Por que os judeus não acreditam em Jesus?


Por Rabino Shraga Simmons*

Por séculos os judeus foram perseguidos por sua fé e prática religiosa. Muitos tentaram impor suas idéias e aniquilar o judaísmo. Nem as cruzadas, nem a inquisição implacável, nem os pogroms conseguiram manipular nossas almas cumprindo seu intento.

O judaísmo mantém sua chama sempre viva.

A história comprova: os judeus continuam rejeitando o Cristianismo. Por quê?

Porque somos simplesmente judeus, nascemos e vivemos o judaísmo e temos nossas próprias convicções.

Mas quando judeus são seguidamente questionados sobre esta questão e não-judeus frequentemente perguntam: “Por que os judeus não acreditam em Jesus?” Preparamos alguns argumentos com o objetivo, não de depreciar outras religiões, pois respeitamos a todos e por esta razão não fazemos proselitismo, mas sim apenas para esclarecer a posição judaica.

1. Jesus não preencheu as profecias messiânicas

O que o Messias deveria atingir? A Torá diz que ele:

a – Construirá o terceiro Templo Sagrado (Yechezkel 37:26-28)

b – Levará todos os judeus de volta à Terra de Israel (Yeshayáhu 43:5-6).

c – Introduzirá uma era de paz mundial, e terminará com o ódio, opressão, sofrimento e doenças. Como está escrito: “Nação não erguerá a espada contra nação, nem o homem aprenderá a guerra.” (Yeshayáhu 2:4).

d – Divulgará o conhecimento universal sobre o D’us de Israel – unificando toda a raça humana como uma só. Como está escrito: “D’us reinará sobre todo o mundo – naquele dia, D’us será Um e seu nome será Um” (Zecharyá 14:9).

O fato histórico é que Jesus não preencheu nenhuma destas profecias messiânicas.

2. O cristianismo contradiz a teologia judaíca

a - D’us em três?

A idéia cristã da trindade quebra D’us em três seres separados: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Mateus 28:19).

Compare isto com o Shemá, a base da crença judaica: “Ouve, ó Israel, o Eterno nosso D’us, o Senhor é UM” (Devarim 6:4). Os judeus declaram a unicidade de D’us todos os dias, escrevendo-a sobre os batentes das portas (Mezuzá), e atando-a à mão e cabeça (Tefilin). Esta declaração da unicidade de D’us são as primeiras palavras que uma criança judia aprende a falar, e as últimas palavras pronunciadas antes de morrer.

Na Lei Judaica, adorar um deus em três partes é considerado idolatria – um dos três pecados cardeais, que o judeu prefere desistir da vida a transgredir. Isto explica porque durante as Inquisições e através da História, os judeus desistiram da vida para não se converterem.

b - Um homem como deus?

Os cristãos acreditam que D’us veio à terra em forma humana, como disse Jesus: “Eu e o Pai somos um” (João 10:30).

Maimônides devota a maior parte do “Guia para os perplexos” a idéia fundamental que D’us é incorpóreo, significando que Ele não assume forma física. D’us é eterno, acima do tempo. É infinito, além do espaço. Não pode nascer, e não pode morrer. Dizer que D’us assume forma humana torna D’us pequeno, diminuindo tanto Sua Unidade como Sua Divindade. Como diz a Torá: “D’us não é um mortal” (Bamidbar 23:19).

O Judaísmo diz que Messias nascerá de pais humanos, com atributos físicos normais, como qualquer outra pessoa. Não será um semi-deus, e não possuirá qualidades sobrenaturais. De fato, em cada geração vive um induvíduo com a capacidade de tornar-se o Messias. (veja Maimônides – Leis dos Reis 11:3).

c – Um intermediário para a oração?

É uma idéia básica na crença cristã que a prece deve ser dirigida através de um intermediário – i.e., confessando-se os pecados a um padre. O próprio Jesus é um intermediário, pois disse: “Nenhum homem chega ao Pai a não ser através de mim.”

No Judaísmo, a prece é assunto totalmente particular, entre cada pessoa e D’us. A Torá diz: “D’us está perto de todos que clamam por Ele” (Tehilim 145:18). Além disso, os Dez Mandamentos declaram: “Não terá outros deuses DIANTE DE MIM,” significando que é proibido colocar um mediador entre D’us e o homem. (veja Maimônides – Leis da Idolatria cap. 1).

d – Envolvimento no mundo físico

O Cristianismo freqüentemente trata o mundo físico como um mal a ser evitado. Maria, a mais sagrada mulher cristã, é retratada como uma virgem. Padres e freiras são celibatários. E os mosteiros estão em locais remotos e segregados.

Em contraste, o Judaísmo acredita que D’us criou o mundo físico não para nos frustrar, mas para nosso prazer. A espiritualidade judaica vem através do envolvimento no mundo físico de maneira tal que ascenda e eleve. O sexo no contexto apropriado é um dos atos mais sagrados que podemos realizar.

O Talmud diz que se uma pessoa tem a oportunidade de saborear uma nova fruta e recusa-se a fazê-lo, terá de prestar contas por isso no Mundo Vindouro. As escolas rabínicas ensinam como viver entre o alvoroço da atividade comercial. Os judeus não se afastam da vida, elevam-na.

3. Jesus não personifica as qualificações pessoais do Messias.

a – Messias como profeta

Jesus não foi um profeta. A profecia apenas pode existir em Israel quando a terra for habitada por uma maioridade de judeus. Durante o tempo de Ezra (cerca de 300 AEC), a maioria dos judeus recusou-se a mudar da Babilônia para Israel, e assim a profecia terminou com a morte dos três últimos profetas – Chagai, Zecharyá e Malachi.

Jesus apareceu em cena aproximadamente 350 anos após a profecia ter terminado.

b – Descendente de David

O Messias deve ser descendente do Rei David pelo lado paterno (veja Bereshit 49:10 e Yeshayáhu 11:1). Segundo a reivindicação cristã que Jesus era filho de uma virgem, não tinha pai – e dessa maneira não poderia ter cumprido o requerimento messiânico de ser descendente do Rei David pelo lado paterno!

c – Observância da Torá

O Messias levará o povo judeu à completa observância da Torá. A Torá declara que todas as mitsvot permanecem para sempre, e quem quer que altere a Torá é imediatamente identificado como um falso profeta. (Devarim 13:1-4).

No decorrer de todo o Novo Testamento, Jesus contradiz a Torá e declara que seus mandamentos não se aplicam mais. (veja João 1:45 e 9:16, Atos 3:22 e 7:37).

4. Versículos bíblicos “referindo-se” a Jesus são tradições incorretas

Os versículos bíblicos apenas podem ser entendidos estudando-se o texto original em hebraico – que revela muitas discrepâncias na tradução cristã.

a – Nascimento virgem

A idéia cristã de um nascimento virgem é extraído de um versículo em Yeshayáhu descrevendo uma “alma” que dá à luz. A palavra “alma” sempre significou uma mulher jovem, mas os teólogos cristãos séculos mais tarde traduziram-na como “virgem”. Isto relaciona o nascimento de Jesus com a idéia pagã do primeiro século, de mortais sendo impregnados por deuses.

b – Crucifixão

O versículo em Tehilim 22:17 afirma: “Como um leão, eles estão em minhas mãos e pés.” A palavra hebraica ka’ari (como um leão) é gramaticalmente semelhante à palavra “ferir muito”. Dessa maneira o Cristianismo lê o versículo como uma referência à crucifixão: “Eles furaram minhas mãos e pés.”

c - Servo sofredor

Os cristãos afirmam que Yeshayáhu (Isaías) 53 refere-se a Jesus. Na verdade, Yeshayáhu 53 segue diretamente o tema do capítulo 52, descrevendo o exílio e a redenção do povo judeu. As profecias são escritas na forma singular porque os judeus (Israel) são considerados como sendo uma unidade. A Torá está repleta de exemplos de referências à nação judaica com um pronome singular.

Ironicamente, as profecias de perseguição de Yeshayáhu referem-se em parte ao século 11, quando os judeus foram torturados e mortos pelas Cruzadas, que agiram em nome de Jesus.

De onde provêm estas traduções erradas? S. Gregório, Bispo de Nanianzus no século IV, escreveu: “Um certo jargão é necessário para se impor ao povo. Quantos menos compreenderem, mais admirarão.”

5. A crença judaica é baseada na revelação nacional

Das 15.000 religiões na História Humana, apenas o Judaísmo baseia sua crença na revelação nacional – i.e., D’us falando a toda a nação. Se D’us está para iniciar uma religião, faz sentido que Ele falará a todos, não apenas a uma pessoa.

O Judaísmo, é a única entre todas as grandes religiões do mundo que não confia em “reivindicações de milagres” como base para estabelecer uma religião. De fato, a Torá afirma que D’us às vezes concede o poder de “milagres” a charlatães, para testar a lealdade judaica à Torá (Devarim 13:4).

Maimônides declara (Fundações da Torá, cap. 8):

“Os Judeus não creram em Moshê (Moisés), nosso mestre, por causa dos milagres que realizou. Sempre que a crença de alguém baseia-se na contemplação de milagres, tem dúvidas remanescentes, porque é possível que os milagres tenham sido realizados através de mágica ou feitiçaria. Todos os milagres realizados por Moshê no deserto aconteceram porque eram necessários, e não como prova de sua profecia.

“Qual era então a base da crença judaica? A revelação no Monte Sinai, que vimos com nossos próprios olhos e ouvimos com nossos ouvidos, não dependendo do testemunho de outros… como está escrito: ‘Face a face, D’us falou com vocês…’ A Torá também declara: ‘D’us não fez esta aliança com nossos pais, mas conosco – que hoje estamos todos aqui, vivos.’ (Devarim 5:3).”

O Judaísmo não são os milagres. É o testemunho da experiência pessoal de todo homem, mulher e criança.

*Rabino Shraga Simmons passou sua infância em Buffalo, Nova York. Trabalhou nos campos do jornalismo e relações públicas, e recebeu sua ordenação rabínica do Rabino Chefe de Jerusalém. Ele é o editor do site Aish.com, e vive com sua esposa e filhos na região de Modi’in, em Israel . É especialista em judaísmo ortodoxo.

About these ads
This entry was posted in Religion and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

103 Responses to Por que os judeus não acreditam em Jesus?

  1. Adriana Tavares says:

    É uma pena, talvez se tivessem acreditado na profecia que se, vocês judeus não teriam passado por todo esse sofrimento e perseguição ao longo desses 2mil anos. Mas como sempre teimaram contra a o Nosso Deus, não pederia ser diferente com o filho.
    Por que é tão difícil aceitar o filho do Pai.

    • leandro says:

      Nossa, que psicopata.

      Mina, se liga. Os judeus passaram por sofrimento PORQUE FORAM PERSEGUIDOS POR CRISTÃOS FILHOS DE UMA PUTA COMO VOCÊ.

      SUA DEMENTE

    • leandro says:

      Como toda crente você é meio lerda não?

      O cara acabou de dar razões BÍBLICAS do porquê os judeus não aceitarem Jesus como messias.

      • mcneryb says:

        Estás totalmente enganado, não há nenhuma razão bíblica dada pelo que rejeitaram a Jesus, assim como está provado queriam que tudo acontecesse ao mesmo tempo, coisas que ainda irão se cumprir, e que não eram para aquele tempo e sim em tempo futuro. Isso acontece sempre em mentes que não entendem nem conhecem a DEUS, e quem crucificou a Jesus e perseguiu os cristãos foram judeus e romanos alienados um com outro porque negavam que Jesus era o Filho de Deus e se fizera igual a Deus. quem matou e perseguiu os cristãos foram o líderes judeus fariseus junto com roma.

  2. Há algum tempo atrás, antes de estudar atentamente as chamadas profecias, parecia-me bizarro não acreditar em Jesus como messias. Gostei dessa matéria, os judeus tem uma grande contribuição cultural acerca do tema. Basta darmos a eles a oportunidade do contraditório.

    • fernando says:

      Os judeus tem grande contribuição a dar culturalmente?aos judeus foi entregue a palavra do ETERNO,eles são sacerdotes do ETERNO se não crermos neles vamos cre em quem então,em Martinho Lutero,em Constantino?Eles os judeus sção os pais da materia são autoridade.

  3. Marluce says:

    Como contestar a presença do Espírito Santo, o Consolador? Basta busca-lo de todo coração e você o conhecerá, todas as religiões cairão por terra, e permanecerá Deus Pai, Deus Filho e Espírito Santo. Só através Dele a verdade sobre Jesus será revelada.

  4. Alan says:

    Meu amigo, em vários trechos você se contradiz, uma hora você escreveu que Jesus não poderia ser o Messias porque não é descendente do Rei David, pois sua mãe era virgem, depois diz que foi erro de tradução e que a mãe de Jesus não era virgem, eu não sou dono da verdade, e nem um humano aqui na terra é, eu sou cristão, e acredito do fundo do meu coração na santíssima trindade, nem um homem normal teria o poder de fazer o que Jesus fez, nem um homem normal teria a sabedoria pra falar aquelas palavras, tomar certas atitudes, e nem um homem normal seria capaz de ter tanto amor, de morrer por mim e por ti sem reclamar, mas sim mostrar a humanidade, o quanto ele é santo!

    Que a paz de Deus reine!

    • luana says:

      é isso ai, aprovado, comcordo em tudo com o q disse o Alan nesse coment!

      • Rayssa says:

        Não acredito que este argumento seja contraditório.Acredito que ele não afirmou que Maria não eram virgem, mas sim que a tradução exata para a palavra “alma” seria mulher jovem portanto para os cristãos presume-se que ela seria virgem. Mas não se sabe ao certo se ela seria virgem ou não.

      • Viviane says:

        eh isso aí!!!!

    • Paulo Aragão says:

      O fundo do seu coração é muito fundo para acreditar no absurdo da trindade. Esta palavra falsa não se encontra na Bíblia, nem o conceito. Sou um cristão e sou de ascendência judaica. Um judeu não quebra Deus em três pedaços. Isto é politeismo e idolatria. Eu creio em João 17.3, que diz: “A vida eterna é esta, que te conheçam a ti só como único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo a quem enviaste”.

      • Antonio Wilson Wiczneski says:

        Concordo com você, Paulo. Esta afirmação partindo do seguidor “Judeu” , um dos
        mais amados, ou seja o apóstolo JOÃO, diz muita coisa, muita mesmo .Fala da “vida eterna” , fala também do ” Pai Celestial , o único Elohim verdadeiro” e por final, fala
        do seu “Ungido” o qual ele mesmo enviou. Estas afirmações são irrefutáveis, incontes – táveis , e reveladoras . Acreditem ou não !

    • leandro says:

      Almah em Isaías 7:14 diz significa mulher jovem e não virgem. E o novo testamento diz claramente que jesus é filho de uma virgem (pois os escritores do novo testamento só sabiam grego, e na Septuaginta almah foi erradamente traduzido como parthenos (virgem)

      Um judeu, no século I, tinha de ser filho de PAI judeu CARNAL(coisa que a tradição diz que Jesus não era). É claro que maria era uma mulher jovem (almah) o que faria com que a profecia de Isaías se cumprisse, mas ele NÃO ERA DA LINHAGEM DE DAVID (E NEM ADIANTA FALAR QUE JOSÉ, SEU PAI ADOTIVO, ERA, POIS TAMBÉM NÃO ERA).

  5. Ana says:

    O judaísmo é incompatível com o cristianismo, com sua “trindade” e com o “jesus” romanizado. Contudo, infelizmente, nem os cristãos nem a maioria dos judeus de hoje sabem realmente quem foi o rabino Yeshua ben Yossef (Yeshua é o nome certo, e não “Jesus”).
    Se um maior número de judeus passarem a estudar mais a Torah, os ketuvim e os Neviim, e também o próprio talmud, além de estudar História, verá o quanto eles testificam que Yeshua é o Mashiach. Pena que as pessoas falem tão mal de quem não conhecem.
    Judeus, parem de estudar sobre Yeshua através dos cristãos, que não sabem nem mesmo o nome certo do Senhor ao qual dizem que servem. Faço-lhes o convite da leitura dos manuscritos semitas(leiam os semitas e não o grego) do que é conhecido como “Novo Testamento”(o nome certo nem é esse), e a comparação com os livros sagrados do judaismo. Examinem suas Escrituras vocês mesmos. Parte das profecias foram cumpridas por Yeshua e ele retornará para cumprir as que faltam.
    Quanto aos cristãos, o dia em que descobrirem o que é Torah e quem realmente é Yeshua, o cristianismo acaba rsrsrsrs. Yeshua era judeu, pregou e praticou Torah em todo o tempo. Estudem mais História, conheçam o contexto judaico e descubram o que realmente é Torah. Ah, e um detalhe: estudem os manuscritos semitas do que vocês chamam de “Novo Testamento”, e vocês terão uma grande surpresa.
    Shalom.

    • Ronny Calling says:

      Meu amigo, em primeiro lugar não use a palavra semita para os judeus, mas sim ” ZIONITAS ou Sionitas”
      Em segundo lugar, poder chamar o Antigo Testamento de Primeiro Testamento e o Nvo Testamento de Segundo Testamenti, isto não muda nada.
      Em terceiro lugar Jesus NUNCA negou o Torah, mas Ele disse ” EU NAO VIM PQARA REVOGAR A LEI, MAS SIM PARA CUMPRI-LA. NEM SO UM TIL SERA TIRADO DA LEI, MAS SIM CUMPRIDO”.
      Será que esqueci de responder algum de seus questionamentos?

      Com amor e respeito pelas tuas crenças, deixo um abraço amigo

    • thiago says:

      cmo consigo esses documentos q vc disse?? oq eu sei sobre Jesus eu aprendi em uma igreja cristã quero saber mais sobre os judes e em que eles acreditam e pq… vc pode me ajudar???

    • thiago says:

      cmo consigo esses documentos q vc disse?? oq eu sei sobre Jesus eu aprendi em uma igreja cristã quero saber mais sobre os judes e em que eles acreditam e pq… vc pode me ajudar???

    • França says:

      Você se diz tão conhecedor do Torah e não menciona aqui que foram os judeus que
      renegaram a Yeshua=Jesus. Israel que mata os seus profetas.

    • Paulo Aragão says:

      Beleza, Ana! Concordo com você. Os “cristãos” quase nada sabem sobre o que vc falou.

  6. joao paulo says:

    quer queira quer nao jesus e o filho de deus sim . a prova e que ele plantou nos coracoes o amor ao proximo nen um outro pode fazer tal obra

  7. Angela says:

    Quando jesus foi crucificado e morto levou consigo todas as infermidades, quando foi posto no tumulo foi deixado dois guardas pelo chefe dos sacerdotes porque já tinham ouvido falar que ele ressucitaria ao terceiro dia, vendo os guardas que era verdade, comunicaram ao chefe o ocorrido, então eles descidiram subornar os guardas a mentir que o corpo de Jesus forá roubado, e isso se espalhou essa mentira até hoje os judeus não acredita na vinda de Jesus, e esperam até hoje.
    É isso que eu acredito e nos 10 mandamentos e na oração do Pai-Nosso

  8. eduarda says:

    a verdade esta na nossa cara não a vemos por que não queremos…
    Jesus veio cumpriu seu papel e nos salvou não so ao seu povo de nascimento que ja conheciam a Jeova mas sim nós os pagões que idolatravamos deuses e carregavamos tanta crueldade
    os judeus são considerados o povo de deus por que são os unicos que seguem com fervor a Jeova e que se acreditassem em jesus seguiriam fielmente os seus mandamentos e ali existiria a paz entre eles coisa que nós os cristões sinceramente não fazemos com tanta fidelidade.. amar a teu proximo como ama a ti mesmo, amai aos seus inimigos…
    Jesus nos salvou por que se não existisse o novo testamento o mundo estaria perdido o paganismo predominante antes dele teria acabado com todos nós, so passei a amar deus quando Jesus me apresentou o seu pai por que atraves do velho testamento eu via tanto sofrimento mortes assassinatos castigos o nosso deus não poderia ser tão cruel
    atraves de jesus entendi que deus agia como um pai repreendendo um filho fazendo ele o temer para não andar em maus caminhos
    Jesus Cristo me apresentou um Deus que nos ama e que a unica coisa que quer é nos ver nos dando bem uns com os outros vivendo em paz como uma unica familia para assim vivermos com Nosso Senhor em sua casa em harmonia
    qual seria a religião predominante no mundo se Jesus Cristo não tivesse existido?
    quem seria hoje o homem?
    só depois que jesus veio foi que nós tivemos a chance de continuarmos vivos por que antes dele calcule quantas vezes fomos exterminados da terra, quantos povos sumiram quanto sangue inoscente em oferendas foram perdidos?
    Como seria hoje o mundo sem Jesus?
    e os judeus serão perseguidos _disse Jesus por que aquele que morrer em meu nome tera o reino dos ceus , querendo ou não vcs são perseguidos em nome de jesus e mesmo não acreditando nele como seu salvador estarão salvos por ele e os cristões só tem que agradecer a voces que foram o povo escolhido por deus e que atraves de voces conhecemos a historia sofrida de um homem tão puro e bom sabio como nunca mais existira ate que ele volte e assim cumpra o que voces o judeus esperam, vcs nos deram uma chance de nos salvar,
    Obrigada!

  9. carlos cavalcante says:

    Se observarmos o povo judeu no Exodo a teimosia e a desobediencia sempre fez parte da cultura deles, ao longo da historia tambem se observa o sofrimento deste povo todo este sofrimento passado por pura teimosia, os judeus dominam o mundo financeiramente, e sempre foi assim como crer em um messias que nasceu na regiao mais pobre do pais e como ficaria os sacerdotes se tivessem aceitado Jesus na epoca se pagava o equivalente a 1 milhao de dolares pelo cargo, ai aparece um pobre vindo de Nazare regiao de miseraveis se dizendo o Sumo Sacerdote o filho de Deus . Agora tem uma coisa a misericordia de Deus e tao grande que todos tem ate o ultimo minuto da vida para aceitar Jesus como o salvador para serem salvos.

  10. atos capitulo 5 ver 34 ate 39 espero q assim pare essa briga rsrsrsrsrss

    pedro quem o povo dis q sou?

  11. edu lima says:

    Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!

    Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos.

  12. Somente pregação até agora… e nenhuma contestação aos argumentos.

  13. Noahide says:

    Olá , os judeus estão certíssimos é isso ai , eles são bem racionais e conhecem muito bem a Torah , já vocês cristãos não tem argumentos contra eles e começam a espiritualizar a conversa com , curas , espírito santo e essas coisas ai . . .

  14. Meirilane Martins says:

    Jesus:O Homem que teve o poder de dividir a história.
    Que pregou o amor, que curou seu povo, libertou, salvou…
    Que não veio mudar os mandamentos mas fazer com que eles se cumpram.
    Ele é o filho de Deus…estava com Deus desde sempre, desde antes que o mundo é mundo. Disse Eis-me aqui ao pai, veio em carne, para passar por todas as tentações e provar que é possível vencer o pecado…Jesus foi o cordeiro perfeito do sacrifício e todas as gotas de sangue que ele derramou naquela cruz foi para que nós fossemos dignos de ser salvos, morreu para todo aquele que nEle crê não morra mas tenha vida eterna. E assim como Ele subiu, Ele descerá para julgar todas as nações.
    Jesus é o Templo que Ele mesmo derrubou e edificou em três dias. Todos morreram mas Ele é o único que ressuscitou e continua a fazer as mesmas obras de sempre. Ele cura, liberta, salva o seu povo.
    Eu sou Testemunha de Jesus porque Ele me curou, me libertou e creio que serei salva pra honra e glória do Senhor.
    Jesus é o caminho, a verdade e a vida e ninguém vem ao pai a não ser por Ele.

  15. paz ,para todos sei que no decorre da historia,muitos judeus foram mortos ate mesmo perseguidos sei que muitos não comprienderam o verdadeiro significado do judaismo,mas isso não dar o direito a niguem de fazermos jugamentos precipitados de quem quer que seja pois tanto judeu como cristao sabem muito bem as suas origem e sabe de uma coisa a verdade estar nos textos sagrados e não podemos negalos que um dia todos iremos presta contas ao grande e eterno d,us ou deus como queram chama-lo

  16. Nicomedina says:

    Essa farsa grega, pseudamente judia, ainda embala corações, mentes e o ódio anti-judaico. Mas nada é eterno aqui nesse mundo.

  17. kryslla says:

    porque os judeus viam as profecias mecianicas de um modo muito particular?

  18. Édis B. Lacerda says:

    É muito interessante e até mesmo intrigante alguns pontos concernentes a teologia quando colocamos em paralelo as afirmações de ambas as religiões: o cristianismo e o judaísmo. Não vejo pecado algum em buscar cada vez mais fundamentar a própria fé. É a própria Bíblia que nos instiga: “Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor;…” Oséias 6:3 – Então não sejamos negligentes, vamos lá, seja através de estudos ou do diálogo. Se existe uma verdade devemos nos esforçar para alcançá-la. O problema maior é que quando se trata de fé ou de Deus (por se tratar de uma questão sublime) todos nos temos um pouco de receio de trabalhar as idéias a respeito, por medo de cometer uma blasfêmia ou um sacrilégio. Sendo assim, aceitamos pacificamente, o que nos empurra o sistema religioso e acabamos por permitir que sejamos manipulados em nossa crença e fé (não passando de meros bitolados pelo sistema). Será isso algo do agrado de Deus? Ou antes não O dignificaria, muito mais, uma fé racional, que procure de fato enxergar as coisas? – Quanto ao Cristianismo e ao Judaísmo – muitas são as perguntas que teimam em não se calar. Confesso que durante muitos anos, vivi a minha religião (o cristianismo evangélico) conformado e satisfeito com aquilo que me propunha o sistema… mas houve um momento em que eu quis levar mais a sério a minha própria religião, então comecei a prestar mais atenção nas afirmações e pontos de fé dela. Isso me levou a querer conhecer e buscar respostas para fundamentar conscientemente as minhas crenças. Foi aí que descobri que obrigatóriamente deveria me aproximar da fonte das origens do Cristianismo, nesse sentido fui obrigado a valorizar e aproximar de um outro sistema religioso, já que a minha religião fazia referência a este como sendo suas raízes, orígens ou ponto de partida. O Cristianismo de fato relaciona o Judaísmo às suas orígens, quando diz que Jesus Cristo é o messias, descendente de Davi, rei de Israel, prometido por Deus. Cabe a nós descobrirmos se há ou não discrepâncias nessas afirmações, até que ponto há legitimidade nelas. A própria Bíblia Cristã me incentivou através dos seguintes versículos: Romanos 3:1-2 – “Que VANTAGEM, pois, tem o JUDEU? ou qual a utilidade da circuncisão? MUITA, em todo o sentido: primeiramente, AS PALAVRAS DE DEUS LHES FORAM CONFIADAS. Romanos 9:4-5 – “os quais são ISRAELITAS, DE QUEM É a adoção, e a glória, e os pactos, e a promulgação da lei, e o culto, e as promessas; DE QUEM são os patriarcas;… Salmo 147:19-20 – “Mostra a sua palavra a Jacó, os seus estatutos e os seus juízos, a ISRAEL. NÃO FEZ ASSIM A NENHUMA OUTRA NAÇÃO; e, quanto aos seus juízos, nenhuma os conhece. Louvai ao Senhor! Deuteronômio 4:5-8 – “Vedes aqui vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o SENHOR, meu Deus, para que assim façais no meio da terra a qual ides herdar. Guardai-os, pois , e fazei-os, porque está será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos que ouvirão todos estes estatutos e dirão: Só ESTE grande POVO é gente sábia e inteligente. Porque, que gente há tão grande, que tenha deuses tão chegados como o SENHOR, nosso Deus, todas as vezes que o chamamos? E que gente há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão justos como toda esta lei que hoje dou perante vós?” João 4:22 – “Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque A SALVAÇÃO VEM DOS JUDEUS.” Zacarias 8:20-23 – “ASSIM DIZ O SENHOR DOS EXÉRCITOS: Ainda sucederá que virão povos e habitantes de muitas cidades; e os habitantes de uma cidade irão à outra dizendo: Vamos depressa suplicar o favor do SENHOR e buscar o SENHOR dos Exércitos; eu também irei. Assim, virão muitos povo e poderosas nações BUSCAR, EM JERUSALÉM, o SENHOR dos Exércitos e suplicar a bênção do SENHOR. ASSIM DIZ O SENHOR DOS EXÉRCITOS: Naquele dia, sucederá que PEGARÃO dez HOMENS, DE TODAS AS LÍNGUAS DAS NAÇÕES, PEGARÃO, SIM, NA ORLA DA VESTE DE UM JUDEU, DIZENDO: IREMOS CONVOSCO, PORQUE TEMOS OUVIDO QUE DEUS ESTÁ CONVOSCO.” Miquéias 4:1-5 – “Mas, nos últimos dias, acontecerá que o monte da Casa do SENHOR será estabelecida no cimo dos montes e se elevará sobre os outeiros, e para ele afluirão os povos. Irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do SENHOR e a casa do Deus DE JACÓ, PARA QUE NOS ENSINE OS SEUS CAMINHOS, E ANDEMOS PELAS SUAS VEREDAS; porque DE SIÃO procederá a lei, e a palavra do SENHOR, DE JERUSALÉM.” Isaías 44:1,6,7,8 – “Agora, pois, ouve, ó JACÓ, servo meu, Ó ISRAEL, A QUEM ESCOLHI. Assim diz o SENHOR, que te criou, e te formou desde o ventre, e que te ajuda: não temas, ó Jacó, servo meu, ó amado, a quem escolhi. Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus. Quem há como eu, feito predições desde que estabeleci o mais antigo povo? Que o declare e o exponha perante mim! QUE ESSE ANUNCIE AS COISAS FUTURAS, AS COISAS QUE HÃO DE VIR! Não vos assombreis, nem temais; acaso, desde aquele tempo não vo-lo anunciei? VÓS SOIS AS MINHAS TESTEMUNHAS.Há outro Deus além de mim? Não há outra Rocha que eu conheça.” A própria Bíblia disse nesses versículos citados aqui que: DEUS primeiramente confiou os seus oráculos ou entregou a sua palavra ao povo JUDEU e ELE mesmo os estabeleceu como sendo as suas testemunhas, isto naturalmente me faz refletir que a revelação que eles tem da Palavra de DEUS deveria ter muita importância para nós outros povos. Considere também estes trechos em sua Bíblia e reflita a respeito dos mesmos; Gênesis 12:1-3, Gálatas 3:6-9, Deuteronômio 32:8-10, Salmos 122:6-9, Jeremias 30:16-20 – Depois de descobrir toda essa importância do povo judeu através da Bíblia Cristã, fiz questão de adquirir a Bíblia Hebraica ( o TANA’CH), e confirmei aquilo que diz os teólogos cristãos A FONTE ORIGINAL DO NOVO TESTAMENTO É O GREGO, pois NÃO EXISTE O NOVO TESTAMENTO NA BÍBLIA HEBRAICA, nem mesmo um Evangelho ou seque uma epístola apóstolica. Continuo buscando conhecer o conceito do povo judeu sobre a era messianica e quais os requisitos deve preencher o messias judeu, segundo as profecias dos profetas da Bíblia Hebraica. Que não há base ou fundamento para o Cristianismo na BÍBLIA HEBRAICA, isto para mim hoje em dia é indiscutível.

  19. Édis B. Lacerda says:

    Durante algum tempo permaneci intrigado com a questão: se Jesus Cristo é, de fato, o Messias, Rei dos judeus (como afirma a tradição cristã), por que razão ou motivo o seu povo (os judeus) teimam, então, em reconhecê-lo? Seria isto uma questão de rebeldia, cegueira espiritual, infidelidade, dureza de coração, incredulidade… ? Coisas das quais são acusados frequentemente. Alguma coisa não fazia sentido nisso tudo… mas o que? A fé e religiosidade judaica gira em torno da expectativa do momento de chegada da Era Messiânica, bem como do seu Messias, pois esse é o tempo de sua restauração e glorificação… Novas perguntas, então, foram surgindo em minha mente; certamente você, como tantos outros, já se fizeram várias perguntas no sentido de entender essa questão. Para nosso alívio, ainda bem que uma religião não envolve apenas aspectos relacionados à esfera do Místico, do Espiritual ou do Sobrenatural. Existe também o aspecto cultural, e, aí sim, podemos encontrar respostas menos tendenciosas ou menos comprometidas com este ou aquele sistema religioso. Passei, então a recorrer a Historia, comecei a pesquisar livros, enciclopédias e… confesso… me surpreendi ao descobrir que o Messias aceito por mim como verdadeiro ao mesmo tempo que se distanciava do perfil do Messias profetizado nas Escrituras Hebraicas, se aproximava em muito dos mitos e deuses pagãos, tomando emprestado elementos culturais, características, e, em certos aspectos, até mesmo copiando os. Daí, então, ficou fácil entender os motivos pelos quais Jesus Cristo, é sim, o Messias da religião cristã – Mas JAMAIS poderá ser o legítimo Messias Rei dos Judeus. Simplesmente ele não encaixa no perfil, está em contradição com muitos princípios da teologia judaica.

  20. Édis B. Lacerda says:

    CITAÇÃO: Livro “DA PRÉ-HISTÓRIA AO MUNDO FEUDAL” 7ª EDIÇÃO – Coleção Fazendo a História – Autores: Rubim Santos Leão de Aquino, Maria Bernardete Moura, Luiza Siciliano Aieta – EDITORA AO LIVRO TÉCNICO – Pag. 52 : “E Mitra nasceu no meio de pastores – Em um dia 25 de dezembro, nasceu Mitra, o Amigo, no meio de um grupo de pastores que lhe trouxe presentes. Identificado com a luz e o ceu, Mitra vinha à Terra com a missão de pregar a verdade entre os homens e prepará-los para o fim do mundo. Fora enviado por Ahura-Mazda, às vezes chamado de Ormuz, o deus do bem, da luz, da pureza, da verdade e o criador da vida. A ele se opunha Angra Mainya, também conhecido como Arimã, o Príncipe do Mal, criador das trevas e da morte e de tudo que era impuro… Mitra partiu para o céu, prometendo um dia voltar para julgar os homens, premiando os bons com a imortalidade e punindo os maus com a escuridão, onde reinava Arimã. Que lhe pareceu este relato? Existem muitas semelhanças com o Cristianismo, não acha? (Perguntas dos Autores) No entanto, refere-se às crenças religiosas dos persas, povo de origem indo-européia, que chegou ao planalto do Irã por volta do II milênio a.C. (antes de Cristo).”
    CITAÇÃO: Livro “Babilônia: a Religião dos Mistérios * ANTIGA E MODERNA * ” Autor: Ralph Woodrow – Pag. 9: “Baseando suas conclusões em informações que nos tem vindo através da História, das lendas e da mitologia, Alexander Hislop tem descrito com detalhes como a religião babilônica desenvolveu-se em torno de tradições concernentes a Ninrode, sua esposa Semíramis, e seu filho Tamuz. Quando Ninrode morreu, de acordo com as antigas narrativas, seu corpo foi cortado em pedaços, queimado, e enviado a várias áreas. Práticas semelhantes são mencionadas até mesmo na Bíblia (Juízes 19:29; I Samuel 11:27). Após a sua morte, que foi grandemente pranteada pelo povo da Babilônia, sua esposa Semíramis reinvindicou que ele agora era O DEUS SOL. Mais tarde, quando deu à luz a seu filho Tamuz reinvindicou que este filho Tamuz era seu herói Ninrode renascido… Ela reinvindicou que seu filho fôra concebido de maneira sobrenatural e que era a semente prometida, o “SALVADOR”. Na religião que se originou daí, contudo, não somente o filho foi adorado, mas a mãe também passou a ser adorada!… Este sistema de idolatria espalhou-se da Babilônia para as nações, pois foi desta localização que os homens foram espalhados por sobre a face da terra (Gn. 11:9). Enquanto saíam da Babilônia, levavam consigo seu culto da mãe e do filho, e os vários símbolos misteriosos com ele. Herodoto, o corre mundo e historiador da antiguidade, testemunhou a religião misteriosa e seus rituais em numerosos países e menciona como a Babilônia foi a fonte primitiva de onde todos os sistemas de idolatria floresceram. Bunsen diz que o sistema religioso do Egito derivou-se da Ásia e do “primitivo império de Babel.” Em seu notável trabalho Nínive e Seus Remanescentes, Layard declara que temos o testemunho conjunto da história sacra e profana que a idolatria originou-se na área da Babilônia – o mais antigo dos sistemas religiosos. Todos estes historiadores foram citados por Hislop. Quando Roma tornou-se império mundial, é fato conhecido que ela assimilou dentro do seu sistema os deuses e religiões dos vários países pagãos que dominava.” (Citação do livro “Babilônia: a Religião dos Mistérios * ANTIGA E MODERNA * Autor: Ralph Woodrow Pags. 9, 10, 11 – Capítulo 01)

  21. Édis B. Lacerda says:

    CITAÇÃO: Livro História das Sociedades – Das Comunidades Primitivas Às Sociedades Medievais – Autores: Rubim Santos Leão de Aquino, Denize de Azevedo Franco, Oscar Guilherme Pahl Campos Lopes – 15ª Edição – EDITORA AO LIVRO TÉCNICO – Pags. 358, 359, 360 :
    “A religião greco-romana não respondia a esses anseios, mas Roma, naquele momento, tinha o domínio sobre vários povos, cujas crenças acabaram por conquistar grande parte da população: quando, estabelecido o Principado, Augusto tentou restabelecer o prestígio da antiga religião nacional romana, procedendo à construção de templos – como, por exemplo, o de Apolo e o de Júpiter -, seu esforço de nada adiantou, pois a maior parte da população já estava envolvida com cultos e práticas orientais.
    Importantíssima foi a difusão de cultos secretos e místicos do Oriente ligados à crença na morte e na ressurreição da divindade (os Mistérios de Ísis e Osíris, do Egito; de Dioniso, daGrécia; de Actis e Cibele, da Ásia Menor e Síria). De grande repercussão foi também a idéia messiânica de um Deus salvador CONTIDA NO CULTO DE MITRA e de maneira particularmente forte na religião dos hebreus.
    Nesse contexto o Helenismo também teve presença marcante. Não podemos esquecer a grande importância, assumida na época de Augusto, de algumas correntes filosóficas e religiosas gregas, que de certa maneira PREPARARAM O CAMINHO para o Cristianismo: o ESTOICISMO, que estabelecia um ideal de equilíbrio da alma, e com a idéia de subordinação do comportamento humano às leis da Natureza, acabou por construir uma Física PANTEÍSTA, isto é, afirmou a imanência de Deus em relação ao Universo. Foram também importantes o NEOPITAGORISMO, OS MISTÉRIOS DE ELÊUSIS e o ORFISMO com a crença na vida futura.
    Muito embora o Cristianismo tenha realizado uma verdadeira “COLCHA DE RETALHOS” dessas várias tendências ideológicas, não nos é difícil imaginar o quanto o Cristianismo primitivo teve de lutar por se fazer valer no quadro do Império Romano no apogeu do seu poder: apesar de as idéias cristãs irem de encontro aos anseios de grande parte da população, elas continuaram desconhecidas, ou melhor, desconsideradas pela cultura dominante.”
    “O problema das ORIGENS DO CRISTIANISMO é dificil de ser abordado, pois as fontes históricas que temos são, na maioria, de elaboração posterior, como é o caso dos quatro Evangelhos, e, GERALMENTE, COMPROMETIDAS COM A NOVA RELIGIÃO.”
    “O reconhecimento do Cristianismo por Constantino e Licínio, através do Edito de Milão (313), e sua elevação a culto estatal por Teodósio (379 – 395) FORAM ATOS DE SÁBIA POLÍTICA.”
    “O Cristianismo FOI UMA DAS NUMEROSAS RELIGIÕES ORIENTAIS que se desenvolveu no Mundo Romano, embora diferisse das demais em um ponto capital: enquanto as outras ficaram na obscuridade ou desapareceram, A DOUTRINA CRISTÃ ACABOU SE IMPONDO.”
    “Surgido na Palestina, região integrada ao Império Romano, o Cristianismo SINCRETIZOU O MISTICISMO ORIENTAL, O MESSIANISMO HEBRAICO, O ESTOICISMO HELENÍSTICO E O UNIVERSALISMO ROMANO.”
    “Inspirado no Judaísmo, DO QUAL ERA INICIALMENTE UMA SEITA, o Cristianismo acabou por se converter em nova religião,”

  22. Édis B. Lacerda says:

    CITAÇÃO: Livro Babilônia: a Religião dos Mistérios – * ANTIGA E MODERNA* – Autor: Ralph Woodrow: “A história da mãe e do filho foi largamente conhecida na antiga Babilônia e desenvolveu-se até ser uma adoração estabelecida. Numerosos monumentos da Babilônia mostram a deusa-mãe Semíramis com seu filho Tamuz nos braços. Quando o povo foi espalhado para as várias partes da terra, levaram consigo a adoração da mãe divina e de seu filho. Isto explica porque muitas nações adoravam uma mãe e um filho – de uma forma ou de outra – … Nos vários países onde este culto se espalhou, a mãe e o filho foram chamados por diferentes nomes pois, relembramos, a linguagem foi confundida em Babel.
    Os chineses tinham uma deusa mãe chamada Shingmoo ou “Santa Mãe”. Ela é representada com um filho nos braços e com raios de glória ao redor da cabeça.
    Os antigos germanos adoravam a virgem Hertha com o filho nos braços. Os escandinavos a chamavam de Disa, que também era representada com um filho. Os etruscos chamavam-na de Nutria, e entre os druidas a Virgo-Patitura era adorada como a “Mãe de Deus”. Na Índia, era conhecida como Indrani, que também era representada com o filho nos braços,…
    A deusa-mãe era conhecida como Afrodite ou Ceres pelos gregos; Nana, pelos sumérios; e como Vênus ou Fortuna, pelos seus devotos nos velhos dias de Roma, e seu filho como Júpiter. A ilustração acima (há na página do livro de onde é extraída esta citação uma gravura) mostra a mãe e o filho como Devaki e Krishna. Por várias eras, Ísis, a “Grande Deusa” e seu filho Iswara, tem sido adorados na Índia, onde templos foram erigidos para sua adoração.
    Na Ásia, a mãe era conhecida como Cibele e o filho como Deoius. “Mas, a despeito de seu nome ou lugar”, diz um escritor, “ela foi a esposa de Baal, a virgem rainha dos céus, que ficou grávida, sem jamais ter concebido de varão.” ( Por Ralph Woodrow – Traduzido por Paulo de Aragão Lins – Ralph Woodrow Evangelistic Association, Inc. USA – Pode ser encontrado em algumas livrarias evangélicas do Brasil, por se tratar de material evangélico)
    *Obs.: O mais incrível, de tudo sobre os textos do livro, é que o autor os utiliza com o objetivo de afirmar o cristianismo, não o católico apóstolico romano, mas o evangélico protestante!!! O cristianismo evangélico protestante, surgiu do mesmo cristianismo católico apóstolico romano; ver a Reforma Protestante de Martinho Lutero (HISTÓRIA). Mas importa que as pesquisas históricas do autor são bastante consistentes, é apresentado no final do livro uma extensa bibliografia com títulos de livros sobre os respectivos fatos históricos, tudo devidamente documentado.
    (CITAÇÃO: CAPÍTULO DOIS, pags. 13, 14 e 15)

  23. Édis B. Lacerda says:

    CITAÇÃO: Livro TRATADO DA PEDRA FILOSOFAL DE LAMBSPRINCK – O Significado do Simbolismo da Alquimia – Tradução e Comentários Explicativos do Prof. ARYSIO NUNES DOS SANTOS – Edições IBRASA :
    “Este paralelo mostra que a identidade também se estende ao Cristo, cujo mito não é mais que a adaptação dos anteriores. Herodes é copiado de Kamsa e Shambara, e José do amante impotente de Maya, cujo nome assona com o de Maria.
    O nome de Cristo ou Messias também significa o mesmo que os de Madhava e Madana, ou seja, o Soma como a Unção ou Elixir. Cristo e, como seus arquétipos Hindus, identificado ao Sol e á Estrela Polar. Ele é o avatar ou Anjo Caído, tipo Angiras e o vajra, representado tanto pelo peixe (Ichtos) quanto pela Pedra Capital (Lápis Philosophorum).
    Desde há muito, sábios como Louis Jacolliot (La Bible dans l’Inde, Paris, 1873) notaram a identidade de Cristo com Krishna (ou Kristna), que o precedeu de, no mínimo, 400 anos. Mas a identidade dos dois Salvadores é muito mais profunda que a mera igualdade dos mitos. Ambos são o Elixir e a própria Pedra Filosofal; ambos são o Filho de Deus, nascidos de uma Virgem e criados por um pai putativo.
    Mais ainda, ambos nasceram em uma gruta ou presépio, onde foram adorados pelos pastores e pelos Reis Magos (astrólogos). Ambos foram anunciados pela Estrela Polar, e se confundiam com o Peixe e o Cervo Celestial (Mriga). Ambos morreram uma morte brutal, transfixados por uma lança ou seta, após cumprirem sua missão na terra; ambos ressuscitaram, e ambos voltarão nos tempos apocalípticos, como o Cavaleiro Branco e o Rei da Justiça, etc., etc..” Pags. 63 e 64
    “O Parto da Virgem – O processo do Pai que engole o Filho é o dual do da Castração do Pai pelo Filho. Este processo corresponde ao da Virgem que engravida ao engolir o “peixe” ou o “grão” ou o sêmen que caiu sobre a folha de alface, ou o caroço da fruta, ou até o simples ar (o Espírito).
    Os exemplos são miríades. No Kalevala, Maryatta engravida ao comer uma frutinha; a Virgem do Zodíaco engravida com uma chuva de moedas que cai por uma frincha de sua torre inexpugnável; Ching Mu (“Santa Mãe”) engravidou e concebeu Fo-hi com uma pétala de lótus que caiu sobre ela enquanto se banhava. Até mesmo certos deuses engravidam ao ingerir o falo, como aconteceu com Kumarbi.
    Cu-Chulainn foi concebido quando sua mãe, Dechtire, tomou um copo de vinho onde o espírito de Lug estava entranhado. Maya, a mãe de Buda sonhou que um elefante lhe penetrara o útero pelo flanco, e ficou grávida do deus. Krishna também nasceu de um parto virgem. Sua mãe Devaki, foi encerrada numa torre pelo perverso Kamsa, mas Vishnu penetrou miraculosamente em seu seio, e nasceu como Krishna.
    Na Índia, os casos de PARTOS VIRGENS são dezenas. Kama, morto por Shiva, renasceu da seguinte forma como Pradyuna. Ele foi raptado do seu berço por um demônio que o jogou ao mar, onde ele foi engolido por um peixe. O peixe foi pescado e, ao ser preparado pela esposa do demônio, apareceu o menino, que foi criado por ela, tornando-se posteriormente seu amante e matando o demônio.” Pags. 282 e 283

  24. Susan says:

    PORQUE JESUS CRISTO O SALVADOR DA HUMANIDADE NUNCA EXISTIU ! MAS EXISTE SIM UM SALVADOR QUE MORREU NA CRUZ E RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS O QUAL DEVE SER CONHECIDO PELA MASSA FALIDA E CEGA DENOMINADOS EVANGÉLICOS.
    SEU NOME É UM NOME QUE ESTA ACIMA DE TODOS OS NOMES SEM ESTE NOME NÃO SALVAÇÃO YESHUA HAMASHIA O FILHO DE YAH (DEUS VIVO) .
    BOM, SE VOCÊ PESQUISAR SOBRE ESTE HOMEM VOCÊ IRA SABER QUE O SEU NOME FOI APAGADO PARA SER SUBSTITUÍDO POR UM IMPOSTOR (CRIADO PELA IGREJA CATÓLICA ) DE NOME JESUS CRISTO QUE NÃO É E NUNCA FOI DE ORIGEM HEBRAICA.
    A BÍBLIA FALA QUE YESHUA, É A GLORIA DO PAI (YAH) DEUS
    “SENDO YESHUA O RESPLENDOR DA GLÓRIA DE YAH (DEUS) E A EXPRESSA IMAGEM DO SEU SER, E SUSTENTANDO TODAS AS COISAS PELA PALAVRA DO SEU PODER, HAVENDO ELE MESMO FEITO A PURIFICAÇÃO DOS PECADOS, ASSENTOU-SE À DIREITA DA MAJESTADE NAS ALTURAS”, HB 1.3
    O NOME DE YESHUA É SOBRE TODO OS NOMES!
    ATOS 4:12 “E NÃO HÁ SALVAÇÃO EM NENHUM OUTRO, POIS NÃO HÁ NENHUM OUTRO NOME SOB OS CÉUS DADO AOS HOMENS PELO QUAL DEVAMOS SER SALVOS “.
    ATOS 2:38 PEDRO ENTÃO LHES RESPONDEU: ARREPENDEI-VOS, E CADA UM DE VÓS SEJA BATIZADO EM NOME DE YESHUA HAMACHIAN O MESSIAS, PARA REMISSÃO DOS VOSSOS PECADOS, E RECEBEREIS O DOM DO ESPÍRITO SANTO.
    ATOS 3:6 ENTÃO PEDRO DISSE: “PRATA E OURO NÃO TENHO, MAS O QUE EU TENHO EU TE DOU: EM NOME DE YESHUA HAMACHIAN NAZARENO, LEVANTA-TE E ANDA. DOS ”
    ATOS 3:16 “E O SEU NOME , PELA FÉ EM SEU NOME , FEZ ESTE HOMEM FORTE, QUEM VOCÊ VÊ E SABE. SIM, A FÉ QUE [VEM] POR ELE DEU A ESTE SAÚDE PERFEITA NA PRESENÇA DE TODOS VOCÊS.
    ATOS 04:07 E, QUANDO ACABARAM OS PÔS NO MEIO DELES, PERGUNTARAM: “COM QUE PODER OU EM NOME DE QUEM FIZESTES ISTO? ”
    ATOS 04:10 “QUE SEJA CONHECIDO DE VÓS TODOS, E TODO O POVO DE ISRAEL, QUE ATÉ O NOME DE YESHUA HAMACHIAN MESSIAS DE NAZARÉ, A QUEM VOCÊS CRUCIFICARAM, A QUEM ELOHIM RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS, POR AQUELE ESTE HOMEM ESTÁ AQUI DIANTE DE VOCÊS INTEIRO.
    ATOS 5:28 DIZENDO: “NÓS NÃO ESTRITAMENTE COMANDO QUE VOCÊ NÃO ENSINAR NESSE NOME ? E OLHA, QUE ENCHESTES YERUSALÉM DESSA VOSSA DOUTRINA, E PRETENDO TRAZER O HOMEM DE SANGUE PRESENTE EM NÓS! ”
    ATOS 9:14 “E AQUI TEM PODER DOS PRINCIPAIS SACERDOTES PARA PRENDER TODOS OS QUE INVOCAM O TEU NOME . ” 15 MAS O MESTRE DISSE-LHE: “VAI, PORQUE ELE É UM VASO ESCOLHIDO DE MINAS PARA LEVAR O MEU NOME DIANTE DOS GENTIOS, DOS REIS E DOS FILHOS DE ISRAEL. 16″ POIS EU LHE MOSTRAREI QUANTO LHE IMPORTA SOFRER PELO MEU NOME AMOR “.
    ATOS 15:14 “SIMÃO DECLAROU COMO ELOHIM NO PRIMEIRO VISITOU OS GENTIOS PARA TOMAR DELES UM POVO PARA SEU NOME .
    ATOS 15:26 HOMENS QUE ARRISCARAM SUAS VIDAS PARA O NOME DE NOSSO MESTRE YESHUA HAMACHIAN MESSIAS.
    ATOS 16:18 E FAZIA ISTO POR MUITOS DIAS. MAS PAULO, PERTURBADO, VOLTOU-SE E DISSE AO ESPÍRITO: “EU TE ORDENO EM NOME DE YESHUA HAMACHIAN MESSIAS PARA SAIR DELA. “E SAIU NA MESMA HORA.
    ATOS 18:15 “MAS SE É UMA QUESTÃO DE PALAVRAS E NOMES E DA VOSSA LEI, OLHAR [PARA] [IT] VOS, PORQUE EU NÃO QUERO SER JUIZ] COMO [ASSUNTOS. ”
    ATOS 19:5 QUANDO OUVIRAM [ISTO], ELES FORAM BATIZADOS EM NOME DO YESHUA HAMACHIAN MESTRE.
    ATOS 19:13 ENTÃO ALGUNS DOS EXORCISTAS JUDEUS AMBULANTES SE ENCARREGARAM DE CHAMAR O NOME DO MESTRE YESHUA HAMACHIAN SOBRE OS QUE TINHAM ESPÍRITOS MALIGNOS, DIZENDO: “NÓS EXORCIZÁ-LO PELA YESHUA HAMACHIAN QUEM PAULO PREGA.”
    ATOS 19:17 ISTO TORNOU-SE CONHECIDO TANTO PARA TODOS OS GREGOS E JUDEUS QUE HABITAVAM EM ÉFESO, E CAIU TEMOR SOBRE TODOS ELES, E O NOME DO YESHUA HAMACHIAN MESTRE FOI AMPLIADA.
    ATOS 21:13 MAS PAULO RESPONDEU: “O QUE VOCÊ QUER DIZER COM CHORO E QUEBRAR MEU CORAÇÃO? PORQUE EU NÃO ESTOU PRONTO SÓ PARA SER PRESO, MAS AINDA A MORRER EM JERUSALÉM PELO NOME DO YESHUA HAMACHIAN MESTRE “.
    MAS CUIDADO! AS BÍBLIAS ATUAIS FORAM TAMBÉM CORROMPIDAS PELOS TRADUTORES CORRUPTOS .
    ONDE DEVERIA SER YESHUA HAMASHIA FOI SUBSTITUÍDA POR JESUS CRISTO. O DEUS ROMANO .

  25. Édis B. Lacerda says:

    Prezada Susan o problema está na tradição em si e a simples substituição de um nome pelo outro não é o suficiente para corrigir esse erro. O seu YESHUA HAMASHIA continua dependente do Cristianismo e do Novo Testamento cuja inspiração DIVINA é digna de desconfiança devido a tantas contradições encontradas em suas páginas! Sugiro a você pesquisa GOOGLE: As contradições do NOVO TESTAMENTO.
    Também seria muito bom considerar o que diz o judaísmo sobre o Messias e a era messiânica.

    • léo says:

      Companheiro, se o pai dos burros (google), serve de base para argumento (Sugiro a você pesquisa GOOGLE: As contradições do NOVO TESTAMENTO) sugiro a você que continue as pesquisas e verá inúmeras reflexões de possíveis contradições sober o VT e NT, do cristianismo, judaismo, islamismo e outros.
      Agora devemos lembrar que pelo fato de não conhecermos a verdade não podemos afirmar que ela não existe.
      Se levassemos para esse lado poderiamos citar inúmeras cituações científicas que não encontram sustentação biblica. No entanto não podemos nos refereir a tal ensinamento como inverídico, pois necessitamos de bom senso e estudos aprofundados, revelação divina, para conseguirmos identificar o paralelismo ciência-religião.
      Que Yeshua Ha Mashiach, Jesus Cristo Reis dos Reis e Senhor dos Senhores, abençõe a todos.

  26. Édis B. Lacerda says:

    Não existe no meio religioso judaico nenhum movimento que se intitule ou deva se intitular “Messiânico” embora faça parte do seu contexto a crença e a esperança na vinda do Messias bem como do seu reino. Desde muito cedo, o judeu aprende que se deve orar e aguarda ansiosamente pela vinda do Messias, sendo este um dos seus primeiros passos na fé; segundo a Tradição é dever de todo o judeu se perguntar: tenho eu anelado (desejado ardentemente ou fervorosamente) pela a vinda do Messias? E, ainda, acredita-se que está será a primeira pergunta a ser respondida no reino vindouro!
    Mas o que de fato está por trás dos movimentos que se intitulam “judaico messiânico” é a tentativa assimilacionista de movimentos evangélicos ou protestantes que se esforçam por converter judeus ao Cristianismo, utilizando para isso terminologias próprias do judaísmo com a finalidade de se mascarar e confundir os incautos.
    É próprio do pensamento evangélico protestante que para apressar a vinda do seu Messias é necessário a aceitação do mesmo por um maior número de pessoas e isto inclui até mesmo os judeus.
    Existe uma incompatibilidade de gênero tremenda entre o Messias NEO TESTAMENTÁRIO e o Messias dos judeus ( o Messias segundo as profecias do Tana’ch). Alguns motivos para objeção:
    – A promessa do Emanuel (Imanu El) – Isaías (Ieshaiáhu) 7:10-16, interpretada erroneamente pelo segmento evangélico como profecia messiânica (ou promessa do Messias).
    “E mais falou o Eterno a Ahaz, dizendo: Pede para ti um sinal do Eterno teu Deus; pede, quer seja oculto ou com claridade. Mas disse Ahaz: Não pedirei; não testarei ao Eterno. E respondeu (Isaías): Escuta agora, ó Casa de Israel! Não te parece suficiente que desdenhes homens, que queres até desdenhar meu Deus? Eis pois que o Eterno, Ele mesmo, vos dará um sinal: eis que A MOÇA grávida dará à luz um filho e o chamará ImanuEl (Deus está conosco). Quando ele souber evitar o mal e escolher o bem, alimentar-se-à de nata e mel. Pois ainda antes (que atinja a idade) de saber afastar o mal e escolher o bem, a terra cujos 2 reis tu temes estará completamente abandonada.” – Isaías (Ieshaiáhu) 7:10-16
    a) O nascimento do ImanuEl (Ezequias) seria um sinal para Acaz (isto é, para os seus dias) – seria isto o sinal de que a promessa do Eterno se cumpriria e o intento dos 2 reis (Isaías 7:1 – Retsin, o rei de Ara, e Pêcah ben Remaliáhu, rei de Israel) de atacá-lo e destruir Judá não daria certo. Isaías 7:1
    b) O ImanuEl nasceria de uma ALMAH (moça, jovem, mulher nova), segundo a versão Hebraica (o Tana’ch).
    Na Bíblia Cristã (versão Católica e Protestante) – o ImanuEl nasceria de uma virgem – BETULAH – à semelhança dos deuses das religiões mitólogicas pagânicas (Egipcia, Persa e Hindu).
    c) O sinal prometido a Acaz se cumpriu dentro do seu tempo hábil, tal qual profetizado por Isaías 7:14 – o capítulo nove e versículo cinco de Isaías fala do seu cumprimento:
    “Pois NASCEU ENTRE NÓS uma criança, UM FILHO (DE AHAZ, da dinastia de David) nos foi dado. E sobre os seus ombros estará a autoridade; por isso o maravilhoso Conselheiro, o Deus Todo-Poderoso e Pai eterno, alcunhou-o (a Hizkiáhu [Ezequias], o filho de Ahaz) de Sar-Shalom (Príncipe da Paz) – Isaías 9:5 – Bíblia Hebraica – Editora Sêfer.
    d) Nesta profecia tomada como profecia messiânica pelo cristianismo é frequente o erro por parte dos cristãos em querer levar o seu cumprimento para sete séculos após ter sido dada (para o início da Era Cristã). Sabemos que realmente nasceu um menino nos dias de Acaz segundo a profecia que a ele se dirige como ImanuEl (Isaías 8:8) atribuindo-se ao REI EZEQUIAS esse título.
    e) O tempo da desolação que se abateria sobre os dois reis (Retsin e Pêcah) ou os dois reinos (Síria e Israel) seria a idade em que o menino saberia afastar o mal e escolher o bem (aproximadamente 13 anos – o Bar Mitzvah, tradição judaica onde o jovem, apartir de então, já tendo noção do certo e do errado, pode ser responsável pelos seus atos).
    f) Na Bíblia Cristã (versões Católica e Protestante) o versículo 5 do capítulo 9 de Isaías da Bíblia Hebraica é vertido de forma a colocar esse menino, essa criança, esse filho como sendo um Deus (DEUS FORTE) – isto aparece claramente no capítulo 9 e versículo 6 de Isaías das Bíblias Cristãs.
    A Bíblia Hebraica, o Tana’ch se refere a ele no versículo 5 e não no 6, dizendo a seu respeito que…:
    “… o maravilhoso Conselheiro, o Deus Todo-Poderoso e Pai eterno, alcunhou-o de Sar-Shalom (Príncipe da Paz)”
    ou seja, o apelidou, o chamou, o denominou de Príncipe da Paz; enquanto que a Bíblia Cristã o transforma em DEUS FORTE (9:6) e NASCIDO DE UMA VIRGEM (7:14). O que podemos constatar é uma distorção das Escrituras Hebraicas com a finalidade de aproximar da base ou fundamento da teologia messiânica CRISTÃ ( que sem dúvida é pagã).

  27. Édis B. Lacerda says:

    A DESCENDÊNCIA DO MESSIAS

    O Messias esperado pelos judeus, deve descender de David, das sua entranhas, ver II Samuel (Shemuel Bet) 7:11-29; Salmos (Tehilim) 89:35-37 e Jeremias (Irmiáhu) 23:5.
    Este é o Messias através do qual a casa, o reino e o trono de David seria firmado ou estabelecido para sempre.
    O Messias Neo Testamentário não possui descendência em David conforme podemos constatar através do próprio Novo Testamento:
    a) José é chamado de Filho de Davi – Mateus 1:20
    b) De acordo c om o próprio Evangelho de Mateus (Mateus 1:20) Jesus, o Messias dos Cristãos, não é filho biológico de José, POIS É GERADO DO ESPÍRITO SANTO. Através de José está perdida a possibilidade de ligação ou descendência com David. Quanto ao lado paterno não há laços consagüineos.

    “Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe desposada com José
    antes de se ajuntarem, ela achou ter se concebido do Espírito Santo. E como José, seu
    esposo, era justo e não a queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E projetando ele
    isso, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: josé, filho de Davi, não
    não temas receber a Maria, tua mulher, pois o que nela se gerou é do Espírito Santo; ela
    dará á luz um filhho, a quem chamarás JESUS; porque ele salvará seu povo dos seus
    pecados”. – Mateus 1:18-21; Lucas 1:26-38

    c) O próprio José estava consciente de que o filho no ventre de Maria não era seu, ao ponto de
    querer abandoná-la.
    d) Maria não era da casa paterna de David (Tribo de Judá)
    Isabel é chamada de parenta de Maria – Lucas 1:36
    Isabel era descendente de Arão – Lucas 1:5
    Se Isabel é parenta de Maria e descendente de Arão, isto torna Maria descendente de Levi
    – casa paterna de Arão (Tribo de Levi e não de Judá) – Número 18
    e) Neste caso está perdida a descendência davídica do Messias do Novo Testamento, tanto do
    lado paterno quanto do lado materno. Embora a genealogia Biblica seja contada sempre
    considerando o lado paterno e nunca o materno
    f) Não possuindo a descendência davídica, ao reinvindicar o trono e posição do Messias
    o Messias do Novo Testamento se coloca numa posição de IMPOSTOR E USURPADOR!
    g) Mateus inclui Jeconias entre os ancestrais de Jesus – Mateus 1:11, isto lhe impede de
    pleitear o trono de Davi, diante do impedimento de os descendentes de Jeconias poderem
    ser reis em Judá, por determinação DIVINA, ver Jeremias 22:24-30

    • Édis Lacerda vc deve estudar a genealogia primeiro para depois afirmar qualquer coisa sobre isso, a descendencia se conta pela descendencia da mulher… até o Alcorão afirma que o Messias Yeshua morreria SURATA 3:55 cf. 19:33 e ressuscitaria dos mortos SURATA 19:33. Os soldados que o crucificaram creram que Ele era o Messias, Pôncio Pilatos foi o comandante dessa crucificação e não existem vestígios históricos que dão testemunho contrário a isso, há evidencias esmagadoras históricas e reais que Jesus (Yeshua) morreu e ressuscitou ao terceiro dia, as evidências e historicidades dos registros do evangelho foram confirmadas por uma profusão de manuscritos do Novo Testamento. Séculos antes de seu nascimento fora profetizado na Torah que o Messias nasceria de uma mulher virgem (Maria tinha 13 anos de idade quando engravidou) e isto está em Gn 3:15, da linhagem do filho de Adão (Sete) Gn. 4:26 através de Noé (Sem = semitas) Gn. 9:26-27 e de Abrão Gn; 12:3 e 15:5 viria da Tribo de Judá Gn. 49:10 e seria descendente de Davi II Samuel 7:12, foi prevista sua morte pelos pecados da humanidade e não da restauração política de Israel Salmo 22 e Isaías 53, Zacarias 12:10 e que ele ressuscitaria dos mortos Sl 2:7 e 16:10 outras profecias foram cumpridas a risca Miquéias 5:2, Daniel 9:26, Isaías 7:14 e isso tudo jamais aconteceu a nenhum outro líder da humanidade. No livro de Mateus a genealogia de Cristo fica evidenciada e indica a profecia de Isaías 7:14 e no evangelho de Lucas ele cita essa miraculosa concepção Lc 1:26 e Paulo fala em Gálatas 4:4 que a concepção de Maria foi realmente miraculosa e singular. O caráter de Cristo foi superior isso fica claro através de seus ensinos Lc 23:34, 43, fica exemplificado no sermão do monte Mt 5:7 e ele não se vingou de seus inimigos antes os perdoou Mt 26:52, foi exemplo em tudo bondade Mt 9:36, chorou por Jerusalém Mt. 23:37, condenou a religião Mt 23 e fez afirmações audaciosas como “Eu e o pai somos um ..” João 10:30 antes de Abrão nascer Eu SOU João 8:58 cf. Exodo 3:14, afirmou sua bondade e humildade Mt 11:29, Mt 18 seus ensinos foram poderosos Lc 15 e Lc 10; Esse homem chamado de Yeshua foi superior a Moisés e Moisés disse isso em Deuteronômio 18:15-19 prevendo que se levantaria um homem e quem não cresse nele seria julgado por Deus e em Gn. 3:15 ele foi profetizado como quem esmagaria a cabeça da serpente (DIABO). A revelação dada por Yeshua foi superior a Moisés – Graça e Verdade vieram por meio de Yeshua (Jo 1:17) pois a lei não pode salvar ninguém.;;

  28. Édis B. Lacerda says:

    Prezado Léo, apenas uma pergunta:

    QUEM É MESMO YESHUA HA MASHIA???

  29. A Paz do Senhor Jesus a todos, sou apenas uma pessoa que acredita que Deus é Espirito, e que seus adoradores o adoram em Espirito e verdade. Agora de que adiantaria eu ter tanto conhecimento, e não ter Deus, pensem nisto intelectuais, eu ouvi a voz do Espirito Santo hoje, e voce????

  30. Édis B. Lacerda says:

    Me admira muito, conseguirmos enxergar perfeitamente os ditames de uma religião, enquanto que nos passa desapercebida, O RUMO, A DIREÇÃO APONTADA, por Deus nas Sagradas Escrituras!!! Já faz séculos que nos foi apontado o verdadeiro rumo, a verdadeira direção, está diante dos nossos olhos, dentro da mesma Bíblia que estamos acostumados a folhear, a examinar!!! Não em código, não por parábola, não envolta em mistério (como que necessitando de revelação). Mas de forma direta e clara e em nosso próprio idioma. De que outra melhor maneira Deus poderia nos revelar??!!
    O nosso maior problema é a viseira que o sistema religioso nos colocou dificultando enxergar como precioso aquilo que é precioso pra Deus, desprezando o verdadeiro caminho, o referencial de direção apontado por Ele.
    Veja como é simples, é somente aceitar a sua palavra, aqui está a direção o rumo:
    Romanos 3:1-2; Salmos 147:19-20; Isaías 44:1,2,6,7,8; Evangelho Segundo João 4:22; Zacarias 8:20-23; Miquéias 4:1-2
    Mas há um detalhe muito importante: só será possível ENXERGAR, se deixarmos o nosso orgulho de lado, admitindo que fomos de fato enganados e ludibriados pelo falso sistema religioso.A polêmica em torno do NOME, ao contrário do que alguns possam imaginar, se mostrou muito útil e produtiva nos dando a oportunidade de refletir a respeito daquilo que cremos, serviu para nos trazer muitas informações das quais antes não tínhamos a mínima noção. Parece que Deus tem os seus meios de AVIVAR A SUA OBRA ao longo dos anos Habacuque 3:2.
    Uma coisa ficou patente, diante de nós,… é que há afirmações distintas e independentes em ambas religiões, Cristianismo e Judaísmo, acerca de um mesmo tema, como por exemplo no caso do Messias e do Messianismo.
    Quando se afirma o Messias veio ou já veio – esta é uma afirmação da religião cristã e só dela.
    Ao contrário do que ocorre no Cristianismo, o Messias dos judeus virá uma única vez e de forma definitiva. As evidências comprobatórias da sua vinda será a série de mudanças e transformações previstas pelas Escrituras que deverão ocorrer sobre a Terra. Como podemos ver… nada aqui tem mudado ou se transformado para melhor. O que temos visto é o aumento da violência, corrupção, injustiça, miséria, pestes, doenças, guerras, ódio, cataclismas…
    O Messias dos judeus virá no tempo apropriado trazendo consigo o reino messiânico. Não pode haver Messias fora da era messiânica.
    O Messias judeu não possui as mesmas premissas do Messias dos cristãos. Ele não virá para morrer por alguém, salvar ou perdoar pecados, não é esse o seu papel ou função. Não existe o dogma da mediação ou da intercessão no judaísmo; coisa que o Messias do Novo Testamento se propõe a fazer pelos homens – João 14:6.
    O Messias dos judeus não é um DEUS ou um SEMI-DEUS nascido de uma virgem, à semelhança dos deuses pagãos; será um personagem igual a seus irmãos em termos de humanidade.
    O Messias dos judeus ou do TANA’CH, deve ser descendente de Davi.
    O Messias do Novo Testamento não tem linhagem ou descendência em Davi, por não ser filho BIOLÓGICO de José – Lucas 1:30-35; Mateus 1:18-20. José é chamado textualmente de “filho de Davi” – Mateus 1:20; Lucas 1:27; Lucas 2:4-5. Mas o Messias do Novo Testamento não foi gerado por José – Mateus 1:18-20
    Maria, sua mãe, pertencia a uma outra linhagem, não sendo ela descendente de Davi. Maria era parenta de Isabel – Lucas 1:36 – Isabel era descendente de Arão – Lucas 1:5 (tribo de Levi, não de Judá)
    Mateus 1:11-12 INCLUI Jeconias entre os ancestrais de Jesus, isto impede o Messias do Novo Testamento de pleitear o trono de Davi, uma vez que os descendentes de Jeconias foram impedidos por determinação divina de serem reis em Judá – Jeremias 22:24-30.

    A responsabilidade é pessoal, as Escrituras estão diante de nós. Cabe a cada qual escolher em que verdade querer acreditar. Você tem dois Messias distintos entre si. Escolha o seu!!!

  31. Édis B. Lacerda says:

    Na BÍBLIA HEBRAICA, lançada no Brasil pela Editora Sêfer, no ano de 2006, em português, podemos encontrar o nome grafado da seguinte forma: Iehoshúa, sendo a sua primeira letra o I (maiúsculo), possuindo também um acento agudo sobre a vogal u . Também encontramos o nome grafado em caracteres hebraicos, é só conferir o cabeçalho da primeira página do livro de Josué, na BÍBLIA HEBRAICA, citada acima. O nome Yahushua, aqui mencionado, ou Yehoshua, como queiram os copistas, em momento algum fazem referência ao Messias. A primeira vez mencionado nas Escrituras, se refere a Oshea ben Num (Oséias, filho de Num) – Números 13:8; Deuteronômio 32:44; Números 13:16. A segunda vez que o Nome é mencionado, faz referência ao sumo sacerdote Ieshúa ben Iotsadac, conforme grafado na BÍBLIA HEBRAICA da Editora Sêfer, lançada em português, no Brasil no ano de 2006 ( Esdras 3:2, 8; 4:3; 5:2; Neemias 7:7; Ageu 1:1,12,14; 2:2,4; Zacarias 3:1,3,6,8,9; 6;11).
    Em nenhum desses momentos o nome citado faz referência ao Messias.
    Quanto ao NOVO TESTAMENTO (conforme citado pelo amigo Mateus 1:21), NÃO EXISTE NOVO TESTAMENTO NA BÍBLIA HEBRAICA, nenhum Evangelho ou Epístola Apostólica, sequer; é consenso de acordo com a teologia cristã que a fonte original do Novo Testamento, donde procede o textus receptus, É O GREGO.

  32. Édis B. Lacerda says:

    É um grande equivoco acreditar que o único problema com o Novo Testamento e o seu personagem central é apenas uma questão de nomes e… que… substituindo estes nomes por nomes hebraicos ou aramaicos (como querem alguns) estaria corrigido este problema.
    Este invencionismo, por incrível que pareça, tem convencido a muitos e já são vários os grupos que crêem e apregoam esta “verdade” equivocada como se fosse uma verdadeira revelação divina.
    Pessoas sinceras em sua fé, com sede da verdade, mas infelizmente equivocadas, acreditando em um ensino equivocado.
    Os esforços desses grupos na tentativa de validar o Novo Testamento, segundo o contexto judaico, é tremendo; além de criarem versões particulares das Escrituras, que atendam a sua necessidade de fundamentar o seu equivoco doutrinário, já estão até mesmo lançando mão do misticismo, como é o caso do Sr. Robespierre que tenta afirmar haver uma mensagem oculta dentro das Escrituras Hebraicas a respeito do messias judeu ( que já teria vindo uma primeira vez – ensino contraditório aos princípios teológicos do judaísmo). Na tentativa de enxergar e mostrar para os menos esclarecidos este messias, o Sr. Robespierre relaciona os nomes da genealogia que se encontra no capítulo 5 de Gênesis (B’Reshit) do verso 1 ao 32, diz que através do conhecimento do significado desses nomes é possível perceber que fala deste messias bem como do seu nome hebraico. Em seus videos deixa o seu endereço eletrônico e contacto para quem quiser aprender a respeito dessa verdade.
    Apesar de tudo isso, podemos considerar que houve avanços positivos, em relação ao anti-semitismo difundido e estimulado durante séculos pela religião e seus dogmas. De alguma forma parece estar havendo uma aproximação desses grupos da cultura de Israel e do judaísmo. Isto pode significar menos intolerância e ódio! O que mais prejudica os incautos é o fato de não buscar direto da fonte original e aceitar informações atravessadas, isto com certeza, os expoem ao risco de absorverem ensinos e verdades espúrias.

  33. Jeremias Savele says:

    Acho loucura, os judeus nao acreditarem em Jesus, pois ate mesmo no velho testamento constatamos que Jesus Cristo e o centro de todas as coisas. Jo 1:1. eu acho que os Judeus deviam ter a maior crenca em Jesus, pois foi la onde se deu a historia biblica.

  34. Édis B. Lacerda says:

    Prezado amigo Pr. Carlos A. Monteiro,

    como pode perceber é perfeitamente possível afirmar o messias cristão (ou dos cristãos) através da Bíblia Cristã, bem como do Novo Testamento, como voce fez, ao citar os versículos e referencias bíblicas.
    O difícil, porém, seria conseguir provar que este messias é o messias rei dos judeus, considerando as Escrituras Hebraicas e o que diz o conceito teológico judaico a respeito da era messianica e do Messias. Agindo assim não seria necessário ir tão longe para comprovar o caráter contraditório do mesmo.
    No início deste blog, o rabino Shraga Simmons, expondo o que diz os ensinos judaicos no que concerne a era messianica e o Messias, fica evidente os pontos teológicos discordantes entre o messianismo cristão e o judaico (se voce fala do Messias Rei dos Judeus não tem como não considerar a teologia judaica). Todos os seus argumentos estão em perfeita harmonia e concordância com o que diz o Cristianismo e a Bíblia Cristã (e quero acreditar que ao dizer isto não esteja falando grego ao amigo).
    Se estiver disposto a conhecer um pouco mais a respeito do Messias dos judeus e em que ele se diferencia do Messias cristão, gostaria de lhe sugerir a leitura do livro:
    JUDAÍSMO E CRISTIANISMO: As Diferenças – Autor: Trude Weiss-Rosmarin
    Você pode conseguí-lo através da Editora e Livraria Sêfer (www.sefer.com.br), tel.: (11)3826-1366 – fax (11) 38264508.

    • Denize says:

      Pelo que entendi entao só os judeus (os descendentes ou puros) tem direito a salvação ou ate mesmo a falar com Deus? Pois se for levar em conta nos mínimos detalhes, esse Deus dos livros sagrados (para os judeu ou os cristão) só se refere aos judeus como sendo seu povo escolhido de Deus (isto porque o livro foi escrito por judeus e para os judeus). Eu nao sou judia entao estou perdida por nao ter nascido como tal? Por favor Edis me responda.

    • Denize says:

      Gostaria ter resposta da minha indagação ou vcs não tem, por isso e que apagaram minha pergunta.
      Gostaria de saber no meu caso o que eu faço, pois nasci num lar católico e me tornei evangélica, pois Deus condena a idolatria, coisa que a igreja romana ensina a praticar. Pois bem, se for levar tudo o que dizem que são fatos sobre a igreja crista, não devemos seguir-la, porque e uma farsa dos romanos e gregos. Mas o problema e que também não posso seguir no judaísmo, pois não sou judia e se é pra desconsiderar o novo testamento e levar em conta só o novo, porque o deus dos judeus é só pros judeus. Esta escrito que eles e que são o povo escolhido. Será que isso ocorre porque a bíblia em sua grande parte foi escrita por judeus e para os judeus? E será também, vendo que os ditos gentios por não terem um deus que olhasse por eles e que foi feito o novo testamento? Só judeus tem direito a salvação?

      • frankherles says:

        Denise
        Suas perguntas não foram apagadas, não foram publicadas e nem respondidas antes por falta de tempo de nossa parte. Pedimos desculpas por isso, mas aí estão nossas considerações à sua indagações.

        1. “o Deus dos judeus é só para os judeus?
        – Não, mas para todos aqueles que acreditam e seguem os mandamentos do D-us de Israel; e o primeiro mandamento é: “Não terás outros deuses diante de mim” – Êxodo 20:3.
        Observando que “Deus ou D-us” não é um nome, mas um título genérico que poderia se aplicar a qualquer deus. Mas o D-us de Abraão, Isaque e Jacó (Israel) nos diz que Seu nome, representado aqui pelo Tetragrama Sagrado é YHVH. Assim Ele é distinguido de todos os deuses das religiões do mundo.

        2. “Esta escrito que eles e que são o povo escolhido.”
        – Sim, mas no sentido de “escolhido” para divulgar a Lei de D-us ao mundo, e Não no sentido de privilégio de qualquer ordem ou natureza. Basta saber os ‘por ques’ das histórias de escravidões, perseguições, inquisições, converções forçadas e eliminações de milhões de judeus ao longo dos séculos para não ter nenhuma dúvida neste sentido.

        3. “Será que isso ocorre porque a bíblia em sua grande parte foi escrita por judeus e para os judeus?
        – É verdade que a maioria dos quase 40 escritores biblícos – tanto da Tanak como do Novo Testamento – foram judeus, mas o cumprimento de profecias bíblicas de caráter universal em uma escala tão gigantesca que torna absurda qualquer outra explicação que não a sua inspiração divina, sua acurácia histórica comprovada pela arqueologia, sua acurácia científica (princípios da ciência moderna registrados na Bíblia como “fatos da natureza” muito antes que qualquer cientista os confirmasse experimentalmente, a exemplo de: A redondeza da terra (Isaías 40:22), a quase infinita extensão do universo (Isaías 55:9), o vasto número de estrelas (Jeremias 33:22), a lei do aumento da entropia (Salmo 102:25-27), a suma importância do sangue para a vida (Levítico 17:11), o campo gravitacional (Jó 26:7), etc. etc… demonstram que essa sua dúvida é improcedente…

        4. “Só judeus tem direito a salvação?”
        De maneira alguma. Qualquer ser humano possuir direito a salvação independente da religião que professa, basta ser uma pessoa justa, honesta, ética, moralmente correta consigo mesmo e para com os próximos, e seguir os mandamentos do D-us de Israel – os 613 mandamentos (para os judeus) ou simplesmente nas 7 Leis de Noé (para os não judeus).

        Resumindo:
        O judaísmo não é excludente, não é proselitista, não é exclusivista no sentido de que somente através do judaismo alguém pode ser salvo (na verdade, o exclusivismo através desta ou daquela fé é um grave pecado porque anula uma das Leis de D-us que é o livre arbítrio), não é xenófebo e não representa é a verdade absoluta, pois somente o próprio D-us de Israel é a verdade única e absoluta.

        Isto significa que entre os judeus muitos não serão salvos e entre os não judeus muitos serão salvos.

  35. Blumberg says:

    Prezados Rabinos,

    Também há correlação , salvo erro,na Lei Judaica com a Lei Egípcia ou Persa.
    Também temos contradições no Velho Testamento Hebraico, pois a Lei dos Dez Mandamentos dizia, ” Não Matarás”. Mas Moises acredito que aprovou o apedrejamento do casal adúltero”
    Mas, nada sei, de toda forma busco ao Deus verdadeiro, sempre independente da religião, mas na Verdade.
    Com respeito e perdão, pois nada sei.

    • frankherles says:

      Blumberg
      Não há correlação de nenhum trecho da Tanak com escritos egípcios ou persas, mas sim com registros da suméria – pequenos trechos de Gênesis que fala sobre Adão e Eva, o Jardim do Éden, a Torre de Babel, o Dilúvio e Sodoma e Gomorra.

      A tradução correta desse mandamento não é “Não Matarás”, mas “Não Assassinarás.” O verbo hebraico aqui é “ratsach”, usado para referir-se à assassinatos criminosos e nunca para legítima defesa ou para a pena capital.

  36. Édis B. Lacerda says:

    Prezada amiga Denize,

    Considerando a historia da conversão de Abrão e a sua origem segundo as Escrituras, podemos com certeza ter uma visão totalmente diferente sobre a aceitação de Deus aos diversos povos independente de sua etnia ou cultura. Por favor considere em sua Bíblia, Gênesis 11:26-32; Gênesis 12:1-9; Josué 24:1-3.
    Como podemos ver Abrão, é antítese a esta teoria de que somente os judeus são aceitos por Deus como sendo seu único povo escolhido no sentido de salvação, segundo a própria Bíblia! De acordo com os trechos bíblicos citados Abrão era de Ur dos caldeus, uma região da Mesopotâmia, não era judeu ou israelita, os costumes religiosos da sua família eram totalmente contraditórios ao que requeria o Eterno, ou sejam participavam de um culto idólatra, adorando aqueles que acreditam ser deuses, conforme a sua ignorância os guiavam. Abrão viveu assim até os seus 75 anos de idade, quando Deus se revelou a ele lhe dando a conhecer Sua maravilhosa graça, Abrão teve que percorrer uma longa jornada enquanto Deus se manifestava a ele e se revelava. Abrão era caldeu e idólatra como tal, mas Deus na sua infinita misericórdia não o censurava ou recriminava pelas suas práticas; ele apenas agia segundo a sua ignorância, o fato de ser escolhido pode nos indicar que apesar disso havia virtudes em Abrão, como por exemplo sinceridade de coração. De fato, como mostra a Bíblia, Abrão jamais retornou às práticas idólatras de antes!
    Uma prova de que Deus não rejeita uma pessoa por não ser judia ou um judeu, é o texto que está registrado em Isaías 56:1-7. Você quer MAIS DO QUÊ um lugar dentro da casa do Senhor e dentro dos seus muros? Você quer MAIS DO QUÊ um nome MELHOR DO QUE O DE FILHA OU DE FILHO? Mais do que um NOME ETERNO? Se isso não for aceitação deveria ser no MÍNIMO um MIMO. Sim a nação eleita como tendo uma vocação missionária, no sentido de manifestar o conhecimento do Eterno às nações é sem dúvida Israel, por que primeiramente a ele foi direcionado os oráculos do Eterno ou a Sua PALAVRA. Ver Isaías 55:1-6; Isaías 44:1-8.
    Aceite e viva a palavra do Eterno e terá aceitação por parte Dele!

  37. Édis B. Lacerda says:

    Prezado amigo Blumberg,

    A bíblia cita casos de punição com apedrejamento até a morte do infrator, isto servia para afastar o erro dos termos de Israel, exemplificando assim de forma drástica os infratores. Ver Êxodo 22:18-21; Êxodo 32:25-29; Números 15:32-36; Levítico 20:1-27; Deuteronômio 17:1-7; Deuteronômio 21:18-21; Deuteronômio 22:13-30.
    Creio eu que o fato de existir tal punição para atos considerados gravíssimos tivesse como objetivo barrar, limitar os atos infracionais na sociedade da época, permanecendo no consciente coletivo a idéia de punição.
    Creio eu, que o nosso senso de justiça seja muito fraco para nos posicionarmos como árbitros da JUSTIÇA DIVINA. Dessa forma seria muito difícil para nós absolver ou condenar alguém.
    As Escrituras jamais retratou qualquer que seja um dos seus personagens, seja patriarca, profeta, rei, juiz, como sendo super perfeitos, ao ponto de não estarem sujeitos as mesmas fraquezas e imperfeições de qualquer outro ser humano. Assim podemos ver falhas em todos eles, como registram as prórias Escrituras Sagradas, se você ler a Bíblia, vai perceber isso na história de Noé, Abraão, Isaac, Jacó, Moisés, Davi e tantos outros…
    Êxodo 2:11-15, por exemplo, narra o incidente onde Moisés mata o exator egípcio, ocultando o seu cadáver na areia. Sendo humano, e … vendo as injustiças praticadas contra os seus irmãos diariamente,… é … perfeitamente compreensível que Moisés se revoltasse e irasse ao ponto de se levantar contra o o egípcio, matando-o. Não estou dizendo que está certo tirar a vida de alguém, nem a Bíblia jamais passou esta idéia. Se Moisés considerasse correta esta atitude,… talvez… não tivesse motivos para fugir após este ato. E… quem sabe… procurasse se justificar perante o faraó e as autoridades egípcias.
    A vida é um dom divino e ninguém tem deliberadamente o direito de tirá-la de outro, seja lá pelo motivo que for. Quando se trata de seres humanos, somos todos iguais, sem dinstinção, todos falíveis. Perfeição, santidade, misericórdia ao nível Divino, somente no Eterno é possível.

  38. Denize says:

    Cheguei a uma conclusão:
    Seguir mandamentos daqui, seguir mandamentos dali. Regras, regras e mais regras religiosas.
    Vocês acham que Deus quer que sejamos escravos de uma religião? A religião foi inventada pelo homem para controlar as pessoas, esta é a minha conclusão. Porque Deus não é escravo, portanto não somos também.  Se ele quisesse que fossemos escravos de religião ou de qualquer outra coisa não nos teria dado livre-arbítrio e discernimento. E quando nos fez teria colocado isto dentro de nós e assim não seria um fardo seguir mais esse monte regras além das sociais, etc. Sabe por que é um fardo? Porque não é de deus. E quem disser que não é escravo quando segue uma religião está mentindo.
    Sei que muitas pessoas precisam estar embaixo de um monte de “nãos” pra levar uma vida saudável para com ela e para com os outros. Um exemplo é um viciado em qualquer tipo de droga que está disposto a tudo para ter prazer e num belo dia acaba se convertendo, o que faz bem pra ele e para as pessoas a sua volta. Pessoas assim sem limites, precisam ser “escravos” de algo que preserve a vida delas e consequentemente fazem bem ao próximo e não escravos de algo que fassa o contrário.
    Mas voltando ao assunto. Isso de controlar ou escravizar as pessoas é do homem, e já e muito antigo. Controlam as pessoas através das religiões, através da política, da economia etc e quando não conseguem esse controle fazem as guerras e exterminam os que não seguem o que os dominantes pregam. Na essência é isto, infelizmente.
    Deus quer que usemos o nosso livre-arbítrio para fazer o bem a nós e aos outros, porque quer que preservemos a vida que nos deu. Ele não quer guerra de nenhum tipo, pois ele é bom.  Por isso fica difícil de acreditar que tenha sido Deus que mandou os judeus exterminar outros povos para tomar suas terras como diz nas escrituras, seria o mesmo que acreditar que holocausto foi mandado por Deus, que as guerras santas são de Deus. Será? Esse deus aí não é o Deus criador dos céus e da terra e sim o deus inventado pelo homem pra justificar sua maldade no anseio de ser um deus na terra sem medir consequências.
    Esta é a essência de tudo isso.

  39. Édis B. Lacerda says:

    Prezada amiga Denize,

    Eu não acho, ou não acredito, que o Eterno (Deus) queira que vivamos escravos de uma religião, por mais bem intencionada que ela seja (afinal de contas… DIZEM… que… de boas intenções… O INFERNO ESTÁ CHEIO). Mas algum referencial ou parâmetro devemos ter quanto a questão da obediência, e este referencial ou parâmetro no sentido da fé ainda se trata das Escrituras Sagradas, se você tiver definido pra você o que são as Escrituras Sagradas, então está tudo bem.
    Você está certa, na sua colocação (religião só causa confusão), concordo com você. Mas se você acredita ou acha que não necessita de parâmetros ou de referencial… isso aí é com você. Quer criar suas próprias regras de como servir à Deus?!!! Quem sou eu, ou alguém para lhe ditar regras?
    As religiões tem tudo isso que você disse: procura submeter as pessoas a um monte de regras, escraviza…; o Eterno (Deus) porém,… é diferente. Se acha à altura de criar a sua própria religião, ou quer isso? Não discuto com você. Quanto algumas coisas que parecem difíceis ao nosso entendimento ou à nossa aceitação…, elas estão, sim presentes nas páginas da Bíblia, mas e daí? Isso deve impedir ou colocar obstáculos à nossa fé em Deus?
    Não deixe que alguém, muito menos uma religião, te imponha regras ou te escravize. Mas se o Eterno (Deus) através das Escrituras ou através de um toque em seu espírito te faz sentir que é bom agir de uma determinada maneira, Não RESISTA (obedeça).

  40. Denize says:

    Edis, vc diz pra eu criar uma religião? Que absurdo! Acho que nao entendeu o q eu disse na nota anterior.
    Se eu quisesse mandar, comandar, inventar um monte de regras para pessoas sem discernimento ou algo assim, eu nao estaria repudiando a religião q escraviza por suas infinitas regras.
    Se vc fosse tao religioso nao estaria blasfemando (de acordo com muitas religiões e provavelmente com a sua) ao suscitar alguém criar uma religião. O mundo ja ta cheio de denominacoes isentas de impostos, acrescidas de no minimo 10% das ecomonomias dos frequentadores e nao esta melhor por isso. Se vc ta querendo criar uma denominacao, ( já deve ter passado por tantas), fique a vontade pq a sua boca fala o q o coração ta cheio. Vá lá, invente mais regras a saia por aí dizendo q foi inspirado por deus, mas certamente esse deus nao será o Deus Criador.
    Em nenhum momento disse que nao acredito em Deus ou que nao tenho fé. Simplesmente nao acredito no homem e suas regras de como eu tenho q reverenciar o Criador. 
    Tenho moral, bom senso e principalmente temor a Deus, nao preciso de 613 ou mais regras para viver uma vida saudável e grata a Deus. Pois os 9 mandamentos sao coisas q ja estao no coracao, isso é moral e bom senso, nao guardo o sábado, nem por isso deixo de ter momentos de comunhão com Deus. 
    Como já disse têm pessoas q precisam de regras e os 10 mandamentos são insuficientes e muitas vezes nem 1000 são suficientes.

    Reverenciar e amar a Deus é simples e nao tem q ser feito por interesse.
    O problema é q muitos religiosos tao barganhando com Deus, fazem tal coisa pra ter tal coisa, por que fazer o que é certo (o acaba sendo d acordo c a vontade de Deus) pra alguns é só moeda de troca? 

    Por fim…Respeite meu livre-arbítrio que foi dado pelo Criador, pois como vc disse “Não deixe que alguém, muito menos uma religião, te imponha regras ou te escravize.” e é exatamente o q estou fazendo, nem por isso significa q sou ateia.

  41. Édis B. Lacerda says:

    Prezada amiga Denize,

    Entendi a sua postura de livre pensadora. Também que tem o direito ao livre árbitrio e o utiliza conforme lhe parece direito. Eu aceito para mim a revelação do Sinai como sendo verdadeira e a palavra dos profetas de Israel, aquilo que está escrito na Torah e no Tana’ch (a Bíblia Hebraica) eu encontrei razões suficientes para mim para acreditar nestas Escrituras. Não digo que alguém deva acreditar assim só porque eu creio! Continue PENSANDO e usando o seu livre arbítrio.

    SHALOM!

  42. Édis B. Lacerda says:

    Para reflexão (leia em sua Bíblia):

    Mishlê (Provérbios) 16:9; Irmiáhu (Jeremias) 17:9-10; Ieshaiáhu (Isaías) 55:6-9; Irmiáhu 17:5,7; Ióv (Jó) 28:28; Shemuel Bet (II Samuel) 22:31; Tehilim (Salmos) 119:105; Devarim (Deuteronômio) 32:4; Tehilim 19:8-12; Tehilim 119:159-160; Mishlê 14:2; Tehilim 119:142; Tehilim 1:1-16; Shemuel Bet 7:28; Cohélet (Eclesiastes) 12:13

  43. Édis B. Lacerda says:

    Extraído do livro: ESTE É O MEU DEUS – Autor: Herman Wouk – Editora & Livraria Sêfer

    “Pela tradição , o judaísmo tem 613 mandamentos. Este número é geralmente conhecido. O que poucos sabem, no entanto, é que a maioria desses mandamentos rege as atividades agrícolas, a vida no Templo e o direito penal, HOJE SEM APLICAÇÃO PRÁTICA. Estimo que um judeu observante e estudioso consiga relacionar, no máximo, uma centena de preceitos que se aplicam à vida moderna.
    O judeu que segue NÃO MAIS DO QUE DUAS DÚZIAS de preceitos-chave será chamado de ORTODOXO. É UM ABATIMENTO CONSIDERÁVEL, este que reduz o considerável total de 613 para APENAS 24. Este é um dos fatos que, no meu entender, devem ser conhecidos quando se faz UMA AVALIAÇÃO ADULTA DO JUDAÍSMO.
    Que ninguém me interprete mal. Não quero dizer que se pode atender plenamente ao chamamento da Lei de Moisés pela observância de umas poucas práticas formais e adotar uma conduta incongruente em outras áreas da vida. O que afirmo é que o preço de uma vida regulada pelo judaísmo não é um total afastamento das maneiras, do modo de pensar e das atividades existentes; e nem a adoção de modos de vida tão estranhos e complicados a ponto de serem paralisantes; e menos ainda de nos isolarmos do destino comum da humanidade. ESTES SÃO CONCEITOS TÃO INVERÍDICOS QUANTO POPULARES.”

    – Herman Wouk – Livro “ESTE É O MEU DEUS – A Maneira Judaica de Viver” – pags. 51 e 52

  44. Édis B. Lacerda says:

    Para quem (ou a quem é dirigida) a TORAH (a instrução do Eterno)? Somente para o povo de Israel???!

    O que diz a Tradição Judaica e os sábios à respeito?

    Resposta extraída de nota de rodapé da Torah, ao comentar o versículo 18 do capítulo 20 de Shemót (Êxodo): (“E todo o povo via os trovões, as tochas, o som do shofar e o monte fumegando; e viu o povo e tremeu, e ficou de longe.”):

    18. E todo o povo via os trovões – Rabi Iochanan ben Zacai explica assim este versículo: “vozes não são vistas, mas sim ouvidas; também trovões só podem ser ouvidos e não vistos. Mas o sentido exato da frase é que o povo percebeu as vozes que acompanharam os trovões; o povo compreendeu a substância transcendental deste aviso aompanhado por trovões e relâmpagos. Como o texto menciona Colót (vozes no plural) e não Col (voz no singular), podemos deduzir que A VOZ DO SINAI DIVIDIU SE EM SETENTA VOZES, EM SETENTA IDIOMAS, PARA QUE TODOS OS setenta POVOS desta época PUDESSEM OUVIR E ENTENDER NO SEU RESPECTIVO VERNÁCULO A PROCLAMAÇÃO DO SINAI. Em outras palavras, aquilo que a voz do shofar proclamou no monte Sinai não APELOU EXCLUSIVAMENTE ao coração ou à consciência do Povo de Israel, mas sim AOS CORAÇÕES DE TODA A HUMANIDADE.” O mesmo acontece em relação ao primeiro mandamento “Eu sou o Eterno, teu Deus” que, visto ter este versículo sequência “que te tirei da terra do Egito, da casa dos escravos”, poderia ser interpretado como se fosse dirigido exclusivamente ao povo de Israel. Mas para impedir esta interpretação errônea, os sábios explicam que a oração sublime da fé judaica Shemá Israel (Escuta Israel) na qual proclamamos que Deus é Um, é dirigida Lechól Batê Olám, a toda a humanidade. Chegará o dia em que todos os seres humanos hão de confessar conosco que só existe um único Deus, um único Poder Supremo, transcendental, metafísico, que dirige e orienta o destino do Universo. (MD)”
    * Extraído de nota de rodapé da Torah – A Lei de Moisés (Edição Revisada e Ampliada da Obra – A LEI DE MOISÉS E AS HAFTARÓT) – Realização: Templo Israelita Brasileiro Ohel Yaacov – Centro Educativo Sefaradi en Jerusalém – Editora & Livraria Sêfer – (Edição de 2001)

  45. Prezados Edis
    Nasci em berço católico, ainda jovem desisti desta religião pois lendo as Escrituras Sagradas, compreendi que esta pratica e ensina uma religião em desconformidade com a vontade do “Pai Celestial”.
    Tornei-me evangélico, pensando em fazer melhor, e agradando meu Criador. Guardo o sábado e procuro
    guardar os mandamentos como um todo, entendendo-os como uma DÁDIVA e não como um PESO.
    Amo meus irmãos cristãos e sempre amei meus irmãos judeus, desde quando criança!
    E sabe porque ? Porque toda a informação e cultura que gera harmonia e paz neste mundo, tem sempre
    a influência judaica e cristã. Desde que tive algum discernimento das coisas, sempre vi e comprovei que
    a despeito de nossas imperfeições humanas, o grande ELOHIN , ELOHEI ISRA’EL, sempre foi benigno
    com todos, gentil e amoroso, muito mais do que um pai terrestre. Vossos conceitos não são tão estranhos
    para um Cristão de verdade, que lê as ESCRITURAS SAGRADAS e faz delas um uso constante.
    No final das contas, no dia do GRANDE JUÍZO que está por vir, ninguém será salvo por obras, mas pela
    MISERICÓRDIA DE YWHW, por isto que nós cremos no YESHUA HA MASHIACH, que é a misericórdia
    do ALTÍSSIMO para nós, os gentios. Chamamos a isto de a PORTA DA GRAÇA. pois assim como o pró –
    prio nome fala por si mesmo : ” YWHW é Salvador, ou YWHW salva .
    Esta é a crença fundamental (ainda que distorcida de várias formas) pela grande maioria dos cristãos.
    Nós amamos ao nosso próximo, amamos os judeus, e com difuculdades, amamos nossos inimigos: e este
    é um mandamento do próprio Yeshua : ” AMARÁS AO TEU ELOHIM DE TODO O TEU CORAÇÃO, COM TODAS AS TUAS FORÇAS E COM TODO O TEU ENTENDIMENTO, E AO TEU PRÓXIMO, COMO A TI
    MESMO, e nisto, segundo ELE, está baseada toda a LEI E OS PROFETAS.
    A paz celestial esteja contigo

  46. Édis B. Lacerda says:

    A RESPEITO DA TORAH
    (Texto extraído do livro INICIAÇÃO AO ESTUDO DA TORÁ – Autor: Auro Del Giglio – Editora e Livraria Sêfer) pags. 15 e16 :

    “Recebemos (os israelitas, povo judeu) a Torá no monte Sinai no ano 2448 do calendário judaico (1313 a.e.c), há cerca de 3000 anos. Os judeus chegaram ao monte Sinai no segundo dia do mês de Sivan. No sexto dia de Sivan, os judeus ouviram os Dez Mandamentos (Êxodo 20:1) e, no sétimo dia de Sivan, Moisés subiu ao Monte Sinai para receber as Tábuas da Lei que contêm o Decálogo (Êxodo 24:12). Acreditamos (os judeus, povo israelita) que a Torá foi ditada letra por letra, palavra por palavra de Deus para Moisés, que as escreveu em um rolo de pergaminho. Portanto os cinco livros de Moisés que constituem a Torá são a expressão exata da Palavra de Deus. Acredita-se que tão logo terminava de escrever uma nova parte da Torá, Moisés adicionava-a ás 12 cópias que escreveu para cada uma das 12 tribos do povo de Israel. A TORÁ CONTÉM, AO TODO 304.805 LETRAS QUE COMPOEM 79.976 PALAVRAS ( a Torá escrita no seu idioma original).
    Desde então, a Torá é copiada em rolos de pergaminho pelas mãos de escribas qualificados (“Soferim”), que obedecem a rigorosas regras garantindo a absoluta fidelidade ao manuscrito original e a ausência de erros. Esta prática milenar assegura a transmissão do texto bíblico de forma precisa, para que as gerações posteriores também possam tê-lo exatamente como nos foi legado por Moisés.
    Veremos a seguir que isto é a base de muitos dos métodos interpretativos do texto bíblico que dependem, por exemplo, da justaposição de versículos ou de palavras específicas no texto, assim como de aparentes redundâncias. É interessante notar também que a cada letra do alfabeto hebraico corresponde um valor numérico. Assim, uma outra interessante técnica interpretativa tradicional depende da equivalência numérica das somas dos valores das letras que compõem as palavras do texto bíblico (Guematria) se a ordem das palavras, a escolha das mesmas e sua exata grafia não tivesse origem Divina ou pudesse ser mudada ao longo das gerações, tais métodos de interpretação perderiam completamente seu fundamento.*

    • josé marques says:

      com todo respeito , mas , se o texto da TORAH , a que respeito é tão claro a voces judeus , como pois há , inclusive citado pela TORAH, a desobediência ao texto claro e limpo à vossa leitura e sabedoria ? creio que este fato aumenta e muito a responsabilidade e deveria fazê-los amar mais a misericórdia entre voces mesmos . Há conflitos rabínicos intermináveis , e isto não nos mostraque haja unidade ,e , nem clareza na leitura e prática dos textos , voce não acha ? é como o cristianismo , cheio de interpretações e conflitos . QUE POSSAMOS ENXERGAR A MENSAGEM DE DEUS , E A MISÉRIA DAS PRÁTICAS HUMANAS DENTRO DAS RELIGIÕES , QUE QUEREM SE APROPRIAR DA MENSAGEM FAZENDO DOS HOMENS SEUS SEGUIDORES , ODIANDO UNS AOS OUTROS , QUENDO A MENSAGEM DO CRIADOR É APENAS DE AMOR.
      FIQUEM COM D-US ,
      josé marques .

      • frankherles says:

        José
        No judaismo e, em certa parte no cristianismo, a variação das interpretações dos textos sagrados não só são comuns como incentivadas (obedecendo a Lei do Livre Arbítrio) para que a compreenção humana possa ser avaliada pelas “energias divinas” que interligam todas unidades (cada criatura) ao que tude Foi, É e sempre Será – A Fonte de tudo: D-us…

  47. Édis B. Lacerda says:

    *Uma outra linha de evidência reforça a idéia de que o texto mosaico nos foi legado exatamente da forma como o conhecemos hoje. Recentemente, pesquisadores israelenses que estudavam o Pentateuco letra por letra, sem espaços entre as palavras, conseguiram, através de sofisticados SOFTWARES, encontrar determinados intervalos de letras (seguências de letras eqüidistantes) de um novo código. Através deste novo código, por eles alcunhado de “Código da Bíblia”, novas mensagens podiam ser desvendadas dentro próprio texto bíblico, incluindo a menção a eventos futuros – como é o caso da palavra Chanucá, que passou a representar a comemoração do levante dos Macabeus em 164 a.e.c., que se revoltaram contra o domínio grego sobre a Palestina – fato ainda não ocorrido por ocasião da escrita da Torá. A estes novos códigos foi aplicado um elaborado tratamento estatístico para verificar qual seria a probabilidade de sua ocorrência se tais achados fossem devido ao acaso. Estes pesquisadores encontraram probabilidades baixíssimas de que tais associações de letras a intervalos eqüidistantes fossem casuais, o que levou a postular que houvesse uma coerência e um nível de organização muito maior e mais complexo do que o superficialmente aparente no arranjo letra por letra do texto da Torá.
    Esta pesquisa, conduzida por renomados investigadores no campo da matemática, estatística e informática, foi publicada na prestigiosa revista científica “Statistical Science (Statistical Science: A Review Journal of the Institute of Mathematical Statistics, Vol. 9 Número 3, Agosto de 1994, pags. 429-438). O leitor interessado poderá encontrar uma acessível e detalhada descrição dos princípios estatísticos utilizados por estes investigadores, incluindo alguns dos resultados destas interessantes pesquisas, no livro de Jeffrey Satinover, “A VERDADE POR TRÁS DO CÓDIGO DA BÍBLIA” (Editora Pensamento, São Paulo , 2000).”

    (Texto extraído do livro INICIAÇÃO AO ESTUDO DA TORÁ – Autor: Auro del Giglio – Editora e Livraria Sêfer) – pags. 15 e 16.

  48. josé marques says:

    UM RABINO ORTODOXO , VOCES QUERIAM O QUE ? FALARIA ELE AO CONTRÁRIO ? ADMITIRIA JESUS , CONTRARIANDO O SECTARISMO RABÍNICO ?
    OK SR. RABINO , NOS VEREMOS NO MONTE DAS OLIVEIRAS , QUANDO O SENHOR ESPERARÁ A VOLTA DE ISRAEL (do povo , só não sei qual ISRAEL voces dizem, se os simples de coração e fiel ao CRIADOR ,ou ,os quais deram motivos para o CRIADOR permitir a destruição do TEMPLO DE JERUSALÉM) , COMO DIZEM , COM AS MÃOS PERFURADAS , E IRÁS PERGUNTAR : ” QUEM ÉS TÚ ? SENDO TU UM SÓ , QUANDO ESPERÁVAMOS O POVO TODO ESCOLHIDO ? ”
    NÃO CREIO NUM CRISTIANISMO CATÓLICO ROMANO , MAS TAMBEM NÃO CREIO QUE HOJE EXISTA UM SÓ POVO DE ISRAEL , POIS MUITOS ISRAELITAS PIEDOSOS E QUE AMAM AO CRIADOR , NEM QUEREM MORAR NESTE ISRAEL VIOLENTO E SEM RESIGNAÇÃO AO SEU PRÓPRIO CRIADOR . JESUS É ISRAELITA ,MAS, NEM TODOS ISRAELITAS SÃO JUDEUS (ortodoxos e rabinos) , mas são como GIDEÃO com sua pouca força , DAVI menino , JEREMIAS sofredor , AMÓS agropecuário simples, e igual a JESUS , não o da igreja romana , mas o SERVO SOFREDOR, O FILHO DO DEUS ALTÍSSIMO . PERCEBA QUE DISSE O FILHO .
    josé marques.

  49. Édis B. Lacerda says:

    Prezado amigo José Marques:

    Me desculpe a franqueza… mas você ainda tem muito de anti-judaísmo (digo isto porque semitismo incluiria outros povos além de Israel), talvez só não ainda tenha percebido. Eu durante muito tempo vivi esta situação (incentivada por mecanismos religiosos, o que na verdade era algo inconsciente da minha parte), só depois de querer muito mais do que seguir uma religião com os seus dogmas e interessar me de fato em descobrir “o verdadeiro Messias” (aquele que se encaixa no perfil de MESSIAS REI DOS JUDEUS, obedecendo os critérios estabelecido no Tana’ch e em harmonia com a teologia judaica) é que fui descobrir o quanto injusto estava sendo e contraditando as escrituras. Por favor leia em sua Bíblia os seguintes textos: Gênesis 12:1-3; Gálatas 3:6-9; Deuteronômio 32:8-10; Salmos 122:6-9; Jeremias 30:16-20; Romanos 3:1-2; Romanos 9:4-5; Salmos 147:19-20; Deuteronômio 4:5-8; João 4:22; Zacarias 8:20-23; Miquéias 4:1-5; Isaías 44:1,6,7,8, reflita à respeito dos mesmos e tente enxergar o que diz a Bíblia.
    Será que faz sentido essa rejeição a Israel e o ódio incentivados pela religião?
    Admitir Jesus Cristo ou outro qualquer como sendo o seu legítimo Messias ( esperado ) é uma questão que depende, apenas, dele se encaixar ou não no perfil de Messias traçado nas Escrituras Hebraicas (o Tana’ch). Isto é o que muitos ainda não entendem e por isso criticam Israel, preferindo ficar com as mentiras e intrigas religiosas (movidas pelo ódio).
    O Eterno, Deus, instituiu (elegeu) a Israel como sendo sua verdadeira testemunha ou a testemunha da sua Palavra (as Escrituras), não como o único povo a ser aceito como sendo o seu povo e digno de salvação (dentro das Escrituras). Será que alguém sobre a face da terra tem autoridade suficiente para o destituir dessa posição?

  50. bruna says:

    Todos ficam tao cegos com essa coisa de Jesus e Deus… Soh existe essa historia de Jesus pq existe essa invençao de Deus. p mim a verdade eh q a grande maioria em massa das pessoas do mundo inteiro foram manipulados.
    Essa eh minha verdade. Ela eh mt relativa

  51. Édis B. Lacerda says:

    Olá, Bruna!

    Se Deus pode ser uma invenção, provavelmente jamais haverá uma outra que se compare a ESTA, em brilhantismo e funcionalidade! Faz tempo que pensa dessa maneira, ou só diz isso para discordar do senso comum (parecer diferente da grande maioria)?
    Eu sei que muitas pessoas são influenciadas pelas atitudes negativas da religião, acabam se decepcionando e acabam por assumir uma postura radical em relação a Deus chegando até mesmo a negar a sua existência. Principalmente quando se trata de fazer um grande número de adeptos a maioria dos grupos religiosos chegam ao absurdo de querer oferecer para as pessoas um deus que se submeta aos seus caprichos e vaidades. Não sei se é por querer parecer inteligente que disse que Deus se trata de uma “invenção” ou se por outro motivo, mas gostaria de entender.
    Também não entendo o esforço daqueles que se dizem ateus, no intuito de negar a existência de Deus. Não há como negar, recusar ou rejeitar algo que não exista! Talvez falte convicção suficiente para os que procedam dessa maneira.

  52. Infelizmente nossa mediocridade nos leva a personificar nossa filosofia em um assunto que está acima do conhecimento humano, um ser que faz parte do planeta terra e tem conciência de suas limitações, deve entender que somos dirigidos por um ser maior, além do nosso conhecimento e que até o presente nenhuma criatura que passou pela terra conseguiu se igualar a Jesus Cristo, partindo de uma logica atribuida ao nosso momento ou estágio de vida, só nos cabe respeitar e obedecer a este Homem que até hoje se mantem presente em todas as vezes que tentamos nos colocar como deuses. Independente de religião, filosofia, denominação, etc. É uma questão de logica tentar seguir este Homem, pois mesmo sendo feito igual a nós foi muito superior em suas ações. Isto leva a entender que o mesmo foi enviado por um ser maior com o objetivo de mostrar nossas limitações e entendermos que dentro da nossa linguagem temos um Pai, um Irmão e Orientadores.

  53. Édis B. Lacerda says:

    A maioria das pessoas que se dizem céticas quanto a existência de Deus, embora omitam a sua frustração particular, costumam citar como causa principal da sua descrença, a existência de sofrimentos e dificuldades que vitimam a humanidade tais como doenças incuráveis, pestes, fome, miséria, violência, injustiças, corrupção. Daí então argumentam: se existe um Deus bom, misericordioso e justo como pode permitir tanta coisa ruim e até mesmo o sofrimento de pessoas boas?
    Não é por não compreendermos as leis espirituais que regem a VIDA em seus múltiplos aspectos, ou por não conseguirmos refletir com clareza à respeito das mesmas que estamos corretos ao dizer que Deus não exista.
    O Eterno todos os dias nos dá, à Sua maneira, provas da sua existência, apenas nos falta sabedoria e sensibilidade para captarmos estas respostas. Uma coisa porém é certa… Ele tem consciência do seu poder, glória e eternidade, não é como nós meros mortais, que possuem uma necessidade tremenda de que outros reconheçam, a todo o instante, a nossa importância e posição. Ele sabe que é Deus e não se desespera procurando provar sua existência a quem quer que seja, o Eterno não necessita disso (caso contrário, como poderia ser Deus?).

  54. Roddy says:

    A rebeldia, a desobediencia e a rebelião sempre permearam a historia do povo judeu atravez dos tempos. Não mudaram infelizmente e por isso colheram sofrimentos durante toda a sua existencia e ainda mais colherão. “Veio para os que eram seus, mas os seus não o receberam,
    mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber: aos que creem em seu nome”. (João 1: 11, 12).Como cristão convicto que sou, creio sim em Jesus como o salvador prometido por Deus em Isaias. Deve-se pedir a todo judeu que afirma crer em Isaías como profeta de Deus, mas nega que Jesus é o Messias, que explique Isaías 53. De quem o profeta estaria falando senão de Jesus? Ao longo dos séculos, os judeus que rejeitaram a Jesus não procuraram um salvador sofredor, mas Isaías claramente descreve um Messias que seria sacrificado pelos nossos pecados. Ao lermos Isaías 53, devemos ser levados a chorar de gratidão por compreendermos melhor o amor de Deus manifesto no dom de seu Filho.
    Isaías profetizou dizendo que seria “mui disfigurado, mais do que . . . outro qualquer” (Isaías 52:14). “Não tinha aparência nem formosura” (Isaías 53:2).
    Isso não trata simplesmente de seu aspecto físico, pois o Novo Testamento não nos diz nada a esse respeito. Mas ele abandonou a glória que tinha junto ao Pai por uma vida sem nada do que normalmente atrai as pessoas a seguir alguém, como riquezas e notoriedade política. “De
    Nazaré pode sair alguma cousa boa?” (João 1:46). “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens” (Isaías 53:3). Nem mesmo o seu próprio povo o recebeu (João 1:11). A cruz não foi a primeira tentativa para matá-lo. As autoridades judaicas tentaram várias vezes, mas não poderiam matá-lo até que sua hora chegasse (João 12:23-28). Era “homem de dores” (Isaías 53:3-4). Ele chorou por causa de Jerusalém, que escondeu assim seu rosto dele. Na noite em que foi traído, ele disse como sua alma era “profundamente triste” (Mateus 26:36-41). “Por juízo opressor foi arrebatado” (Isaías 53:8). Buscaram falsas testemunhas; três vezes Pilatos declarou sua inocência; e mesmo o ladrão na cruz disse: “Este nenhum mal fez”.

  55. Édis B. Lacerda says:

    Roddy,

    Se é que você se deu ao trabalho de ler o artigo por Rabino Shraga Simmons, postado neste, blog, sob o título “Por que os judeus não acreditam em Jesus?”, suponho que tenha lhe faltado apenas um detalhe imprescindível… ter prestado mais atenção nas respostas dadas, item por item (como sugerem os subtítulos em negrito).
    As respostas são bem claras e diretas, não há necessidade de ficar repetindo as mesmas coisas, o tempo todo, isso é pouco produtivo e cansativo. Você não acha?!!!
    Você demonstrou que é um bom cristão, seus argumentos são coerentes com aquilo que ensina a sua religião e a própria Bíblia cristã. Você foi impecável, seus argumentos estão em plena harmonia com a Teologia Cristã.
    Os judeus praticantes da religião judaica acreditam e aceitam Isaías (Yeshaiáhu) COMO PROFETA DE DEUS, bem como a todos os outros profetas da Torah e do Tana’ch. A questão é… como os judeus (ou a religião judaica) interpreta o texto de Isaías capítulo 53? O servo sem formosura ou boa aparência, abandonado, oprimido, aflito e ferido de Deus, de quem as pessoas escondiam os seus rostos, sendo humilhado e desprezado – SEGUNDO O ENTENDIMENTO JUDÁICO – não se trata (ou se tratava do Messias) mas do povo de Israel. Inclusive isto é citado entre parênteses nos versículos do capítulo 53, na Bíblia Hebraica, publicada em português (no Brasil), pela Editora Sêfer (identificando claramente Israel como o servo sofredor).

  56. Édis B. Lacerda says:

    Sugestão: conheça mais opiniões ateistas sobre Deus

    Pesquisar Google: A verdadeira origem do Deus judaico – postado por GuilVP
    Clicar no resultado: Essa é a verdadeira e triste origem do Deus Judaico?

    Assista ao video e post os seus comentários. Estamos, mesmo, diante de uma onda crescente de ateísmo? Essa moda pega?

  57. Édis B. Lacerda says:

    Ver também erros bíblicos, quando a questão é a explicação de fenômenos físicos, astrológicos, astronômicos, ao ser comparados à luz da ciência moderna. Motivo justificável para conduzir alguém ao agnosticísmo, ao ceticismo e ateísmo?!!!
    Pesquisar GOOGLE: “Deus e sua trindade – Torahlagoym”

    Clicar no resultado de pesquisa Deus e sua trindade, lêia argumentos página 1 e 2 e tire suas próprias conclusões.

  58. juliocesar says:

    tome conta cada um de sua vida, para de se meter na religião do outro . vão procurar o que fazer. JESUS CRISTO ELE È SENHOR amém.

  59. Édis B. Lacerda says:

    Júlio César:

    Não sei se você conhece, mas faz alguns anos que o rapper Gabriel O PENSADOR, á respeito da célebre frase, usada por você para finalizar o seu post, disse algo muito interessante, que nos leva a refletir:

    Na letra de uma de suas músicas (ao procurar por um antigo estabelecimento, onde funcionava um cinema) deu de cara com um letreiro que dizia: “JESUS CRISTO É O SENHOR!”; sem saber do que se tratava o letreiro, indagou ao porteiro: “É COMÉDIA?” OU O CINEMA MUDOU?

    Amigo confesso que TÁ DIFÍCIL!!!

  60. jesuellenr@hotmail.com says:

    Nossa eu fico muito confusa com esse negocio de religião porque eu me considerava Cristã-Judia, mas ao ler que os Judeus não acreditam em Jesus, me deixa mais confusa. Pois não comemoro o Natal, aniversários e etc mais, acredito em Jesus e Deus. e Tenho uma pergunta para os Judeus: Jesus Cristo não era Judeu ? não nasceu em Belém da Judeia. Eu vi isso na bíblia. Help me

  61. Suellen says:

    Nossa eu fico muito confusa com esse negocio de religião porque eu me considerava Cristã-Judia, mas ao ler que os Judeus não acreditam em Jesus, me deixa mais confusa. Pois não comemoro o Natal, aniversários e etc mais, acredito em Jesus e Deus. e Tenho uma pergunta para os Judeus: Jesus Cristo não era Judeu ? não nasceu em Belém da Judeia. Eu vi isso na bíblia. Help me

  62. Édis B. Lacerda says:

    Amiga Suellen, você tem toda razão de se sentir assim, de fato religião rima com confusão, e disso você pode ter certeza… não é atoa, não! Quanto ao fato (motivos e razões) de os judeus não acreditarem em Jesus (ou aceitá-lo como o seu legítimo Messias esperado) isto foi bem explicado, através do artigo por rabino Shraga Simmons (baseado nas Escrituras Hebraicas e também de acordo com a Teologia Judaica e Tradição), além de postagens baseadas em citações de fontes históricas e comprovação de eventos (esperados, que na maioria dos casos ainda não se deram).
    Quanto a questão do Cristianismo e suas afirmações dogmáticas e à respeito dos seus personagens, estas são questões particulares e exclusivas pertinentes ao próprio Cristianismo, que é uma outra tradição religiosa independente do Judaísmo.
    Quando você diz: VI ISSO NA BÍBLIA, você passa a impressão de um entendimento, que é o da grande maioria não conhecedora das Escrituras Hebraicas. que o TANA’CH (a Bíblia Hebraica) e a Bíblia Cristã seja uma mesma coisa; isto na verdade é um equívoco. A Bíblia Cristã é composta de Antigo e Novo Testamento (sendo esta segunda divisão da Bíblia Cristã, o Novo Testamento, uma exclusividade apenas da Tradição Cristã). A Bíblia Hebraica não comporta o Novo Testamento, que são Escrituras Gregas. A parte da Bíblia Hebraica comum a Bíblia Cristã é denominada vulgarmente, na mesma ou pela Tradição Cristã, de Antigo ou Velho Testamento. Mas é bom lembrarmos que na Biblia Cristã está parte das Escrituras foram adaptadas, alteradas e até mesmo corrompidas, afim de que se pudesse acoplar UM NOVO OU O NOVO TESTAMENTO, uma vez que há uma tremenda imcompatibilidade teológica e doutrinária entre os dois sistemas (Judaísmo e Cristianismo).
    Voltando à sua dúvida ou perguntas: Jesus Cristo não era judeu? Não nasceu em Belém da Judéia?
    O Novo Testamento, que são escrituras gregas (contendo EVANGELHOS E EPÍSTOLAS APOSTÓLICAS, palavras estas de etimologia grega) no qual se fundamenta e baseia o cristianismo vai lhe dizer QUE SIM (isto é, nasceu em Belém da Judéia e era judeu). Estas não são afirmações do Tana’ch (a Bíblia Hebraica), nem do Judaísmo; mas sim do Novo Testamento e do Cristianismo, que isso fique bem claro, para você e para qualquer outra pessoa que tenha a mesma dúvida. Sem dúvida JESUS CRISTO é, SIM, o Messias do Novo Testamento e do Cristianismo, mas não preenche os requisitos do esperado Messias Rei dos Judeus, conforme as Escrituras Hebraicas, Teologia e Tradição Judaica. O Judaísmo tem as suas próprias convicções. Se necessário releia o artigo, com calma e atentamente, prestando atenção à cada informação ou detalhe exposto. Espero ter aproximado (pelo menos um pouco) do objetivo da sua solicitação, apesar de eu, Édis B. Lacerda, não ser judeu e ainda estar buscando conhecer mais da Teologia e Tradição Religiosa Judaica.

    Grato, Édis B. Lacerda – B. H. – M. G. 02 de Julho de 2012.

  63. Édis B. Lacerda says:

    Amiga Suellen, sugiro também, para que tenha uma melhor noção das diferenças entre Judaísmo e Cristianismo, pesquisar GOOGLE:

    – As diferenças entre Judaísmo e Cristianismo – World’s Observatory

    – Religião – O Mashiach – O Messias – World’s Observatory

    – Jesus nasceu 3.000 anos antes de Cristo – World’s Observatory

    – Como e quando foi construida a história de Natal – World’s Observatory

    Clicar nos resultados de pesquisa de mesmo título, leia atentamente e tire suas próprias conclusões. Com certeza isto complementara as informações já absorvidas por você.

  64. Édis B. Lacerda says:

    A primeira divisão da Bíblia Sagrada, utilizada pelos cristãos, é uma adaptação das Escrituras Hebraicas, ou seja, não é a Bíblia Hebraica em sua essência teológica doutrinária. Essa adptação feita, afim de que se pudesse agregar um NOVO TESTAMENTO (com um novo sistema teológico divergente e conflitante em relação aos conceitos contidos na Bíblia Hebraica), incluiu modificações, alterações e deturpações. Para se ter uma idéia considere o versículo 14 de Ieshaiáhu (Isaías) cap. 7 da Bíblia Hebraica em relação a versões da Bíblia Sagrada (cristã):

    “Eis pois que o Eterno, Ele mesmo, vos dará um sinal: eis que a MOÇA grávida dará à um filho e o chamará Imanuel (‘Deus está conosco’).” Ieshaiáhu 7:14 (Bíblia Hebraica – Editora Sêfer)

    Bíblia Sagrada Revista e Atualizada, Traduzida em português por João ferreira de Almeida – Sociedade Bíblica do Brasil:
    “Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a VIRGEM conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel.” Isaías 7:14

    Bíblia Sagrada, Tradução dos Originais mediante a versão dos Monges de Maredsous (Bélgica) pelo Centro Bíblico Católico – Editora Ave-Maria Ltda.:
    “Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma VIRGEM conceberá e dará à luz um filho, e o chamará ‘Deus Conosco’.” Isaías 7:14

    A palavra “ALMAH” que sempre significou MULHER JOVEM (MOÇA), na Bíblia Hebraica (TANA’CH), foi traduzida por VIRGEM (“B’TULAH”) pelos teólogos cristãos, na Bíblia Sagrada (cristã). Isto nos dá uma clara idéia de que o cristianismo e o seu conceito de messias tiveram uma origem na mitologia pagã (onde era muito comum mortais serem impregnados por deuses) divergindo assim, do conceito judaico. O fato de o Messias neo testamentário nascer de uma virgem não é exclusividade da religião cristã, na India, conforme a sua religião mitólogica, houve dezenas de partos virgens (ou de virgens), e isso num período bem anterior ao Cristianismo!
    O conceito teológico judaico de messianismo não envolve a obrigatoriedade do Messias ter de nascer de uma virgem ou de uma concepção sobrenatural (gerado por Deus ou por um deus).
    Ademais, o versículo citado Ieshaiáhu (Isaías) 7:14, tido como profecia messiânica pelos teólogos cristãos, nada tem a ver com o Messias judeu, mas com um outro personagem bíblico!

    Édis B. Lacerda – B. H. – M. G. 03 de Agosto de 2012.

  65. Édis B. Lacerda says:

    Continuando a leitura do texto do capitulo 7 de Ieshaiáhu (Isaías) até o capítulo 9 e versículo 5, segundo a versão da Bíblia Hebraica, vamos constatar que esse personagem cujo nascimento é profetizado em Isaías 7:14 como um sinal, não é outro senão Ezequias filho de Acaz:

    “E mais falou o Eterno a Ahaz, dizendo: Pede para ti um sinal do Eterno teu Deus; pede, quer seja oculto ou com claridade. Mas disse Ahaz: Não pedirei; não testarei ao Eterno. E respondeu (Isaías): Escuta agora, ó Casa de Israel! Não te parece suficiente que desdenhes homens, que queres até desdenhar meu Deus? Eis pois que o Eterno, Ele mesmo, vos dará um sinal: eis que A MOÇA grávida dará à luz um filho e o chamará ImanuEl (Deus está conosco). Quando ele souber evitar o mal e escolher o bem, alimentar-se-à de nata e mel. Pois ainda antes (que atinja a idade) de saber afastar o mal e escolher o bem, a terra cujos 2 reis tu temes estará completamente abandonada.” – Ieshaiáhu (Isaías) 7:10-16 – Bíblia Hebraica – Editora Sêfer.

    a) O nascimento do ImanuEl seria um sinal para Acaz (isto é, para os seus dias) – seria isto o sinal de que a promessa do Eterno se cumpriria e o intento dos 2 reis (Retsin, o rei de Aram e Pêcah ben Remaliáhu, rei de Israel) de atacá-lo e destruir Judá não daria certo. Ieshaiáhu 7:1
    b) O ImanuEl nasceria de uma ALMAH (mulher jovem, moça), segundo a Bíblia Hebraica (o Tana’ch).
    Na Bíblia Sagrada (cristã – versão católica e versão protestante) – o ImanuEl nasceria de uma VIRGEM – betulah – à semelhança dos deuses e semi-deuses das religiões mitológicas pagânicas (Egípcia, Persa, Hindu, Grega…)
    c) O sinal prometido a Acaz se cumpriu dentro do seu tempo hábil, tal qual profetizado em Ieshaiáhu 7:14 – o capítulo nove e versículo cinco de de Ieshaiáhu nos fala do seu cumprimento:
    “Pois NASCEU ENTRE NÓS uma criança, UM FILHO (DE AHAZ, da dinastia de David) nos foi dado. E sobre os seus ombros estará a autoridade; por isso o maravilhoso Conselheiro, o Deus Todo-Poderoso e Pai eterno, alcunhou-o (a Hizkiáhu [Ezequias], O FILHO DE AHAZ) de Sar-Shalom (‘Príncipe da Paz),” – Ieshaiáhu 9:5 – Bíblia Hebraica – Editora Sêfer.
    d) É freqüente o erro por parte dos cristãos em querer levar o cumprimento dessa profecia (considerada messiânica pelo cristianismo) para sete séculos após ter sido dada (para o início da Era Cristã). Sabemos que realmente nasceu um menino nos dias de Acaz, segundo a profecia que a ele se dirige como ImanuEl (Ieshaiáhu 8:8), atribuindo-se ao REI EZEQUIAS esse título.
    e) O tempo da desolação que se abateria sobre os dois reis (Retsin e Pêcah) ou sobre os dois reinos (Síria e Israel) seria “ainda antes (que o menino atingisse a idade) de saber afastar o mal e escolher o bem” – ou seja, antes dos 13 anos (segundo a Tradição judaica – 13 anos é a idade em que o jovem atinge a maturidade, tendo noção do certo e do errado e por isso mesmo podendo passar pelos votos do Bar Mitzvah, se tornando assim um Filho do Mandamento). – Ieshaiáhu 7:16
    f) Na Bíblia Sagrada (versões Católica e Protestante), o versículo 5 do capítulo 9 de Ieshaiáhu da Bíblia Hebraica é vertido de forma a colocar esse menino, essa criança, esse filho como sendo um Deus (DEUS FORTE) – isto aparece claramente no versículo 6 do capítulo 9 de Isaías da Bíblia Sagrada (cristã), o que torna evidente a similaridade com os mitos pagânicos!
    Enquanto que a Bíblia Hebraica diz algo totalmente diferente disso (Não que esse filho seja o DEUS FORTE), mas que:
    “… o maravilhoso Conselheiro, o Deus Todo-Poderoso e Pai eterno, alcunhou-o (apelidou-o, denominou-o) de Sar-Shalom (Príncipe da Paz).” Ieshaiáhu 9:5 – Bíblia Hebraica – Editora Sêfer.

    Édis B. Lacerda – B. H. – M. G. 03 de Agosto de 2012.

  66. Édis B. Lacerda says:

    A pose de verdade inquestionável do cristianismo, enquanto religião, só pode prevalecer considerando o seu fundamento e base como verdade máxima irrefutável, A BÍBLIA SAGRADA, seja na versão católica ou protestante. Nesse sentido todas as outras religiões, levando em conta os seus livros ou Escrituras Sagradas, nos quais se fundamentam, são tão verdadeiras quanto o Cristianismo o é. O Islamismo é verdade teológica inquestionável, considerando o Al Kuran (Al Corão ou Corão). As religiões hindus, também o são, considerando os Vedas,… etc… etc… etc… É justamente aí que reside o ponto conflitante da questão, cada religião tem o seu próprio Livro ou Escrituras Sagradas, na qual está fundamentada. Assim sendo, é natural que cada membro, pertencente à uma determinada religião, questione uma outra religião ou os fundamentos desta, uma vez que a verdade para ele é aquilo que dita o sistema no qual está inserido! Seria bom lembrarmos então que fundamentos religiosos são diversos, considerando as questões culturais e filósoficas, e que considerando os fundamentos próprios de cada religião, todas podem ser consideradas verdadeiras, legítimas e inquestionáveis. Não se pode converter um judeu, consciente da sua cultura e não assimilado, ao cristianismo justamente por isso, A Bíblia Sagrada (utilizada pelos cristãos) não é o Tana’ch, havendo diferenças nos textos escriturísticos de uma em relação à outra.

  67. Fabio says:

    oi desculpe me intrometer nesse assunto de cunho religioso mas pra mim só existe um DEUS.
    Mas qualquer um que convencer que um burro pode ser um Puro Sangue esta certo.
    Vejo Algumas coisa que sim são verdades mas outras de pura ignorancia.
    Sim JESUS não é o nome correto nem em HEBRAICO nem em ARABE nem em nenhuma lingua antiga.
    Os judeus não aceitam JESUS como filho de DEUS mas os ARABES e os HINDUS e todas as outras religioes tambem não.
    Por que isso simples por que cada um tem uma opinião que mais do que tudo depende de fatores como Familia,Nacionalidade,situação financeira entre outros.
    Sou evangelico mas não acredito que algo como falar de DEUS possa gerar tanto ódio e tanta estupidez junta.
    Primeiro por que religão não salve ninguem muito menos placa de Igreja,ate por que se placa fosse bom não estava do lado de fora.
    Eu pela Graça do ALTISSÌMO tenho uma visão bem diferente dos evangelicos ditos normais.
    Não creio que DEUS mandou qualquer um pegar nas armas e impor sua religão.
    Nem disse que está ou aquela é minha RELIGIÃO verdadeira.
    Pra mim não importa o que pensa o Padre,o Pastor,o Xeque ou o Rabino pensa e diz so me importa DEUS e minha conciencia para com o TODO PODEROSO.
    Sou apenas Humano e cometo erros todos os dias por isso peço perdão todos os dias
    Não sei se voces conhecem Mahatma Ghandi que deu exemplos claros de como servir a DEUS.
    Pois quando um Pai vai aflito e chorando pedir conselho sobre a morte do seu filho paqueno ele disse: Procure uma Criança do mesmo tamanho que a sua e adote ele e crie como seu filho e certifique-se que seja MULÇUMANO e crie ele como tal.
    Vale apena lembra que o pai em questão era HINDU e quem matou seu filho foram os MULÇUMANOS.
    Por isso CRIANÇAS não importa como você foi criado nem qual a sua RELIGIÃO só importa DEUS o ALTISSIMO,O TODO PODEROSO,O MISERICORDIOSO,ALLAH,EL SHADAY,ADONAI,JESUS,YESHUA…………….
    Sejam Tementes a DEUS e felizes.

  68. ELISANGELA says:

    Admiro o povo Judeu, pelo seu AMOR e RESPEITO pelo nome do ETERNO. Ultimamente tenho estudado mais sobre os judeus e sobre a torá o que tem me levado a estudar também sobre a igreja primitiva. Não duvido que YESHUA seja o filho do ETERNO, pois isso é questão de FÉ.
    Acredito sim que nós gentios convertidos temos que estudar e conhecer mais sobre o povo judeu, pois somos enxertados nessa oliveira.O problema não é se YESHUA veio cumprir a torá se ele não respeitou o sábado e etc, pra mim o maior problema agora é que estamos descobrindo que fomos enganados pela religião ROMANA e que nos esconderam coisas que não deveriam ter escondido. E o que é mais grave a maioria dos CRISTÃOS não estuda as sagradas escrituras, preferem engolir tudo o que dão mastigado pra eles. Peço ao ETERNO que a VERDADE seja revelada e que a religião que hoje se diz cristã volte as suas raizes saia dessa religião falsa e seja admirada tb pelos judeus como um povo que estuda as sagradas escrituras, tem zelo pelo NOME DO ETERNO E NÃO NEGUE QUE YESHUA É O FILHO DO ETERNO E O MESSIAS. POIS NÃO FOI SÓ POR MEIO DE ESCRITURA QUE NOS FOI REVELADO ISSO MAIS O PRÓPRIO ESPIRITO DO ETERNO NOS REVELOU, E QUEM RECEBEU YESHUA NO SEU CORAÇÃO VERDADEIRAMENTE JAMAIS PODE NEGA-LÓ. NOSSO PROBLEMA NÃO É COM ISRAEL E SIM COM A BABILONIA POIS ELA QUE TEM CEGADO OS NOSSOS OLHOS. MUITO PELO CONTRARIO TEMOS QUE REZAR POR ISRAEL E AMAR ESSE POVO QUE PELOS ERROS OU ACERTOS NOS TEM REVELADO TÃO GRANDE É O ETERNO E QUE NOS TEM DADO O PRIVILEGIO DE SERMOS TAMBÉM CHAMADOS DE FILHOS DO ETERNO. OUTRA COISA O NOSSO YESHUA NÃO ERA LOURO DOS OLHOS AZUIS E NEM SE CHAMAVA JESUS PORQUE ENTÃO ACEITAR ISSO… PRECISAMOS ACEITAR O QUE É VERDADEIRO E ADMITIR QUE FOMOS ENGANADOS. SERMOS MAIS HUMILDES E ACEITAR QUE ESTAMOS ERRADOS MAIS QUE NEM POR ISSO SOMOS MENOR QUE OS JUDEUS MUITO PELO CONTRARIO SOMOS UM SÓ POVO E UMA SÓ NAÇÃO PARA O ETERNO.

  69. Édis B. Lacerda says:

    Prezado amigo Fábio…

    Quanto à existir um só Deus, para você, isto quer dizer… apenas,… que a sua religiosidade possui característica monoteísta. Mas quanto a um burro ou uma mula ser um “Puro Sangue” isto contrariaria as leis genéticas da hereditariedade, observadas na classificação das espécies, visto ambos serem resultantes do cruzamento de espécies diferentes (égua e asno).
    Um outro detalhe a ser considerado, pelo que parece ter passado despercebido ao amigo, em suas observações é que… “O RELATIVAMENTE CORRETO não é O EXATAMENTE CORRETO”; ademais como pode se perceber, não existe a intenção por parte de nenhum dos responsáveis em criticar pejorativamente nenhuma outra religião, taxando as de erradas ou falsas ou qualquer coisa similar neste aspecto.
    Porém o que podemos observar aqui é o esforço para se apresentar os verdadeiros aspectos teológicos do judaismo, segundo a Tradição, desfazendo assim possíveis mitos e conceitos distorcidos, provenientes de uma falta de esclarecimento à respeito.
    Podemos, assim então dizer… que a visão judaica de messianismo e de Messias, bem como outros conceitos teológicos (próprios do Judaísmo) difere das demais religiões.

    Édis B. Lacerda – B. H. – 13 de Fevereiro de 2013.

  70. Édis B. Lacerda says:

    Prezada amiga Elisângela…

    Você afirma que as suas convicções religiosas resultam de uma questão de fé, e isto para você é o suficiente para validar a sua crença. Não seria justo ou generoso considerarmos o mesmo em relação as demais pessoas, em sua crenças diversas? A sua fé valida a sua crença. A fé dos outros… também… não valida a crença deles?
    Eu acredito que religião não se restringe apenas à uma questão de fé, existem sim aspectos ou fatores diversos, como por exemplo, os sócio culturais e filosóficos que acabam por influenciar a religião. A História está aí para nos ajudar a compreender melhor esta situação!
    Neste mesmo blog, nos posts anteriores (acima), você encontra informações à respeito de Iehoshúa e Ieshúa, na Bíblia Hebraica (o Tana’ch), lançada em português, no Brasil, pela Editora Sêfer. Ver Post datado de 26 de Outubro de 2011.

    Grato,

    Édis B. Lacerda – B. H. – 13 de Fevereiro de 2013.

  71. Edis B. Lacerda says:

    O CONCEITO DE MASHIACH (MESSIAS), CONFORME O TANA’CH

    “Também o sacerdote ungido (vehacohen hamashiach), dentre seus filhos, para seu lugar, fará o mesmo; por estatuto perpétuo será ela toda queimada a YHWH. Assim toda a oferta do sacerdote será totalmente queimada; não se comerá.” – Vaicrá/Levítico 6:22-23

    No exemplo acima, o termo “mashiach” é usado para se referir a um cohen (sacerdote), que é um filho de Aharon (Aarão), e que portanto não é da linhagem davídica. Aliás, David sequer era nascido quando o termo foi empregado.

    “Também a Yehu Ben Nimshi, úngirás (timshach) rei de Israel; e também a Elisha Ben Shafat de Avel-Mecholá, ungirás (timshach) profeta em teu lugar.” – Melachim Alef / I Reis 19:6

    O texto acima indica que um profeta também é um “mashiach” (ungido).

    “Assim diz YHWH ao seu ungido (lim’shicho), a Koresh, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações diante de sua face, e descingir os lombos dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se fecharão.” – Yeshayahu/Isaías 45:1

    Observa se aqui o uso do termo “mashiach” para se referir a Koresh (Ciro), o rei da Pérsia.

    Fato é que o termo “mashiach” (UNGIDO) se refere ao apontamento a uma função especial, geralmente de liderança. Porque óleos aromáticos eram símbolo de status entre os povos da antiguidade.

    Como podemos ver o uso do termo “mashiach” (UNGIDO), dentro do Tana’ch (a Bíblia Hebraica), se aplica a sacerdotes, reis e profetas.

    Edis Bernardes Lacerda – B. H. 15 de Agosto de 2013.

  72. Édis B. Lacerda says:

    O personagem central do Novo Testamento (Brit Chadashah, como querem alguns), teve a sua construção apartir de conceitos derivados da tradição rabÍnica, isto é, apartir de suas interpretações. Ou seja os conceitos que envolvem a messianidade do personagem central do Novo Testamento não vieram diretamente do Tana’ch (a Bíblia Hebraica), mas se baseou em interpretações da tradição dos rabinos.

    OS DOIS “MASHIACH” DA TRADIÇÃO RABÍNICA

    Porém a tradição rabínica (Talmud e Targum) fala de dois messias (os quais somarão esforços no sentido de salvar o seu povo, Israel), e não apenas de um, como o cristianismo. Um é o “Mashiach Ben Yossef” (o Ungido, filho de José) e o outro é o “Mashiach Ben David” (o Ungido, filho de David).

    OS TARGUMIM
    As referências mais antigas à figura de “Mashiach Ben Yossef” se encontra nos Targumim, traduções de textos bíblicos feitas para o aramaico e que possuem o acréscimo de comentários que expandem o texto bíblico.
    Na realidade, nos targumim, esse mesmo personagem é chamado de “Mashiach Bar Efrayim”, isto é, o ungido/Messias filho de Efrayim.
    Vale lembrar que Efrayim é o primogênito de Yossef, e que a meia-tribo de Efrayim possuia ascendência sobre as tribos do Reino do Norte.

    “E tu tomarás o óleo da Consagração, e ungirás o tabernáculo, e tudo o que nele estiver, e o santificará, em razão da coroa do reino da casa de Yehudá, e do Rei Messias, que irá libertar Israel, no fim dos dias. E tu ungirás o altar da oferta queimada, e todo os seus vasos, e consagrará o altar, para que seja um altar mui santo, em razão da Coroa do Sacerdócio de Aharon, e de seus filhos e de Eliahu, o grande profeta que será enviado ao final do cativeiro. E tu ungirás a bacia, e a sua base, e a consagrará, em razão de Yehoshua teu ministro, chefe do Sanhedrin de seu povo; pela mão do qual a terra de Israel será dividida; e do Messias filho de Efrayim, que virá dele, e por cuja mão a casa de Israel irá derrotar Gog e seus confederados NO FIM DOS DIAS.” (Targum Yerushalmi – Ex. 40:8-10

    Observe que esta referência supracitada estipula que essa figura é diferente da figura do Rei davídico. Enquanto Melech haMashiach (o Rei Messias) é um descendente de Davi e, portanto, da tribo de Yehudá (Judá) a figura chamada de Meshicha Bar Efrayim (Messias filho de Efrayim) é um descendente de Yehoshua Ben Num ( Josué filho de Num).
    Ora, Yehoshua Ben Num (Josué filho de Num) era da meia-tribo de Efrayim, isto é um descendente da tribo de Yossef (José).
    Isso significa que essas duas figuras não podem jamais ser o mesmo personagem.

    “E eu farei repousar sobre a casa de David e sobre os habitantes de Yerushalayim um espírito de profecia e de vedadeira oração. E depois o Messias filho de Efrayim irá sair para se engajar na batalha contra Gog, e Gog irá matá-lo perante o portão de Yerushalayim. E eles olharão para mim e me indagarão porque as nações traspassaram o Messias filho de Efrayim, e eles prantearão por ele assim como um pai e uma mãe pranteiam por seu único filho e ficarão em amargura por causa dele como a amargura sobre um primogênito.” (Targum Tossefta – Zc. 12:10)

    Enquanto o Targum Yerushalmi indica que o Messias filho de Efrayim iria derrotar Gog e Magog, o Targum Tossefta afirma que ele seria morto durante a guerra com Gog e Magog.
    Como a tradição rabínica iria reconciliar essa divergencia de opiniões será visto mais adiante.

    “Dois libertadores te livrarão, o Messias filho de David e o Messias filho de Efrayim, que são como Moshe e Aharon, os filhos de Yocheved, que eram belos como duas gazelas que são gêmeas. E eles alimentaram o povo da Casa de Israel, em sua retidão, quarenta anos no deserto, com maná e com aves gordas e com as águas do poço de Miriyam.” (Targum – Ct. 4:5)

    “Teus dois libertadores que estão destinados a te libertar, o Messias filho de David e o Messias filho de Efrayim, são como Moshe e Aharon, filhos de Yocheved, que se assemelham a dois gamos, gêmeos de uma cabrita.” (Targum Ct. 7:4)

    As duas referências no Targum de Shir ha Shirim (Cânticos dos Cânticos) indicam uma atuação conjunta dos dois Messias na libertação de Israel, como ocorreu com Aharon e Moshe (Aarão e Moisés).

    (fonte: http://www.tristão.tk – A Verdade do Cristianismo)

    Édis Bernardes Lacerda – B. H. – 15 de Agosto de 2013.

  73. Édis B. Lacerda says:

    NO TALMUD

    Posteriormente, o conceito viria a ser indicado de forma mais clara no Talmud Bavli em especial no tratado de Suká:

    “E a terra pranteará, cada família à parte; A família da Casa de David à parte. Não é um argumento pela força? Se no futuro quando eles estiverem engajados a prantear e a inclinação ao Mal não tiver poder sobre eles, a Torá ainda assim diz, homens e mulheres separadamente, quanto mais agora que eles estão engajados em celebração e a inclinação ao Mal tem poder sobre eles.”

    Qual é a causa do prantear [mencionado no último verso citado]? – R. Dosa e os Rabinos divergem em um ponto. Um explicou, A causa é a morte do Mashiach Ben Yossef, o outro exlicou, A causa é a morte da inclinação ao Mal.

    Está bem de acordo com aquele que explica que a causa é a morte do Mashiach Ben Yossef, uma vez que concorda com o verso das Escrituras: “E olharão para mim porque o traspassaram, e o prantearão como quem pranteia o seu único filho; mas segundo aquele que explica a causa ser a morte da inclinação ao Mal, acaso é isto [pode se objetar] uma ocasião para pranto? Não é ocasião para júbilo? Por que então eles prantearão? Conforme R. Judá expôs; no tempo Vindouro o Sagrado, bendito seja Ele, trará inclinação ao Mal e a matará na presença dos justos e dos iníquos…

    Os rabinos ensinavam: O Sagrado, bendito seja Ele, dirá ao Mashiach Ben David (que ele seja revelado apressadamente em nossos dias): ‘Pedi-me qualquer coisa, e eu te darei’, conforme é dito, Eu direi do decreto etc. hoje te gerei, Pedi-me e te darei as nações para tua herança. Mas quando ele vir que o Mashiach Ben Yossef foi morto, ele lhe dirá: ‘Senhor do Universo, eu peço a Ti somente o dom da vida. ‘Quanto à vida’, Ele lhe responderia: Teu pai David já profetizou acerca disso a teu respeito’, conforme é dito. Ele pediu de ti a vida, tu deste a ele, [mesmo o cumprimento de dias por todo o sempre.]” (bavli Suká 52a)

    A Literatura Talmúdica provê uma forma de harmonizar as duas idéias sobre Mashiach Ben Yossef, ao indicar que ele seria morto no fim dos tempos durante a batalha contra Gog e Magog, e que Mashiach Ben David pediria que Masshiach Ben Yossef fosse ressuscitado, o que daria uma chance a Mashiach Ben Yossef de derrotar Gog, conforme a tradição do Targum Tossefta.
    Vale relembrar que nenhuma dessas idéias está presente no texto de Zechariyah, que simplesmente faz menção à guerra contra as nações, ao pranto pelos mortos, e ao livramento por parte de Elohim.
    Aqui falamos sobre tradições rabínicas não para defendê-las, nem para exercer sobre eles qualquer juízo de valores, mas tão somente para verificar se é legítima a derivação conceitual em torno da figura de Yeshua feita a partir das fontes rabínicas.
    O conceito de Mashiach Ben Yossef é, portanto, o de um descendente de Yehoshua Ben Num (Josué filho de Num), e portanto um descendente direto de…
    E, como se pode perceber, o conceito não poderia ser mais distante das idéias neo-testamentárias sobre a figura de Yeshua.
    A incoerência da tentativa de se estabelecer qualquer paralelo entre os dois conceitos só não é maior do que a incoerência da utilização de referências rabínicas a Mashiach Ben Yossef fora de seu contexto para tentar defender o conceito neo-testamentário.

    (fonte:www.tristão.tk – A Verdade do Cristianismo)

    Édis Bernardes Lacerda – B. H. – 15 de Agosto de 2013.

  74. Édis B. Lacerda says:

    A DEFINIÇÃO RABÍNICA

    O conceito rabínico de Mashiach Ben Yossef é esclarecido pela Enciclopédia Judaica, que afirma:

    “Mashiach Ben Yossef aparecerá antes da vinda de Mashiach Ben David; ele ajuntará os filhos de Israel em volta dele, marchará para Jerusalém, e lá, depois de subjugar poderes hostis, restabelecerá a adoração no Templo e estabelecerá o seu próprio domínio. Lá, Armilus, segundo um grupo de fontes, ou Gog e Magog, segundo outro, aparecerá (ão) com seus exércitos perante Jerusalém, e farão guerra contra Mashiach Ben Yossef, e o matarão.
    O seu cadáver, segundo um grupo, ficará desenterrado nas ruas de Jerusalém; de acordo com o outro, será ocultado pelos anjos com os corpos dos Patriarcas, até que Mashiach Ben David virá e o ressuscitará.” (Messiah ben Joseph, Jewish Enciclopedia)

    O rabino Jacob Imanuel Shochet também assim define o conceito apartir da fontes farisáicas:

    “Mashiach Ben Yossef (Mashiach o descendente de José) da tribo [sic] de Efrayim (filho de José) é também referenciado como Mashiach Ben Efrayim, Mashiach o descendente de Efrayim. Ele virá primeiro, antes do libertador final, e posteriormente servirá como seu vice-rei.

    A tarefa essencial de Mashiach Ben Yossef é atuar como um precursor de Mashiach Ben David: Ele preparará o mundo para a vinda do libertador final. Diferentes fontes atribuem a ele diferentes funções, algumas até mesmo atribuindo a ele tarefas tradicionalmente associadas com Mashiach Ben David (tal como o reajuntamento dos exilados, a reconstrução do Beit Ha Mikdash, e assim por diante).

    A função principal e final atribuida a Mashiach Ben Yossef é de natureza política e militar. Ele fará guerra contra as forças do Mal que oprimem Israel. Mais especificamente, ele fará a batalha contra Edom, os descendentes de Esaú.
    Edom é a designação geral para os inimigos de Israel, e será esmagada pela descendência de José. Assim foi profetizado nos tempos antigos; “A casa de Jacó será um fogo e a casa de José será uma chama, e a casa de Esaú será por restolho… (Obadias 1:18): ‘A descendência de Esaú será entregue nas mãos da descendência de José.” (Mashiach Ben Yossef)

    RESUMO DO CONCEITO

    Abaixo, segue portanto um resumo do conceito de Mashiach Ben Yossef:
    – Descendente de Yossef Ben Ya’akov (José, filho de Jacó);
    – Descendente de Efrayim Ben Yossef (Efrayim, filho de José);
    – Descendente de Yehoshua Ben Num (Josué, filho de Num);
    – Por definição, não pode ser Melech haMashiach Ben David (o Rei Messias, filho de David) porque não é sequer da Tribo de Yehudá (Judá), quem dirá da dinastia davídica.
    – Seria um líder político-militar;
    – Faria guerra contra as nações quando essas se levantassem contra Israel;
    – Seria morto durante a batalha;
    – O Rei Messias Davídico pediria a Elohim que o ressuscitasse, e Elohim o atenderia;
    – Ao ser ressuscitado, venceria o conflito militar.

    Como é possivel perceber, o conceito rabínico de Mashiach Ben Yossef e o conceito Neo-Testamentário da suposta messianidade de Yeshua SÃO TOTALMENTE DIFERENTES E IRRECONCILIÁVEIS.
    A associação fica apenas por conta de duas coisas:
    a) A primmeira sendo o uso fora de contexto do termo “mashiach”, como se o mesmo fosse utilizado única e exclusivamente para se referir a Melech haMashiach Ben David (o Rei Messias, filho de David).
    b) A segunda fica por conta da coincidência do fato de que o pai supostamente adotivo de Yeshua se chamava Yossef.

    (fonte:www.tristão.tk – A Verdade do Cristianismo)

    Édis Bernardes Lacerda – B. H. – 16 de Agosto de 2013.

  75. Édis B. Lacerda says:

    CONCLUSÃO

    Primeiramente, vale relembrar que a investigação supracitada não indica uma concordância com, ou adesão ao conceito rabínico de Mashiach Ben Yossef, uma vez que TEMOS TÃO SOMENTE O TANA’CH COMO FONTE DE REVELAÇÃO.
    Com a TOTAL AUSÊNCIA NO TANA’CH DE QUALQUER ELEMENTO QUE POSSA INDICAR UMA MESSIANIDADE DE YESHUA, o que se percebe é uma tentativa desesperada de se encontrar algum tipo de legitimidade apartir dos escritos rabínicos.
    Infelizmente, a exemplo do que acontece com as profecias do Tana’ch que são citadas totalmente fora de contexto pela chamada Brit Chadashah (Novo Testamento), as citações da literatura rabínica também são frequentemente tomadas fora de seu contexto original, e muitas vezes repetidas sem que sequer se faça uma verificação do está sendo dito.
    A tentativa de atribuir a Yeshua o conceito rabínico de “Mashiach Ben Yossef” não sobrevive ao menor dos escrutínios.

    (fonte: http://www.tristão.tk – A Verdade do Cristianismo)

    Édis Bernardes Lacerda – B. H. – 16 de Agosto de 2013.

  76. dantch says:

    Meus amigos uma coisa é certa, vocês estão esquecendo-se dos concílios, essa bíblia de Almeida tem muito erros, vocês aceitam que fiquem com ela, continuo estudando, fico com as raízes israelitas, cristo não habita em raças enganadoras, como estes tais covil de lobos. Tantos templos todos falsos não ensina a verdade, os leigos. E vocês a inda ficam dizendo amem. Amem coisa nem uma vão estudar, para saber das verdades.

  77. saulo says:

    Rabino, Simom.
    todas as explicações,que os judeus falam até hoje,são, pura, indagações humanas,e elas não são verdadeiras,são de uma ignorancia e falta de sabedoria,…..e eu faço um desafio aos judeus,venha fazer um debate comigo,e eu irei provar,que existe muitas mentiras no conteudo judeu de ensino teologico,todas as afirmações,que voce ,fez aqui,eu ,te provo o contrario o que os judeus afirmam categoricamente ,ser a verdade.

    falarei a verdade sobre.tudo,que os judeus desconhece até hoje

    a Trindade
    Os Dez Mandamentos – porque foi feito em duas placas de pedras
    quem é o Messias
    o segundo Rei Davi
    quem,são os verdadeiros judeus
    quem é O SENHOR JESUS CRISTO,O NAZARENO
    O Segundo Templo – Não existe terceiro Templo
    A Construção do Segundo Templo vai ser na Filha de Sião, Onde fica este local?
    As tribos Perdidas, quem são elas hoje

  78. Saulo, eu sei como é frustrante passar anos e anos seguindo uma Tradição religiosa (como o cristianismo), tendo a por verdade absoluta, para daí então descobrir. que tudo isso em que acreditamos não passa de mitos. Mas apesar do dissabor dessa descoberta, nem tudo está perdido, leve em consideração o que diz a sua Bíblia sobre onde buscar essas verdades espirituais que você tanto almeja e poderá ainda sair no lucro. Antes uma descoberta tardia do que morrer no engano. Não desanimes não! Continue avante!
    Leve em consideração estes textos em sua Bíblia:

    É a própria Bíblia que nos instiga: “Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor;…” Oséias 6:3

    Romanos 3:1-2 – “Que VANTAGEM, pois, tem o JUDEU? ou qual a utilidade da circuncisão? MUITA, em todo o sentido: primeiramente, AS PALAVRAS DE DEUS LHES FORAM CONFIADAS. Romanos 9:4-5 – “os quais são ISRAELITAS, DE QUEM É a adoção, e a glória, e os pactos, e a promulgação da lei, e o culto, e as promessas; DE QUEM são os patriarcas;… Salmo 147:19-20 – “Mostra a sua palavra a Jacó, os seus estatutos e os seus juízos, a ISRAEL. NÃO FEZ ASSIM A NENHUMA OUTRA NAÇÃO; e, quanto aos seus juízos, nenhuma os conhece. Louvai ao Senhor! Deuteronômio 4:5-8 – “Vedes aqui vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o SENHOR, meu Deus, para que assim façais no meio da terra a qual ides herdar. Guardai-os, pois , e fazei-os, porque está será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos que ouvirão todos estes estatutos e dirão: Só ESTE grande POVO é gente sábia e inteligente. Porque, que gente há tão grande, que tenha deuses tão chegados como o SENHOR, nosso Deus, todas as vezes que o chamamos? E que gente há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão justos como toda esta lei que hoje dou perante vós?” João 4:22 – “Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque A SALVAÇÃO VEM DOS JUDEUS.” Zacarias 8:20-23 – “ASSIM DIZ O SENHOR DOS EXÉRCITOS: Ainda sucederá que virão povos e habitantes de muitas cidades; e os habitantes de uma cidade irão à outra dizendo: Vamos depressa suplicar o favor do SENHOR e buscar o SENHOR dos Exércitos; eu também irei. Assim, virão muitos povo e poderosas nações BUSCAR, EM JERUSALÉM, o SENHOR dos Exércitos e suplicar a bênção do SENHOR. ASSIM DIZ O SENHOR DOS EXÉRCITOS: Naquele dia, sucederá que PEGARÃO dez HOMENS, DE TODAS AS LÍNGUAS DAS NAÇÕES, PEGARÃO, SIM, NA ORLA DA VESTE DE UM JUDEU, DIZENDO: IREMOS CONVOSCO, PORQUE TEMOS OUVIDO QUE DEUS ESTÁ CONVOSCO.” Miquéias 4:1-5 – “Mas, nos últimos dias, acontecerá que o monte da Casa do SENHOR será estabelecida no cimo dos montes e se elevará sobre os outeiros, e para ele afluirão os povos. Irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do SENHOR e a casa do Deus DE JACÓ, PARA QUE NOS ENSINE OS SEUS CAMINHOS, E ANDEMOS PELAS SUAS VEREDAS; porque DE SIÃO procederá a lei, e a palavra do SENHOR, DE JERUSALÉM.” Isaías 44:1,6,7,8 – “Agora, pois, ouve, ó JACÓ, servo meu, Ó ISRAEL, A QUEM ESCOLHI. Assim diz o SENHOR, que te criou, e te formou desde o ventre, e que te ajuda: não temas, ó Jacó, servo meu, ó amado, a quem escolhi. Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus. Quem há como eu, feito predições desde que estabeleci o mais antigo povo? Que o declare e o exponha perante mim! QUE ESSE ANUNCIE AS COISAS FUTURAS, AS COISAS QUE HÃO DE VIR! Não vos assombreis, nem temais; acaso, desde aquele tempo não vo-lo anunciei? VÓS SOIS AS MINHAS TESTEMUNHAS.Há outro Deus além de mim? Não há outra Rocha que eu conheça.” A própria Bíblia disse nesses versículos citados aqui que: DEUS primeiramente confiou os seus oráculos ou entregou a sua palavra ao povo JUDEU e ELE mesmo os estabeleceu como sendo as suas testemunhas, isto naturalmente me faz refletir que a revelação que eles tem da Palavra de DEUS deveria ter muita importância para nós outros povos. Considere também estes trechos em sua Bíblia e reflita a respeito dos mesmos; Gênesis 12:1-3, Gálatas 3:6-9, Deuteronômio 32:8-10, Salmos 122:6-9, Jeremias 30:16-20

  79. Milton says:

    Jesus era judeu e homem,pregava de modo radical aos hábitos e política da época,tornou-se um dissidente do Judaísmo. Contrariou o rabinato e ao império romano com suas idéias utópicas de fraternidade,partilha e amor ao próximo.Foi perseguido,julgado e crucificado como exemplo para não surgirem outros como ele e provocarem uma nova ordem religiosa.
    O império romano permitiu a continuidade dos seguidores de Cristo por interesses políticos e manter a unidade social.Os fundamentos de Cristo vinham a calhar bem com as necessidades da maioria popular que vivia na miséria e buscavam a partilha e a fraternidade como meios de crença e sobrevivência.
    A igreja prosperou montada na ideia de um mártir e sustentada por um estado falido que esperava dar ao povo o que ele desejava e não obtinha.
    A igreja perseguiu judeus,inovadores,cientistas,pensadores e tantos outros,que nos porões da inquisição conheceram não a mão de Deus para aliviar seus pecados e salvar as suas almas,mas o peso da carnificina e de um clero que não aceitava nada contra seus interesses de poder e expansão pelo mundo.
    Vale lembrar que o direito de reinar, governar era divino e concedido pela igreja aos senhores feudais e reis mancomunados com a igreja.
    Esta história é com “h” e não com ” e ” e sabemos que isto perpetua até hoje.
    No terceiro mundo o Catolicismo e Islamismo,na Europa e América do Norte os Envagélicos.
    Vale também lembrar que toda as religiões monoteístas (crentes em Deus) nasceram pelos princípios da fé do povo judeu,somos a raiz geradora da crença em um Deus único,Criador e Universal.
    Enquanto a humanidade não buscar o respeito mútuo e o crescimento espiritual baseado na fé e entendimento,viveremos nesta manipulação de organizações e seitas exploradoras.
    Nos entendemos com palavras como estas que todos deixamos aqui.
    Nossa civilização ainda é pobre no conceito de igualdade como seres criado por um único Poder!
    Para o nosso Criador não há barreiras de credo e sim de conceitos e valores que não seguimos nas bases de sua Lei.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s