Você é alcoólatra?


“O alcoólismo não tem cura… Estou em recuperação, minha doença está estacionada. Nunca mais poderei beber. Não existe só um gole para um alcoolista… Estamos em tratamento para o resto da vida…” – Luiz Antônio, membro do AA Brasil.

Por Cristina A. Marques

O que destingue quem bebe socialmente, de quem está se tornando alcoólatra e de quem já é alcoólatra?

Segundo o doutor Winfred Overholser, superintendente do St. Elizabeth’s Hospital, em Washington, “…as linhas que separam os que bebem socialmente daqueles que estão se tornando alcoólatras e os que já são alcoólatras é difícel de ser definido pois o mecanismo biológico do alcoolismo ainda é incerto. O que sabemos com segurança é que está interrelacionado com questões pessoais de predisposição genética, saúde emocional e ambiente social. No entanto, em termos genericos, podemos afirmar, com pouca margem de erro, que:

a) O bebedor social - bebe ocasionalmente; não procura motivos para beber; para de beber quando sente que já atingiu seu limite; às vezes vai a alguma evento social e não bebe nada – mesmo com muitos bebendo em sua volta; etc.

b) O provável futuro alcoólatra – bebe com frequência (seja diária ou mesmo só em finais de semanas); procura motivos para beber; têm dificuldade de parar depois do primeiro gole; acredita que pode parar de beber quando desejar; se irrita quando dizem que estar bebendo muito; ocasionalmente diz para si mesmo que vai parar de beber, mas volta a beber na primeira ocasião; troca de bebida (!?); costuma dizer que não é bom misturar bebidas (!?); procura beber depois das 12:00 Horas, mas ocasionalmente bebe antes do almoço; começa a faltar ou chegar atrasado no trabalho por causa de ressacas; iniciar a ter apagões (se lembrando ou não do que ocorreu antes; ocasionalmente esconde bebidas; etc.

c) O alcoólatra – bebe com frequência (independente de horas, locais ou motivações); não luta mais contra o vício; acha que alcoólismo não é doença; bebe tudo que contém álcool; apaga com frequência, nada lembrando ou lembrando-se pouco do que ocorreu antes; etc.

Como saber se você é alcoólatra?

O questionário guia utilizado pelo Alcoólicas Anônimos (organização internacional com mais de 2 milhões de membros – alcoólicas em recuperação – em mais 157 países), quando aplicado por especialistas da saúde ou mesmo se respondido com sinceridade quando auto-aplicado, nos mostra em que ponto do caminho do alcoólismo nos encontramos.

Apesar da simplicidade os 12 pontos abordados neste questionário possui margem de acerto superior a 97,8%. Vale a pena conferir:

1. Já tentou parar de beber por uma semana (ou mais), sem conseguir atingir seu objetivo?

Muitos de nós “largamos a bebida” muitas vezes antes de procurar ajuda. Fizemos sérias promessas aos nossos familiares e empregadores. Fizemos juramentos solenes. Nada funcionou. Agora não lutamos mais. Não prometemos nada a ninguém, nem a nós mesmos. Simplesmente esforçamo-nos para não tomar o primeiro gole hoje. Mantemo-nos sóbrios um dia de cada vez.

2. Ressente-se com os conselhos dos outros que tentam fazê-lo parar de beber?

Muitas pessoas tentam ajudar bebedores – problema. Porém, a maioria dos alcoólicos ressente-se com os “bons conselhos” que lhes dão. (não impomos esse tipo de conselho a ninguém. Mas, se solicitados, contaríamos nossa experiência e daríamos algumas sugestões práticas sobre como viver sem o álcool).

3. Já tentou controlar sua tendência de beber demais, trocando uma bebida alcoólica por outra?

Sempre procurávamos uma fórmula “salvadora” de beber. Passamos das bebidas destiladas para o vinho e a cerveja. Ou confiamos na água para “diluir” a bebida. Ou, então, tomamos nossos goles sem misturá-los. Tentamos ainda beber somente em determinadas horas. Porém, seja qual for a fórmula adotada, invariavelmente acabamos embriagados.

4. Tomou algum trago pela manhã nos últimos doze meses?

Estamos convencidos (por experiência própria) de que a resposta a esta pergunta fornece uma chave quase infalível sobre se uma pessoa está ou não a caminho do alcoolismo, ou já se encontra no limite da “normalidade” no beber.

5. Inveja as pessoas que podem beber sem criar problemas?

É óbvio que milhões de pessoas podem beber (às vezes muito) em seus contatos sociais sem causar danos sérios a si mesmos, ou a outros. Você parou alguma vez para perguntar-se por que, no seu caso, o álcool é, tão freqüentemente, um convite ao desastre?

6. Seu problema de bebida vem se tornando cada vez mais sério nos últimos doze meses?

Todos os fatos médicos conhecidos indicam que o alcoolismo é uma doença progressiva. Uma vez que a pessoa perde o controle da bebida, o problema torna-se pior, nunca desaparece. O alcoólico só tem, ao fim, três alternativas: beber até morrer, ser internado num manicômio ou afastar-se do álcool em todas as suas formas. A escolha é simples.

7. A bebida já criou problemas no seu lar?

Muitos de nós dizíamos que bebíamos por causa das situações desagradáveis no lar. Raramente nos ocorria que problemas deste tipo são agravados, em vez de resolvidos, pelo nosso descontrole no beber.

8. Nas reuniões sociais onde as bebidas são limitadas, você tenta conseguir doses extras?

Quando tínhamos de participar de reuniões deste tipo, ou nos “fortificávamos” antes de chegar, ou conseguíamos geralmente ir além da parte que nos cabia. E, freqüentemente, continuávamos a beber depois.

9. Apesar de prova em contrário, você continua afirmando que bebe e pára quando quer?

Iludir a si mesmo parece ser próprio do bebedor problema. A maioria de nós que hoje nos encontramos., tentou parar de beber repetidas vezes sem ajuda de fora. Mas não conseguimos.

10. Faltou ao serviço, durante os últimos doze meses, por causa da bebida?

Quando bebíamos e perdíamos dias de trabalho na fábrica ou no escritório, freqüentemente procurávamos justificar nossa “doença”. Apelamos para vários males para desculpar nossas ausências. Na verdade, enganávamos somente a nós mesmos.

11. Já experimentou alguma vez ‘apagamento’ durante uma bebedeira?

Os chamados “apagamentos” (em que continuamos funcionando sem contudo poder lembrar mais tarde do que aconteceu) parecem ser um denominador comum nos casos de muitos de nós que hoje admitimos ser alcoólicos. Agora sabemos muito bem quais os problemas que tivemos nesse estado “apagado” e irresponsável.

12. Já pensou alguma vez que poderia aproveitar muito mais a vida, se não bebesse?

Não podemos resolver todos os seus problemas. Porém, no que se refere ao alcoolismo, podemos mostrar-lhe como viver sem os “apagamentos”, as ressacas, o remorso ou o desconsolo que acompanham as bebedeiras desenfreadas. Uma vez alcoólico, sempre alcoólico. Portanto, evitamos o “primeiro gole”. Quando se faz isto, a vida se torna mais simples, mais promissora e muitíssimo mais feliz.

Resultado

Se respondeu SIM a quatro ou mais questões, sinto dizer-lhe, mas ou você já é um alcoólatra ou brevemente o será! Esta categorica afirmação não é mera teoria, mas resultado de milhares de estudos, observações e experiências realizadas com alcoólicos recuperados.

O que é Alcoólismo?

É o consumo consistente e excessivo e/ou preocupação com bebidas alcoólicas ao ponto deste comportamento interfira com a vida pessoal, familiar, social ou profissional da pessoa. O alcoólismo é a maior doença social do nosso tempo, atingindo 12,3% da população mundial. “É uma doença progressiva, incurável e fatal”, resume Nilo, membro do AA Brasil.

E, ao contrário do que muitos imaginam se não tratado a tempo o alcoólismo resulta em doenças psicológicas e fisiológicas, causando a morte de 2,3 milhões de pessoas por ano (3,7% da mortalidade mundial), segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde.

Quando buscar ajuda?

A barreira inicial a ser rompida pela familia e amigos de quem está a um passo para se torrnar alcoólatra é a dificuldade e faze-lo entender que a bebida se transformou em um sério problema em sua vida. Nessas situações a ajuda de familiares, amigos(as) e orientadores do AA – Alcoólicas Anônimos – é imprescindível para o início do tratamento com sucesso.

Tratamentos

Não existe cura para o alcoólismo ou qualquer caso de dependência química. Só existe tratamentos que, por envolver questões de genética, psicologica e biológica são complexos e seus resultados dependem basicamente do estado do paciente. E na grande maioria dos casos o próprio paciente não consegue perceber o quanto está envolvido com a bebida, negando continuamente sua dependência, sua falta de controle e até mesmo o uso! Nestes casos o tratamento é iniciado conscientizando o paciente a reconhecer seu problema, da necessidade de abster-se o álcool e iniciar um tratamento, inclusive com internação para desintoxicação.

Há diversas evidências de que os tratamentos comportamentais cognitivos objetivando melhoras do autocontrole e das habilidades sociais contribuem consistentemente com redução do alcoolismo.

Entre as formas de tratamento mais indicadas atualmente está o programa dos 12 passos – do AA, baseado na aceitação da doença, enfrentamento e prevenção a recaída. Estudos também indicam que o apoio da família no processo de tratamento do alcoólatra contribui decisivamente com a melhora dos resultados.

As recomendações atuais para tratamento do alcoólismo, envolvem duas etapas:

a) Desintoxicação – Geralmente realizada por alguns dias sob supervisão médica, permite combater os efeitos agudos da retirada do álcool do organismo. Dados os altíssimos índices de recaídas, no entanto, o alcoolismo não é doença a ser tratada exclusivamente no âmbito da medicina convencional.

b) Reabilitação – Depois de controlados os sintomas agudos da crise de abstinência, seja por meio de internação ou através de tratamento ambulatorial, os pacientes devem ser encaminhados para programas de reabilitação, cujo objetivo é ajudá-los a viver sem álcool no sangue, como os grupos de auto-ajuda (AA). É oportuno lembrar que as recaídas são comuns nos pacientes alcoólatras.

Tipos de Tratamento

Tratamentos psicossociais, Terapias comportamentais cognitivas, Terapias comportamentais, Terapias psicodinâmicas/interpessoais, Terapia conjugal e familiar e Intervenções Breves.

Familiar precisa de tratamento?

É difícil conviver com membro da família que tem problemas com bebida. Ao invés de tentar controlar esta pessoa ou encobrir o problema, encoraje-a a buscar ajuda no AA e tratamento apropriado. Ainda que seu familiar se recuse a pedir ajuda, vá atrás de ajuda e suporte para ele e para você mesmo.

A onde encontrar ajuda?

Brasil

1. AA Brasil – Plantão 24 Horas:11 3315-9333

2. Alcoolismo – Dê a volta por cima. Marque a região onde mora e veja o endereço mais próximo onde poderá receber ajuda.

Portugal

1. AA Portugal – Para maiores informações: +351 217 167-840

Outros países

1. Links internacionais

Fontes

1. Alcoólicos Anônimos – Brasil

2. Alcoolismo – Dê a volta por cima. Um dos sites referência mundial sobre alcoolismo em português.

3. Alcoólicos Anônimos – Portugal

4. GAABP – Grupo de Alcoólicos Anônimos – Brasil-Portugal

5. Wikipedia

6. Alcoholics Anonymous - World Services, Inc

About these ads
This entry was posted in Health and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

36 Responses to Você é alcoólatra?

  1. Cídia says:

    Meu irmão é alcóolatra, tem 46 anos e não aceita tratamento. Sofremos muito, principalmente minha mãe, pois ele bebe 24 horas, fica agresivo, arrogante, maltrata minha mãe, somos 8 filhos mas só moram ele e minha mãe hoje. Gostaria de saber de algum lugar para ele se tratar e se caso for sem o consentimento dele o que faremos??? Somos de família humilde, não temos condições de pagar um lugar muito caro. Gratuito é muito difícil, só aceitam por 30 dias no máximo e tb se misturam muito, com usuários de drogas pesadas etc….Quando ele está são é o melhor dos irmãos, mas com a bebida………. só tristeza e sofrimento……Apanha na rua, etc.. Hoje minha mãe está com 77 anos e já não aguenta mais tanto sofrimento. Por favor me ajude, me dê respostas… Desde já agradeço : Cídia Maria – Goianá- Minas Gerais

  2. Eulino Veloso says:

    Existe critérios para definir quem consome “álcool” moderadamente?
    Alguém arriscaria dizer qual seria a quantidade para se tornar um “bebedor” descontrolado ou controlado?
    Que eu sei e presencio, de acordo com o escrito acima, a maioria das pessoas que consomem bebidas alcoolicas, é “alcoolatra. Mesmo levando em consideração que bebem apenas “finais de semana”, sabemos todos nós, porque não tem atividades profissionais, se mergulham nas bebidas, numa quantidade que beberiam durante toda a semana anterior, e posterior talvez. Esta mesma maioria não conseguem passar um final de semana sem a bebida, sem uma festa sem bebida, sem uma comemoração sem bebida, etc…etc…etc…
    E aí, que me dizem disto? Existe ou não “parâmetros” para ser um “alcoolatra”.
    Na minha opinião, ingeriu bebida alcoolica, a pessoa é “alcoolatra”. Até porque esta pessoa se transforma rapidamente seu comportamento causando transtornos, mais cedo ou mais tarde, dependendo apenas do organismo de cada um, é claro.
    Grato pelo espaço.
    Eulino.
    Divinópolis-MG

  3. frankherles says:

    Cídia
    O alcoolismo é uma doençca terrrível e deve ser tratado o quanto antes…
    De todos os tratamento conhecidos os que apresentam melhores resultados são aqueles
    onde o próprio paciente (o alcooletra) reconhece seu problema e dar tudo de si (com apoio
    da família e daqueles que o amam) para superar – diariamente – este sério problema…
    No caso de teu irmão a situação é mais problematica porque ele “não aceita tratamento”…
    Infelizmente não temos nenhuma resposta mágica que possa resolver a situação do teu
    irmão, mas sugerimos que entre em contato com AA (Alcoólicos Anônimos), a princípio
    sem ele saber (já que ele não aceita tratamento), para se informar melhor a respeito do
    problema do teu irmão.
    Pelo telefone 11 3315-9333 (Plantão 24 Horas do AA Brasil) você pode conseguir ajuda
    qualificada para tentar ajudar teu irmão. Vá em frente e boa sorte.

  4. frankherles says:

    Eulino
    Segundo os AA da América, “…qualquer pessoa que ao iniciar a ingerir bebidas alcoólica, independente da frequência (se diário, finais de semanas ou mesmo em festas ocasionais), continuamente só param quando estão em ‘estado alterado’, ‘quase-bebado’ ou mesmo ‘bebado’, é alcoolatra (um ‘bebedor’ descontrolado)… em diferentes níveis que continuamente se aprofundam em gravidade.”

  5. mariana says:

    gostaria de saber se tem algum remedio que eu possa dar ao meu filho p/ele parar de beber pois so eu me preoculpo c/ele a esposa nao da a menor ajuda p/mim nem p/ele desde ja agradeço

  6. mariana says:

    gostaria de saber o que posso fazer p/ajudar meu filho parar de beber nao tenho niquem p/me ajudar ele e casado mas a esposa nao liga para nada por isto pesso a ajuda de vcs.

  7. frankherles says:

    Mariana,
    Procure ajuda de especialistas na área.
    Veja no final deste artigo “A onde encontrar ajuda? – Brasil”, e click e abra os links AA Brasil e Alcoolismo (um de cada vez). As páginas que você abrir conterá informações que lhe orientará da melhor forma possível, com dicas, sugestões, endereços e telefones de contatos.
    Boa sorte

  8. ana cecilia says:

    meu marido é pelas descriçoes acima um futuro alcolatra (e a parte genetica ajuda o pai é e o avo era ) e eu ja falei que ele vai ficar alcolatra igual o pai mas ele nao me escuta acha que bebe e pode parar quando quiser o prblema é que ele nunca quer todo final de semana bebe ate cair e tem aqueles apagoes sabe amo meu marido mas eu nao quero viver com uma pessoa alcoolatra me ajudem a ajuda-lo POR FAVOR é muito triste ver o futuro de uma pessoa que se ama e nao saber o que fazer

    • frankherles says:

      Ana,
      Situações como a tua e de milhares de outros realmente é grave e exige ação imediata. Ele precisa de ajuda profissional – endereços e telefones vc encontra nop corpo do artigo. No entanto, para esses prossifionais agirem, o teu marido deve se conscientizar do seu real estado de alcoólatra para, a partir desse ponto construir uma firme auto-determinação de parar de beber. Segundo diverssas persquisas médicas, paramédicas e de profissionais da área de Alcoólatras Anônimos, a conscientização do estado de alcoólatra é a etapa mais difícel de todo o processo, e somente “…um tratamento de choque fará o AI – Alcoólatra Inconcinete se tornar um AC – Alcoólatra Consciente.” Para superar essa difícel fase, há diversas sugestões de espacialistas, variáveis conforme características sócioculturais do AI. Alguns exemplos:
      1 – Família. Esta é a célula de maior apoio e suporte do AI (e inúmeros outros casos). É aqui, através de reuniões familiar (envolvendo inclusive pais, irmãos e irmãns do AI) que as cartas devem ser postas sobre a mesa e, de forma amorosa, mas firme, mostrar para o AI o nível de dependência e efeitos do álcool sobre ele. Há casos de famílias que filmaram e/ou fotografaram seus parentes AI quando em estado de embriaguês (falando besteira, vomitando, caíndo, etc.) e usaram esses material de diversas maneiras: em reuniões familiar, enviando anônimamente para cíclo de amigos pessoais e de trabalho do AI e até mesmo publicando na internet, jornais, etc. – Nesses exemplos o AI se conscientiza de seu real estado de alcoólatra através de pressões diretas e psicológicas, oriundas de diversas fontes.
      2 – Religião. Há poucos casos da alcoólatras (mesmo inconscientes) nos muçulmanos e judeus praticantes. Além de ser proíbido beber álcool a vigilâncias dessas comunidades religiosas é permanente. Se o AI for um cristão praticante, por exemplo, seu padre ou pastor poderá ajudá-lo a necessária e imprescendível conscientização de sua real condição e, necessidade de tratamento.
      3 – Vaidades e objetivos pessoais. Fazer com que o AI tenha acesso a informações científicas ou casas da vida real (imagens e vídeos, especialmente) onde os alcoólatras (especialmente os AI, que possuem melhores condições de tratamento e recuperação) onde vincule o alcoólismo com esterelidade, perca de potência sexual, redução da capacidade de memória, rápido envelhecimento, potencialização de enfermidades e anticipação da morte…
      Superada essa mais difícel e dolorosa fase o AI – Alcoólatra Inconcinete torna-se o AC. A partir desse ponto inicia-se o tratamento de desentoxicação do organismo (e nos AI, isso é geralmente bastante rápido) e a persistência na total abstinência do álcool, com orientações e acompanhamentos dos AA e apoio amoroso (mas firme) da família.
      Boa sorte…

  9. Walter Schmeiske says:

    Alcoolismo não tem cura.

    Esta é uma grande mentira!…

    Conheço muitas pessoas que se livraram do alcoolismo quando apegaram a alguma igreja, e isso tem mais de 40 anos.
    Então? não é tempo suficiente para que se diga que que deixou de ser um alcoólatra?

    Tenho participado de muitas palestras acerca do vício, mas o que mais dói são os profissionais da área dizerem que o alcoolismo não tem cura e tiram as esperanças dos ente queridos.

    Pelo que presenciei até agora, é falta de responsabilidade dos psicólogos, psiquiátras e profissionais da saúde dizerem que alcoolísmo não tem cura. Eles sim, são doentes, pois repetem as frases que aprendem nas faculdades.
    Esse povo que trabalham na área, precisam de tratamento!
    O que estou dizendo nãícioo
    é um desabafo, é sério!
    Todo vício tem cura, quando o viciado quer.

    VIVA A ESPERANÇA!

    • frankherles says:

      Walter
      Entendo e respeito seu ponto de vista. Os profissionais da saúde (em todo o mundo) dedicado a essa área trabalham não somente com fatos pessoais e reais, diariamente, como com dados estatísticos de diversas origens sobre essa questão. E os estudos conhecidos afirmam categoricamente que “…Alcoolismo não tem cura, deve haver uma abstenção total e permenente guiada pela contínua auto-determinação, inicialmente sob orientação de especialistas.” Há casos registrados de alcoólatras que pararam de beber por mais de 50 anos e depois retornaram após um único gole; assim com também há casos de pessoas que pararam de beber e jamais retornaram à bebida”. Em muitos aspectos a doença do alcoólismo é similar à doenças psicológicas, cada caso é uma caso.
      De um aspecto você está 100% correto, todo vício tem cura quando o viciado deseja – no caso do alcoólismo, esse querer deve ser para o resto da vida. A as religiões podem ajudar muito nesse objetivo…

  10. ketlen says:

    Gostaria de saber se quando a esposa e os filhos ja fizeram de tudo, mas nada adiantou, estamos sozinhos a familia do outro lado não quer saber todos deram as costas, mas com toda razão, pois ele é tenebroso em suas atitudes e todos tem medo dele pois é altamente agressivo nas ações e tbm nas palavras. Neste caso é aconselhavel abandoná-lo, ir a justiça e retirá-lo do lar como bandido ou sei lá oque ou é pior. Não aguentamos mais sem dizer que ele queima e quebra tudo em casa.

  11. Mari says:

    Meu namorado é uma pessoa que bebe todos os finais de semana. É imprescindível um sábado com sua cervejinha. No entanto, ele é o tipo da pessoa que não sabe a hora de parar de beber, bebe até ficar muitíssimo alterado, o que, já gerou muitas brigas entre nós, mesmo eu fazendo de tudo pra não brigar nesses momentos de embriaguez. Ah, ressaltando que eu não bebo.

    Antes eu achava que tudo isso era relacionado ao lazer dele… Querer sair pra praia ou barzinhos aos sábados e beber, como ele diz, socialmente….. Realmente isso não tem nada de anormal no dia a dia de um jovem.

    Quando eu implicava com essa rotina inabalável, comecei a achar que eu era que era a chata ou que o problema é que, como eu não bebia, acabava sendo crítica demais.. No entanto, eu percebo que é diferente e que o problema não sou eu.

    Comecei a me chatear com essa rotina constante de bebidas e passei a perceber bem mais o grupo de amigos com quem ele anda, o comportamento deles e etc.

    A primeira coisa que percebi é que ninguém fica bêbado na velocidade que meu namorado fica. Ele bebe muito rápido, e portanto, fica bêbado bem antes dos demais.

    A segunda coisa que percebi é que os amigos sabem a hora de parar de beber. Se vão à praia, param quando vão ter compromisso mais tarde ou simplesmente param porque já deu. Muitos chegam nos cantos e bebem refrigerante, água… Pra só mais tarde beber algo alcóolico. Meu namorado não. Ele bebe direto, não sabe a hora de parar, bebe até ficar chato e, se tiver compromisso naquele mesmo sábado, é provável que ele falte, pois vai beber tanto que vai cair no sono.

    Depois que ele faltou a uma formatura que iria comigo no sábado da semana passada, porque bebera das 10h até às 17hs, além da chateação natural, decepção e todos os sentimentos que possam imaginar, passei a pensar sério no alcoolismo.

    Meu relacionamento está por um fio, pois não acho nada disso normal. Mas, ao mesmo tempo, sei que ele é uma boa pessoa e por valorizar os outros dias da semana, busco ajuda para o que se trata dos sábados.

    Pra completar, ele tem um tio alcoolatra.

    Enfim, se ele já não for alcoolatra, um dia eu acredito que vai ser. O que posso fazer para ajudá-lo quando ele não reconhece ter problemas? Sobre o ponto de vista de vocês, ele pode ser considerado alccolatra?

  12. Luciano says:

    estou lendo tudo isto hoje,, já bebi hoje e estou bebendo,, sinto que já estou quase alcoolatra, nao penso em parar de beber, (só bebo cerveja, as vezes vinho) , trabalho muito e não costumo faltar meus compromissos por causa da bebida,,, mas todos os tempos vagos estou sempre com uma cerveja, . De 18 a 20 anos tive envolvimento com drogas (cocaina) mas conseguí saí sosinho , foi dificil mas ja se foram 7 anos e isso nem se passa mais pela minha cabeça , mas nesse periodo que o consumo de alcool aumentou (acho que para compensar) hoje se eu nao beber acho que nada tem graça.. por isso acho que ja estou ficando alcoolatra , e o pior, nao tenho vontade de parar , mas ja reconheço isso !!! Das drogas foi um tanto facil,,, agora acho que da bebida vai ser mais dificil,, fazer o que!? a bebida é a droga licita do seculo!!! abraços a todos

  13. Luciano says:

    estou lendo tudo isto hoje,, já bebi hoje e estou bebendo,, sinto que já estou quase alcoolatra, nao penso em parar de beber, (só bebo cerveja, as vezes vinho) , trabalho muito e não costumo faltar meus compromissos por causa da bebida,,, mas todos os tempos vagos estou sempre com uma cerveja, . De 18 a 20 anos tive envolvimento com drogas (cocaina) mas conseguí saí sosinho , foi dificil mas ja se foram 7 anos e isso nem se passa mais pela minha cabeça , mas nesse periodo que o consumo de alcool aumentou (acho que para compensar) hoje se eu nao beber acho que nada tem graça.. por isso acho que ja estou ficando alcoolatra , e o pior, nao tenho vontade de parar , mas ja reconheço isso !!! Das drogas foi um tanto facil,,, agora acho que da bebida vai ser mais dificil,, fazer o que!? a bebida é a droga licita do seculo!!! abraços a todos!!!!

  14. Ricardo says:

    Meus pais são alcoolatras,alguem sabe me dizer se é muito caro o tratamento?
    como posso fazê-los aceitar e começar a se tratar? se alguém puder me ajudar obrigado!!!

  15. Eli says:

    Mari says:
    February 6, 2011 at 2:02 PM

    Estou na mesma situação quase, vivo o mesmo personagem que o namorado dela.
    A historia dela se parece muito com a minha.
    Chega na Sexta-feira é como um alarme que dispara pra ir todo feliz pro bar beber com os amigos pra relaxar da semana estressante.
    Quando bebo não estou mais conseguindo parar e ja tenho inumeras historias de micos que fiz. To achando que estou no inicio do Alcoolismo.

  16. Fran says:

    tenho … anos e bebo muito e todo mundo pedi para mim para quando todos já viu qe ja deu .. mas eu n paro quanto mais eu bebo mas eu qero beber ;\

    • frankherles says:

      Sugiro que entre em contato com AA mais próximo de voce – veja nr. de telefones, fax, endereços de e-mail e sites nesse artigo.. É sua saúde, sua felicidade, sua vida que esta em jogo. Milhões de pessoas em todo o mundo já trilharam esse caminho e se desejar voce também pode…Boa sorte.

  17. silvio says:

    meu nome é Silvio. tenho 41 anos e acho que já nasci alcoolatra ,parei uns 4 anos, por isso acho que posso parar a qualquer hora , mas a realidade é outra, bem diferente,pois de uns anos pra cá, estou tomando cerveja todo dia tem dias que é uma só, tem dias que é umas 6 garrafas,tá muito difícil parar ,acho que vou pedir ajuda ao AA, vou ver se na minha cidade tem, vou começar a frequentar, pois estou arriscando perder minha família, e a cerveja nao vale isso, me ausentei da igreja pois fico com vergonha de ver meus irmãos passando e me vendo bebendo no bar, muitos falam que o alcoolismo nao tem cura, mas eu acho que se alguém falar que tem cura, ia ajudar pois de que adianta a pessoa ir no AA,sabendo que nao tem cura, é a mesma coisa de chover no molhado. A pessoa precisa ter um incentivo mesmo que não real. precisa acreditar em algo, para poder se agarrar com toda a sua força.
    Deus vai me ajudar a passar por mais esta àrdua tarefa, mas vou vence-la, pois a vida é mais importante e preciso cuidar da minha esposa pois ela só pode contar comigo…não tenho filhos por isso tenho que vencer esse vício maldito.

  18. Ralf says:

    Nossa, entrei na internet justamente para procurar o que é ser alcoólatra.
    Infelizmente pelo que li sou um alcoólatra. Na maioria das vezes que bebo sempre quero tomar a saideira. Muitas vezes quando saio com minha namorada, bebo 3,4 garrafas e consigo me controlar, mesmo querendo beber mais.
    Ela sempre briga comigo e fala que não vai mais aguentar, pois fico ruim de mais nas festas e realmente mudo muito do que sou sóbrio para quando estou bêbado.
    Geralmente dou um tempo de beber, geralmente um mês e depois volto.
    No mês passado parei novembro, só que nesse mês voltei feroz.
    Muitas vezes bebo em casa e depois que já estou ruim saiu para beber mais, bebo só cerveja. Só que ai saio de carro (irresponsabilidade) e fico bebendo em posto ou em botecos. No outro dia fico todo deprimido e muitas vezes tentando lembrar tudo; é muito ruim.
    Realmente sei que não tenho controle acho que o melhor é parar de beber definitivamente, a questão é que quando fico sem beber tudo fica sem graça, não tenho vontade de sair, fico desanimado para tudo. Eu consigo ficar sem beber, desde que não comece. Terça fui tomar uma para relaxar e adivinha, tomei 10 garrafas sozinho. Ainda fui para posto.
    Muito difícil isso, desde criança via sempre o pessoal da família bebendo em festa. Comecei assim com 13 anos em uma virada de ano tomando champanhe!!!! Na minha família sinônimo de festa é cerveja!!! O problema é que muitas vezes fico inconveniente, já briguei, bati carro, falei o que não devia.

    Gostaria de saber o que fazer para ser feliz sem beber, como curti nas festas, sendo que a graça sempre foi a bebida para mim???

    Obrigado

    • Reginaldo says:

      Eu tenho exatamente o mesmo problema. Idêntico… Lendo seu depoimento parecia que eu tinha escrito. Larga, Amigo! Eu tô tentando também… Fique com Deus!
      Sucesso

  19. eu bebo pra kralho e sinceramente foda-se tudo e todos!!!!

  20. marcio says:

    Jesus em primeiro lugar:” Se o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Buscar grupo de auto-ajuda (A.A.) 12 passos e buscar apoio familiar. Que Deus abençoe a todos quantos leêm o que escrevo dando-lhes forças para superar tal doença.

  21. Ana Paula says:

    Ana Paula
    Estou escrevendo pois estou passando por um momento,muito dificil da minha vida ,por causa da bebida,conheci um cabeleleiro que me disse que era alcolatra .
    O pai sempre bebeu, ele bebia e fazia uso de droga tb, tem hepatite e cirrose, nos primeiros dois anos, que ficamos juntos nunca bebeu , fez o tratamento da hepetite , mais parece que quando soube, que tinha sarado , ai começou o inferno , bebe conhaque, maritne e cerveja mais aprecia mesmo o conhaque , ja ficou internado em varias clinicas , ja fugiu de varias , teve uma moto , caiu com ela ano passado , ,pq estava bebado deu perda total .
    ano passado , ,bebeu mais ou menos por cinco meses .
    Parou de beber por uns sete meses , e começou de novo em abril desse ano , mais era so bebida no começo , ai começou a fumar maconha , ,beber conhaque todo dia , e tenho certeza que esta em coisa pior , pois anda mentindo , muito não cumpri com o que fala , passa fim de semana fora de casa , diz que vai trabalhar e nem vai , não acredito mais nele , esta com heatite de novo e a um mes , coloquei ele pra fora de casa pois ainda chegou um papel da policia que ele tinha que se apresentar na delegacia e eu nem imagino o pq e eu ja fiz de tudo , cuidei dele com hepatite , eu sustentava a casa no começo , chequei no meu limite , fiquei muito triste, mais tive que usar a razão inves do coração pois gosto dele mais tenho que gostar mais de mim pois ele nada faz pa reverter o quadro o pastor da nossa igreja quer ajudar mais esta dificil

  22. Eu acho que a maioria só assume que é acoolatra quando perde o rumo da vida,mas no nosso país ,existe uma apologia ao consumo da bebida,é um ritual beber todos finais de semana,tem gente que faz estoque de bebida em casa,tem gente que acha que beber significa felicidade,precisa se anestesiar bebendo,parece que não suporta a realidade,estando sóbrio.É triste ver pessoas maravilhosas ,se perdendo neste vício,mas é algo que ouvi,tem gente que aprende por amor ou aprende na dor.

  23. Jake says:

    Eu sou mulher tenho 28 anos e estava me afundando na bebida, meu pai já foi alcoólatra e conseguiu parar de beber, mas minha mãe e ate hoje…e eu estava indo pro mesmo caminho…decidi parar de beber e há 4 meses sem nada de álcool. E quando saio levo suco ou terere pra tomar…e consigo me divertir ate mais vendo os bêbados dando bafo…

  24. Jake says:

    Como êh ridículo ficar bêbado…as pessoas ficam sem pudor, sem vergonha na cara…descaradas…agora penso em internar a minha mãe em um hospício para desintoxicar…depois ela mesma vai perceber q foi a melhor coisa q fiz…ela nao tem consciência do q e melhor pra ela ainda…mas nao vou esperar ela morrer….

  25. Jake says:

    Meu casamento acabou por causa da bebedeira do meu esposo. E lamentável ver q os jovens estão se afundando na bebida…quem ama seus filhos nao deixa os nunca colocar bebida na boca…todos q bebem rotineiramente pode virar um alcoólatra descontrolado…evitar e a melhor solução…

  26. Thiago Reis Messias says:

    Eu sou alcoólatra e me orgulho disso! Obrigado!

  27. jalisson says:

    gente,atualmente estou passando por grandes provas com minha familia devido ao alcoolismo do meu irmão ,queremos ajudar mas não tem como fazer isso pq ele não quer si ajudar.
    minha mãe tá morrendo ,,,ela é hipertênça ,corre o risco de infarta qualquer horas dessas,pq ela se preocupa d + com ele.
    quero saber o que eu posso fazer para amenizar esse fato.

  28. Junio abreu says:

    Junio Abreu!
    eu bebo so aos finais de semana! nem todos bebo! sei o momento de comecar e o momento de parar! Nao bebo cerveja e nem destilados! curto mesmo e vinho chileno ou Argentino! e nao consigo tomar que duas Garrafas de Vinho!Claro duas garrafas na cia de alguem! sozinho tmb nao consigo tomar duas Garrafas! entao nao me considero um alcoolatra! Sera que sou?rs

    • frankherles says:

      Não sou médico e nem muito menos especialista em alcoolismo. No entanto, um aspecto em comum em todos os vícios é que cedo ou tarde todos organismo se adaptam – em níveis pessoais – à todos os tipos de drogas; sendo comum, após essas adaptações, os organismos exigirem cada vez mais drogas para atender ás anomalias já provocadas no organismo pelas dosagens anteriores.

      Outra questão que deve ser seriamente analisada é se há na família ancestrais alcoólicos que possam ter transmitido gens mais aptos para o vício do que para a abstinência.

  29. Milleniun says:

    Eu tenho 16 anos, e comecei a beber com 14.. inicialmente eu bebia coisas muito fortes(cachaças) até cair, todos os finais de semana, por uns 4 meses…
    conforme fui ficando de castigo, parava, mas assim ganhava liberdade, voltava a beber de novo, até um dia que entrei em coma alcoolico.
    Depois do coma alcoolico, passei uns meses sem beber, e qndo voltei a beber, percebi que fiquei muito mais resistente á bebida. Podendo passar uma noite inteira bebendo cerveja sem me afetar muito. E sinto q meu organismo está limitado ao alcool. Pq bebo bebo bebo, e chega uma hora q eu paro de beber, mesmo nao estando tão afetada.

    Enfim, tenho saido com pessoas maiores de idade q pelo q percebi, ja são alcoolatras. Bebem a noite inteira, e por mais que ja estejam no chao, caidos, sempre querendo mais e mais bebida. Sem fim. Além de se drogarem tbm…
    Eu me preocupo com uma dessas pessoas, q tem problemas financeiros, dividas grandes pra pagar pra traficantes, tem filho de 10 anos e um sobrinho de 2 pra criar.. e gasta dinheiro em bebidas, e mais bebidas e mais bebidas… e essa pessoa nao cumpre com nada, tanto no trabalho, tanto com a familia, tanto com qualquer coisa, em função de ressacas, e bebidas,..

    O problema é que a pessoa sabe que está ferrada, sabe que precisa de ajuda, mas não faz por onde, por causa do círculo social, que também está na mesma situação.
    Entao, é bem melhor qndo tem alguem que tem o mesmo problema q tu, e entao ficar ferrados juntos.

    Só q eu nao sei como eu vou ajudar essas duas pessoas, se essas duas pessoas se divertem dessa forma, juntas, mas sabem q isso só traz consequências, dívidas, mais consequências, e problemas sociais…
    E q a familia também, precisa de q parem com isto. Porque o filho de 10 anos, ja é adolescente, e logo vai cair nessas também, ainda mais qndo descobrir q o responsável faz essas coisas… q belo exemplo.. q futuro vai ter essas crianças??
    Me preocupo com meus amigos cara… mesmo conhecendo a pouco tempo (4 meses) .. mas isso é mt triste, e das poucas noites q sai c eles, só me trouxe problema.

    Mts dizem q devo me afastar, mas nao q eu nao goste de beber, pq né, é sempre bom uma farrinha. Mas é q eles nao tem limite, eu queria mt ajuda-los, sem ter de me afastar

  30. elizabete de souza says:

    eu sou alcolatra comecei a beber por cusa que devo a um agiota
    ]

  31. elizabete de souza says:

    tou bebendo agora

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s