isto é natural e uma adequação de partes do nosso corpo para podermos pronunciar sons em outros idiomas.

Beatriz Carmem Hustemman – brasileira que mora em Massachusetts, USA


09. Idiomas são como artes maciais: Se você não praticar à exaustão, tantas vezes que perca as contas, aprenderá o inglês de forma muito lenta. Aprender outro idioma é como aprender artes marciais, é necessário praticar à exaustão.

Hu Wang – chinês que mora em San Francisco, USA


10. Jamais se acomode: Mesmo se na sua vida pessoal e profissional houver muitas pessoas que falam seu idioma mãe, tente sempre se comunicar no idioma do país em que agora vive. Alguns acharão que você é meio metido(a) ! Gentilmente diga-lhes que está praticando o idioma que deseja aprender. Se alguns não lhe entender, seja tolerante com eles(as) e consigo mesmo, deixando-os(as) acharem o que bem entenderem.

José Machado Ribeiro – português que mora em New Jersey, USA


11. Habitue-se a repetir palavras ouvidas: Repita mentalmente a palavra que ouviu tantas vezes quanto puder. Quando chegar em casa repita-as em voz alta, de preferência na frente de um espelho. Se alguns vizinhos achar que você está ficando maluco, não se preocupe; o importante aqui é aprender e memorizar novas palavras, adquirindo o hábito de usá-las diariamente em conversações.

Pablo Garcia Mendez – mexicano que mora em Carolina do Norte, USA


12. Estudo e Prática: Se por algum motivo não têm a oportunidade de freqüentar uma escola regular de inglês, reserve pelo menos 30 minutos por dia para estudar gramática, vocabulário e prática (conversação), seja sozinho ou em pequeno grupo. O importante é que mantenha seu desejo em aprender e se conscientizar que até os melhores poliglotas de hoje também passaram por essa fase inicial.

Adriano Dias de Oliveira – brasileiro que mora em Utah, USA


13. Práticas: Se você esta morando no Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Austrália, Nova Zelândia, etc. não perca nenhuma oportunidade de praticar o inglês. Se é iniciante, tente conversar com crianças e jovens. Usualmente eles usam uma linguagem mais simples e direta, possuem mais tempo livre, são mais pacientes e atenciosos.

Danieli Cristianne Reis – brasileira que mora em Quebec, Canadá


14. Aprendendo de ouvido: Aprender inglês a partir do nada, sem freqüentar escola alguma, só ouvindo, observando e quando possível gravando palavras e frases de nativos, é mais fácil do que muitos imaginam: Começe falando as pequenas frases que aprendeu como “Hi, Hello (alô), good morning (bom dia), good night (boa noite), Good see you (bom ver você), etc. Fique atenta, observe, repita e grave frases e inflexões de voz quando ouve alguém falando inglês, pessoalmente, pelo radio, tv ou cinema.

Ruth de Castro Matos- brasileira que mora em Auckland, Nova Zelândia


15. Determine seu ritmo: Sempre haverá àqueles que aprendem mais rápido do que outros, isto é natural e faz parte da diversidade humana. O importante é que você determine seu próprio ritmo de estudos e aprendizado, conforme suas prioridades e disponibilidades.

João Carlos N. Ferreira – português que mora em Montreal, Canadá


16. Tempo de Estudo: É preferível estudar 30 minutos por dia do que 4 ou 8 horas em final de semana.

Maria A. Machado – portuguesa que mora na Califórnia, USA


17. Persistência e tolerância: Se estiver dando os primeiros passos para aprender inglês saiba que essa fase é a mais difícil, horrível na verdade; nela encontrará dificuldades de entendimento, de pronunciação, de memorização e outras. Porém, se persistir no desejo de aprender, sendo tolerante com seus erros e ao mesmo tempo se esforçando para corrigí-los, quando menos esperar iniciará a falar em inglês.

Antonnielle G. Arroyo – argentina que mora em Miame, USA


18. Memorizando frases aleatórias: Para quem vive na América, mesmo não falando absolutamente nada do inglês, com o tempo acaba memorizando algumas palavras desse idioma (termos que ouvirá com freqüência em seu trabalho, de nativos conversando, em rádios, TV e outros). Esse memorização de frases soltas lhe ajudará no aprendizado.

Tiago E. Gomes – brasileiro que mora na Filadélfia, USA


19. Desejo e determinação: Todos nós que agora vivemos nos Estados Unidos podemos aprender inglês se desejarmos e tivermos determinados em aprender. Se como eu, também não possui tempo para freqüentar uma escola, aprenda a falar ouvindo os nativos, prestando atenção, repitindo para si mesma, gravando palavras, sentenças e regras de comunicação.

Maria Anita Carazzo – brasileira que mora em New York, USA


20. Absorção cultural: Quanto mais rápido absorvermos a cultura inglesa, mais rápido aprenderemos o inglês. Isto não significa negar nossas origens, mas vivermos a realidade do presente, sem provincialismos ou hipocrisias xenófobas.

João Eduardo P. Macedo – brasileiro que mora em Liverpool, Inglaterra

This entry was posted in Education & Culture and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Idéias e sugestões de quem já aprendeu outro idioma

  1. sidnei says:

    Um modo muito interessante de aprender e trenar outra lingua ( conforme aprendí com uma professora particular de lingua alemã) é voce providenciar diversas figuras e/ou fotos com adjetivos, substantivos e verbos e brincar de ao olhar a figura, falar de bate pronto o significado. Exemplo figuras com pessoas chorando, rindo, correndo, fanlando, trabalhando etc. fotos de animais, frutas e objetos mais comuns do diad a dia. Faça isso em grupo de pessoas. quando alguem não souber o outro fala e aplica-se algum pequeno castigo, tudo dentro do universo da lingua em que se está aprendendo.
    Outra dicas: procure uma gravação de má qualidade, exemplo: gravação feita na rua por um reporter, com muito ruído, tente ouvir as palavras conhecidas e tente entender o assunto em que se está falando. Pois quando for usar a lingua pra valer não será dentro de um estúdio com locutores que falam bem, más sim no cotidiano com muita gente falando ao mesmo tempo e toso o tipo de ruído.

  2. Antonio de P. Silva says:

    Cara, adorei essas dicas. Vive nos estados unidos por varios anos e lhes garanto que teria evitado muitas dores de cabeças e prejuizos se tivesse lido essas dicas antes.
    Espero que seja lido a tempo por outros no momento…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s